Siga-nos

Perfil

Expresso

Mês do Ambiente 2015

Ideias Verdes: fiquei sem bateria no telemóvel, empresta-me a tua orquídea

  • 333

SUSTENTÁVEL: o E-Kaia permite carregar as baterias de telemóvel com recurso a uma planta, terra e um cabo USB

AIZAR RALDES

Três engenheiras chilenas desenvolveram um sistema de carregamento de telemóveis completamente sustentável, o E-Kaia. A ideia já lhes valeu o prémio de inovação do governo chileno em 2014

É sempre na pior altura que o telefone fica sem bateria, é a lei de Murphy aplicada ao mundo das comunicações. Mas graças a três jovens engenheiras chilenas este pesadelo pode ter os dias contados com E-Kaia, dispositivo que carrega tudo apenas com a ajuda de uma planta, terra e um cabo USB “mantendo a qualidade energética e preservando o meio ambiente”, explicam as criadoras.

Simples como isto: Carolina Guerrero (engenheira industrial), Camila Rupcich (engenheira de computação) e Evelyn Araven (engenheira eletrónica) estavam fartas de ficar sem bateria e como a necessidade aguça o engenho transformaram as plantas em pilhas. A ideia, nascida em 2009, já lhes valeu o prémio de inovação pelo governo chileno em 2014 e as semifinais do The International Business Model Competion organizado pelas universidades de Harvard e de Standford.

A explicação é feita de forma tão simples que parece que qualquer um o podia ter criado: o E-Kaia aproveita o sistema de fotosíntese das plantas que através da matéria orgânica transforma a energia da luz em energia química. A planta em nada é afetada por este dispositivo, ou não se tratasse de uma ideia verde, uma vez que os microorganismos nas raízes processam essa energia para que a planta cresça e apenas geram electrões como produtos secundários e com a energia que ia ser desperdiçada. O circuito do E-Kaia tem capacidade de gerar cinco voltes e 600 milamperes, o suficiente para carregar um telemóvel.

Se a vontade era ir já comprar o E-Kaia vai ter que esperar, o protótipo custou aproximadamente €430 e neste momento está a ser desenvolvido um mais barato. (À espera de resposta para saber quando deverá chegar ao mercado).

Em novembro, de segunda a sexta, o Expresso Diário traz-lhe ideias para preservar o ambiente