Siga-nos

Perfil

Expresso

Mês do Ambiente 2015

Mente sã, corpo são, roupa sã

  • 333

APROVEITAMENTO: no ateliê de Daniel Silverstein os tecidos são usados ao extremo, os padrões feitos com sobreposições. E se os pedaços forem demasiado pequenos para uma toillete ficam guardados para um tapete de retalhos

Gonzalo Arroyo Moreno

Para impedir que 85% dos tecidos no seu ateliê fossem deitados fora, Daniel Silverstein passou a controlar toda a produção de acordo com uma filisofia de zero desperdício

Daniel Silverstein é o nome do momento nas mais glamourosas passereles em Nova Iorque. Não quer ser o futuro Versace mas quer mudar a forma como as pessoas veem a moda. O sonho sempre foi ser estilista, acabou o curso no top dez da turma, arranjou trabalho com dificuldade, mas sentia que tudo o que fazia não tinha impacto e era caro demais. Hoje não só é uma referencia na moda, como é um guru da vida sem desperdício.

Dentro do ateliê onde cortava e recortava começou a aperceber-se que 85% dos tecidos eram deitados fora, 85% de tecidos exageradamente caros que os clientes tinham que pagar. Tecidos cheios de tintas e materiais cuja confecção tinha feito pior ao meio ambiente, que o bem que ia fazer na moda. Era este o momento, o mote: revolução.

Daniel tinha uma missão, criar roupa de alta costura com zero desperdício. Não era fácil, mas o mundo da moda já tinha tão poucas oportunidades porque não criar uma oportunidade e dar uma oportunidade ao ambiente?

Começou a controlar tudo desde o momento zero da produção. Para isso teve que mudar toda a produção para os Estados Unidos. Era a única forma de garantir que todos os que trabalhavam para ele respeitavam o conceito. A moda usa-se no corpo, portanto, mente sã faz roupa sã, que pode ser usada em corpo são.

No seu ateliê não há mesmo nenhum desperdício. Os tecidos são usados ao extremo, os padrões feitos com sobreposições. E se os pedaços forem demasiado pequenos para uma toillete ficam guardados para um tapete de retalhos que irá cobrir o chão do estúdio.

Silverstein cumpre este ética como se de uma religião se tratasse e garante que é uma filosofa, não é uma moda. Em entrevista ao site Ecouterre explica que sabe que quando diz que “um dia tudo vai ser feito com zero desperdício” as pessoas reviram os olhos, embora garanta que um dia vai ser verdade.

Em novembro, de segunda a sexta, o Expresso Diário traz-lhe ideias para preservar o ambiente