Siga-nos

Perfil

Expresso

Prémio Produção Nacional 2015

Financeiros e amigos de infância querem ser a referência da framboesa

  • 333

Os dois amigos ambicionam criar escala com um fileira de produtores para exportar

Rui César e Norberto Moreira são filhos da mesma terra, Castelo de Paiva, e andaram juntos na escola. A agricultura uniu-os e passaram de amigos a sócios. Com êxito: o seu modelo de negócio está a ser replicado por outros produtores. Acompanhe as histórias de produtores e produtos inovadores que estão a surgir e a evolução dos distinguidos no Prémio Intermarché Produção Nacional 2014, que este ano volta a ser um projeto do Expresso e da SIC Notícias.

Raquel Pinto

Raquel Pinto

Jornalista

"Queremos ser uma referência no norte do país, não só na comercialização, mas especialmente na produção". As palavras são de Rui César, amigo de infância Norberto Moreira, que um dia lhe fez uma "proposta tentadora" para criarem uma empresa de frutos vermelhos, depois de saber da exploração de um outro amigo em Valença.

Nasceram em 1972, colegas de escola, desde o primeiro ciclo até ao secundário, são da mesma terra. De Castelo de Paiva. O primeiro tem licenciatura em Economia e pós-graduação em gestão cultural, o segundo em gestão financeira. Ligações à agricultura só na geração dos avós. Produziam vinhos. Nunca imaginaram trabalhar na terra.

"Não fazíamos a mínima ideia de como é que se fazia. Fomos visitar produções em Huelva e Odemira, beber os conhecimentos junto dos melhores", conta Rui. Escolheram a framboesa, porque da análise que fizeram era aquele que "garantia mais retorno". Investiram antes mesmo da atribuição do subsídio comunitário a que concorreram. Tinham os dois 39 anos, há três anos atrás. Tinham também capitais próprios para avançar e acreditaram desde logo no empreendimento e resultados. O apoio financeiro veio a 50% num investimento acima de 280 mil euros.


Alugaram terreno da igreja

O terreno foi alugado à igreja paroquial da freguesia de Santa Marinha de Figueira, em Penafiel, por dez anos, com a perspetiva de renovação por mais dez.  "A comunicade local acarinhou o projeto", frisa o produtor. Ele e Norberto mantêm as suas atividades mas já não dá para não terem os pés fixos neste projeto. "Conseguímos estar de manhã a dar formação ou numa empresa de consultadoria e à tarde ir ver como está a apanha e ir ajudar a escolher meia tonelada de framboesa", explica. Mas uma ocupação a tempo inteiro seria "muito contraproducente" neste momento. Pretendem fazê-lo à medida "que os interesses, tipo de serviço, volume de negócio e tipo de transações" assim o justificarem.

Três anos depois têm três postos de trabalho e  mais 40 pessoas, como prestadoras de serviço, durante as campanhas, numa área coberta de 1,1 hectares, o equivalente à plantação de 25 mil pés de framboesa. O dia a dia exige acompanhamento no terreno, devido à falta de mão de obra especializada na região e a sazonalidade. "Todas as operações relacionadas com a framboesas, desde a fonte até ao embalamento exigem altos padrões de qualidade. O mais pequeno detalhe faz toda a diferença e pode pôr em causa o lote".

O total da exploração é de 2,5 hectares. Iniciaram-se com 7000 m2 de área coberta. Cresceram mais 30% do que o previsto. As framboesas diferenciam-se ao nível da textura, de sabor e de maturação.

Na exploração faz-se produção integrada. Obtiveram a certificação GlobalGAP

Na exploração faz-se produção integrada. Obtiveram a certificação GlobalGAP

Grandeur, Kwelli, Radiance são as variedades produzidas por estes agricultores empresários. Que garantem saber fazer tudo. Desde a fertilização à plantação, passando pela aplicação de produtos framacêuticos e colheita. "Não há nada na empresa que não tenhamos conhecimentos. Há operações que fica mais barato termos lá funcionários", explica.

A fruta segue para um entreposto comercial. No primeiro ano produziram 13 toneladas, no segundo ano 18 e este ano esperam chegar às 20 toneladas. Mas o mercado revela-se incipiente e a exportação direta para o norte da Europa é o caminho. Disso não têm dúvidas. Tendo esta meta definida, os dois produtores lançaram-se na criação de projetos de investimento e apoio técnico para instalação de outros produtores tendo por base o "exemplo em casa". "Estamos vender um serviço que temos para nós. Naquilo que  não sabemos tentamos ir buscar os melhores da região na área agrícola". Criar um fileira associativa na framboesa porque "o agricultor não consegue sobreviver sozinho, sem um fileira bem organizada e um sector agrícola cada vez mais profissional. "

O método profissional que utilizam está longe de ser feito a "olhómetro". A formação deste dois amigos fê-los transportar para o sector métricas e modelos que ainda não estão implementadas. Focam-se agora na replicação do seu modelo de investimento e produção para ganhar escala e vender melhor o produto.

Clique em baixo para se candidatar até 30 de junho à 2.ª edição do Prémio Intermarché Produção Nacional



  • Os dias de aromas de Laura depois de treze anos na banca

    Licenciada em Gestão de Empresas, Laura era bancária até que a profissão de que gostava deixou de lhe dar gozo. A estagnação levaram-na a abraçar um novo desafio: as ervas aromáticas e condimentares. Acompanhe as histórias de produtores e produtos inovadores que estão a surgir e a evolução dos distinguidos no Prémio Intermarché Produção Nacional 2014, que este ano volta a ser um projeto do Expresso e da SIC Notícias.

  • É gestor, professor, comerciante e produtor. A agricultura convencional já faz parte do passado

    O cultivo de espargos em modo biológico permitiu finalmente a Luís Trindade garantir o escoamento de tudo o que produz. Volta-se agora para as laranjas e quer entrar nos hortícolas . Entretanto, já abriu a sua própria mercearia. Acompanhe as histórias de produtores e produtos inovadores que estão a surgir e a evolução dos distinguidos no Prémio Intermarché Produção Nacional 2014, que este ano volta a ser um projeto do Expresso e da SIC Notícias.

  • A ópera de dois músicos na produção biológica de goji fresco

    Um cantor lírico e uma violetista iniciaram um projeto pioneiro. A Quinta dos Mochos, com certificação biológica, prepara-se para abrir portas à investigação científica e já caminha para uma plataforma de produtores. Acompanhe as histórias de produtores e produtos inovadores que estão a surgir e a evolução dos distinguidos no Prémio Intermarché Produção Nacional 2014, que este ano volta a ser um projeto do Expresso e da SIC Notícias.

  • Professora de educação física aposta na agricultura para ultrapassar incertezas da profissão

    Aquilo que começou como rendimento complementar está a ser mais do que isso. Sílvia Silva é do Porto e mudou-se para Sousel convencida pelo marido. Este ano parou de dar aulas. Ir todos os dias para Évora era incomportável. Recebia menos do que o ordenado mínimo. Acompanhe nas próximas semanas as histórias de produtores e produtos inovadores que estão a surgir e a evolução dos distinguidos no Prémio Intermarché Produção Nacional 2014, que este ano volta a ser um projeto do Expresso e da SIC Notícias.

  • Era investigadora na Torre do Tombo. Agora faz caviar de caracol

    Ana e Daniel mudaram a vida profissional para a helicicultura e rumaram a Alenquer. Tiveram de recomeçar do zero ao fim de dez meses de projeto. Levantaram-se, tiveram novos percalços, mas mantêm-se e a crescer. Acompanhe nas próximas semanas as histórias de produtores e produtos inovadores que estão a surgir e a evolução dos distinguidos no Prémio Intermarché Produção Nacional 2014, que este ano volta a ser um projeto do Expresso e da SIC Notícias.

  • Os nove e a uva Frutalmente sem grainha

    Mário Rodrigues é o mentor da organização que agrega nove produtores, com idades entre os 30 e os 70 anos. Diferentes visões e formações que se traduzem em resultados. Acompanhe nas próximas semanas as histórias de produtores e produtos inovadores que estão a surgir e a evolução dos distinguidos no Prémio Intermarché Produção Nacional 2014, que este ano volta a ser um projeto do Expresso e da SIC Notícias.

  • O pai queria que Luís fosse engenheiro. Ele cumpriu e ingressou no clube dos que vivem da terra

    Luís Sabbo gosta do que faz e não quer deixar cair o que o pai construiu. Vai a Espanha aprender com os melhores para fazer crescer uma das maiores produções de dióspiro em Portugal e inovar na diversidade com culturas ainda pouco expressivas, como é o caso da romã. É assim desde os 22 anos. Acompanhe nas próximas semanas as histórias de produtores e produtos inovadores que estão a surgir e a evolução dos distinguidos no Prémio Intermarché Produção Nacional 2014, que este ano volta a ser um projeto do Expresso e da SIC Notícias.

  • Gestora muda de vida, instala-se no Alentejo e dedica-se aos figos da índia

    Teresa Laranjeiro foi à procura de um sonho e descobriu uma cultura à primeira vista sem interesse e desconhecida - já se imaginou a pedir um gaspacho de figo da índia? - mas que acredita ter "potencial". O ano passado lançou o desafio para se associarem em cooperativa: 75 produtores disseram "sim".  Nas próximas semanas acompanhe, no site e no Expresso Diário, mais histórias dos produtores de quem se fala e os produtos mais inovadores que estão a surgir. Saiba também a evolução de alguns projetos distinguidos em 2014 no Prémio Intermarché Produção Nacional.

  • O azeite de Abrantes que ganha prémios no mundo inteiro

    Aliam a tecnologia aos métodos tradicionais e já ensinam na Austrália, Perú e Chile.  O azeite de excelência da SAOV traduz-se nas dezenas de prémios no país e no estrangeiro. A mais recente distinção foram duas medalhas de ouro na Feira Nacional de Agricultura. Acompanhe nas próximas semanas as histórias de produtores e produtos inovadores que estão a surgir e a evolução dos distinguidos no Prémio Intermarché Produção Nacional 2014, que este ano volta a ser um projeto do Expresso e da SIC Notícias.

  • Potencial de batata-doce portuguesa descoberto por alemães

    Tudo começou com a compra da quinta Montes de Cima, em São Teotónio, Odemira. Havia exploração agrícola, mas curiosamente não se produzia batata-doce. Uma empresa alemã apostou com tecnologia no potencial do produto 'tosco' e levou-o para outros mercados na Europa.  Acompanhe nas próximas semanas as histórias de produtores e produtos inovadores que estão a surgir e a evolução dos distinguidos no Prémio Intermarché Produção Nacional 2014, que este ano volta a ser um projeto do Expresso e da SIC Notícias. 

  • Sérgio Baltazar trabalha 15 horas por dia. Triplicou a produção de leite na exploração do pai

    Recebeu um prémio por ser jovem agricultor e dinamizou a exploração de vacas leiteiras em Sousel, num sector em que o problema não passa por escoar o produto mas a balança entre o custo de produção e o preço final. Acompanhe nas próximas semanas as histórias de produtores e produtos inovadores que estão a surgir e a evolução dos distinguidos no Prémio Intermarché Produção Nacional 2014, que este ano volta a ser um projeto do Expresso e da SIC Notícias.

  • A 'Estória d'um Cogumelo' que nasceu num campo de ténis

    Um arquiteto de Vila Nova de Famalicão estava desempregado quando iniciou a produção do shiitake no court da casa dos pais. E resultou num negócio familiar rentável . Conheça a “Estória d' um cogumelo”. Acompanhe nas próximas semanas as histórias de produtores e produtos inovadores que estão a surgir e a evolução dos distinguidos no Prémio Intermarché Produção Nacional 2014, que este ano volta a ser um projeto do Expresso e da SIC Notícias.

  • A planta que é uma alternativa ao sal: antes era uma praga, agora é uma erva gourmet

    Há um investimento na Ilha dos Puxadoiros, na laguna de Aveiro, para o cultivo de uma erva gourmet. Fresca, em conserva ou em pó. A Universidade de Aveiro já estuda outras potencialidades. Acompanhe nas próximas semanas as histórias de produtores e produtos inovadores que estão a surgir e a evolução dos distinguidos no Prémio Intermarché Produção Nacional 2014, que este ano volta a ser um projeto do Expresso e da SIC Notícias.

  • Três universitários inovam nos Açores com produtos de consumo fácil

    João Monteiro, Emanuel Barcelos e Andreia Marques, dois açorianos e uma madeirense na casa dos 30, que se conheceram na universidade, ergueram um projeto hortofrutícola que dá que falar. Ousaram agitar a tradicional produção agrícola nos Açores.  Acompanhe nas próximas semanas as histórias de produtores e produtos inovadores que estão a surgir e a evolução dos distinguidos no Prémio Intermarché Produção Nacional 2014, que este ano volta a ser um projeto do Expresso e da SIC Notícias

  • A fruta feia e com toques que se transforma num puré digno de prémio

    Dar outra vida à fruta 'património' e reduzir os desperdícios dos produtos frescos. É a proposta da Cooperfrutas de Alcobaça, dedicada à produção de pêras, maçãs, ameixas e pêssegos. Ganhou o Prémio Intermarché Produção Nacional de 2014, na categoria Frutas e Preparados de Frutas.

  • Já tinha ouvido falar em arroz para bebés? Existe. É português e único

    Em plena lezíria ribatejana cresce um arroz singular no país. Dá pelo nome de baby rice e destina-se à alimentação infantil. O segredo começa na produção e termina na embalagem de atmosfera controlada. Já quebrou fronteiras e está de olho na China. Por cá, tem passado despercebido. A partir desta segunda-feira e durante as próximas semanas acompanhe, no site e no Expresso Diário as histórias dos produtores de quem se fala e os produtos mais inovadores que estão a surgir. Saiba também a evolução de alguns projetos distinguidos em 2014 no Prémio Intermarché Produção Nacional