Siga-nos

Perfil

Expresso

Pensar o País com Música de Fundo

1 ideia para compor o país: combater o medo resgatando a identidade

  • 333

Nuno Botelho

Miguel Velez é a décima personalidade da Gestão, da Política e da Música que o Expresso convidou para responderem à questão: Que ideia tem para compor o país? Conheça a reflexão do administrador das Pousadas de Portugal, nesta rubrica do projeto Pensar o País com Música de Fundo, do Expresso e do Deutsche Bank, que pode acompanhar no nosso site.

“Ver-te assim abandonada, nesse timbre pardacento, nesse teu jeito fechado, de quem mói um sentimento;” assim começa o refrão do “Porto Sentido”, de Rui Veloso, música que me veio imediatamente à memória na hora de escolher “1 ideia para compor Portugal”, e que nos remete para o estado de espírito que parece ter tomado conta do país. O refrão continua… “e é sempre a primeira vez, em cada regresso a casa, rever-te nessa altivez, de milhafre ferido na asa”, completando um retrato de um país que vive uma crise de identidade, avesso a tudo o que outrora nos fez grandes. 

Tal como canta o Rui Veloso não podemos ficar pelo refrão, essa síntese em que nos querem resumir, esmagar, derrotar e fazer com que esqueçamos o sentido primordial da letra. Temos que ser capazes de ir além de trautear e passar a interpretar, a concretizar, a realizar. Tal como “quem vem e atravessa o rio”, “vencer a neblina” e fazer de um “velho casario, que se estende ate ao mar” uma “cascata são-joanina, erigida sobre o monte”. A capacidade de contornar “ruelas e calçadas”, e da “luz bela e sombria” recuperar a coragem que durante séculos nos fez avançar.

No mesmo sentido ideológico da Mensagem, de Fernando Pessoa, “triste de quem vive em casa, contente com o seu lar, sem que um sonho, no erguer da asa, faça até mais rubra a brasa, da lareira a abandonar”. Não sei se o V Império é um sonho que ainda nos valha e nos fará voltar a fazer de “um velho casario”, uma “cascata são-joanina”, e tal como nos pede o Rui Veloso não deixar que o medo nos leve a resignar. Gosto de acreditar que sim, sejam lá quais forem as fronteiras que o V Império venha a assumir e que horizontes poderão rasgar.

É portanto olhando para o Passado que podemos recuperar as lições que nos vão permitir abrir as portas do Futuro, recuperando o património espiritual dos que sem garantias, mas também sem receio, se fizeram ao mar. Quem nos “vê ao vir da ponte” não nos verá sem esperança nem com medo. Se outrora nos fizemos ao mar agora temos que nos fazer ao mundo, construir uma ponte para outra dimensão internacionalizando os negócios e na vida.

O meu percurso profissional tem-me dado o privilégio de conhecer muita gente que nos visita. Vejo que muitas delas, identificam bem a força da nossa história, da nossa identidade, e percebem bem o que nos podem dar para inverter o sentido das coisas para derrotar de vez a melancolia dos que se resignam e a tristeza dos que já nascem derrotados. Não somos esse povo no qual alguns nos querem transformar. O nosso empreendedorismo não tem duas décadas nem chegou com a novilíngua que hoje domina o dialecto do mercado. O nosso empreendedorismo vem de um tempo onde as gentes mudaram o mundo a partir de quase nada. Hoje, longe de estarmos de mãos vazias, temos melhores condições para fazer frente a todas as adversidades."

  • 1 ideia para compor o país: Allegro e a Alegria de fazer avançar Portugal

    Mário Ferreira, CEO da Douro Azul, é o primeiro de trinta personalidades da Gestão, da Política e da Música que o Expresso convidou para responderem à questão: Que ideia tem para compor o país? Uma rubrica do projeto Pensar o País com Música de Fundo, do Expresso e do Deutsche Bank, que pode acompanhar no nosso site.

  • 1 ideia para compor o país: deixemo-nos embalar pela possibilidade de alternativas

    Gabriela Canavilhas é a terceira das 30 personalidades da Gestão, da Política e da Música que o Expresso convidou para responderem à questão: Que ideia tem para compor o país? Conheça a reflexão deputada e pianista, numa rubrica do projeto Pensar o País com Música de Fundo, do Expresso e do Deutsche Bank, que pode acompanhar no nosso site.

  • 1 ideia para compor o país: nem o silêncio se ouve

    Luís Represas é o quarto entre as 30 personalidades da Gestão, da Política e da Música que o Expresso convidou para responderem à questão: Que ideia tem para compor o país? Conheça a reflexão do músico, numa rubrica do projeto Pensar o País com Música de Fundo, do Expresso e do Deutsche Bank, que pode acompanhar no nosso site.

  • 1 ideia para compor o país: precisamos de “animar a malta”

    António Chainho é a quinta de 30 personalidades da Gestão, da Política e da Música que o Expresso convidou para responderem à questão: Que ideia tem para compor o país? Conheça a reflexão do virtuoso da guitarra portuguesa, numa rubrica do projeto Pensar o País com Música de Fundo, do Expresso e do Deutsche Bank, que pode acompanhar no nosso site.

  • 1 ideia para compor o país: não aceitar para Portugal nada menos do que merecemos

    Alexandre Soares dos Santos é a mais recente das 30 personalidades da Gestão, da Política e da Música que o Expresso convidou para responderem à questão: Que ideia tem para compor o país? Conheça a reflexão do gestor, numa rubrica do projeto Pensar o País com Música de Fundo, do Expresso e do Deutsche Bank, que pode acompanhar no nosso site.

  • 1 ideia para compor o país: a magia da música e das plataformas digitais

    DJ Ride é a sétima das 30 personalidades da Gestão, da Política e da Música que o Expresso convidou para responderem à questão: Que ideia tem para compor o país? Conheça a reflexão nesta rubrica do projeto Pensar o País com Música de Fundo, do Expresso e do Deutsche Bank, que pode acompanhar no nosso site.

  • 1 ideia para compor o país: o canto das sereias loucas

    Fernando Ribeiro é a mais recente das personalidades da Gestão, da Política e da Música que o Expresso convidou para responderem à questão: Que ideia tem para compor o país? Conheça a reflexão do vocalista dos Moonspell, nesta rubrica do projeto Pensar o País com Música de Fundo, do Expresso e do Deutsche Bank, que pode acompanhar no nosso site.

  • 1 ideia para compor o país: já chegámos ao refrão?

    Noiserv, vulgo David Santos, é a nona das 30 personalidades da Gestão, da Política e da Música que o Expresso convidou para responderem à questão: Que ideia tem para compor o país? Conheça a reflexão do músico, nesta rubrica do projeto Pensar o País com Música de Fundo, do Expresso e do Deutsche Bank, que pode acompanhar no nosso site.