Siga-nos

Perfil

Expresso

Nova Agricultura

Gastronomia com pica. A urtiga quer voltar à mesa

  • 333

“O sabor da urtiga fica entre o espinafre, a couve ou os brócolos, com um ligeiro efeito de formigar na boca”

Joe Klamar/Getty Images

Confraria da urtiga está empenhada em trazer de volta a planta para os pratos dos portugueses. Come-se em doces e salgados

Rubina Freitas

Se para a maior parte das pessoas a urtiga traz más memórias de infância, em Fornos de Algodres, capital da urtiga, a coisa pica de outra maneira. Há desde 2009 uma confraria empenhada em incentivar a utilização daquela planta na alimentação.

Sim, a urtiga come-se e não é de hoje. A planta chegou a estar a par da rúcula, acelga e beldroegas, em destaque na cozinha tradicional portuguesa. Diz quem sabe que tem mais vitaminas e minerais do que os espinafres e os brócolos e é rica em ferro. É mais fácil de cozinhar do que apanhar, já que é preciso luvas. A única parte da urtiga que se aproveita para a cozinha é a sua folha, uma vez que os caules são fibrosos. O seu sabor fica entre o espinafre, a couve ou os brócolos, com um ligeiro efeito de formigar na boca.

Se ainda não está convencido talvez seja de provar a última iguaria feita com a planta. São as queijadas de urtiga, confecionadas por Amélia Reis, 70 anos, residente na aldeia de Juncais, a partir de uma receita que tem como ingredientes açúcar, farinha, leite, ovos e urtiga."A ideia nasceu do nosso grão-mestre da confraria. Uma vez que eu era confrade, um dia ele lançou-me o desafio de arranjar um bolo onde se pudesse adaptar a urtiga. Então eu, com uma receita que tinha, comecei a fazer experiências", contou Amélia Reis. O próximo passo é a sua legalização e colocação no mercado. Esta iguaria vem-se juntar à alheira de urtiga, que já está a ser comercializada.

O grão-mestre, Manuel Paraíso, garante que a urtiga dá para tudo: sopa, peixe, carne, queijos e até bombons ou cerveja artesanal. Se quiser experimentar é ir pelos campos, colher umas folhas e testar umas receitas.

Até 26 de julho de 2016, acompanhe de segunda a sexta um caso nacional de inovação agrícola, com o apoio do Prémio Produção Nacional, um projeto do Expresso e do Intermarché

  • Portugueses descobrem doença de plantas na Europa

    Investigadores descobrem - pela primeira vez em território europeu - fungo que causa doenças em plantas ornamentais e lançam alerta para a disseminação. É o primeiro de 30 artigos que publicamos como parte da edição 2016 do Prémio de Produção Nacional, um projeto de promoção da agricultura em Portugal, apoiado por Expresso e Intermarché