Siga-nos

Perfil

Expresso

Mês da Energia

Ver na profundidade e mais além

  • 333

A aplicação torna-se o principal interface que o piloto tem para ver o que acontece no fundo do mar

D.R.

A portuense Abyssal OS Offshore apresenta um software de navegação em 3D e tempo real para pilotos e supervisores de veículos marítimos

No dia 20 de abril de 2010 o mundo acordou com uma catástrofe: a plataforma DeepWater Horizon no Golfo do México tinha explodido, 22 trabalhadores ficaram feridos, 12 morreram e, depois de dois dias em chamas, o óleo chegou à costa dos Estados Unidos da América.

Nessa altura, Manuel Parente está a desenvolver um software para a indústria de mergulho profissional e, ao deparar-se com um ROV (veículo remotamente operado), identifica-lhe os problemas e nasce o que viria a ser a Abyssal, que muito jeito daria no Golfo do México. É então que Manuel Parente, sócio principal da empresa, associa-se à Venture Catalysts e ficam reunidas as condições para a partir do norte do país se chegar ao fundo mar em segurança com o Abyssal OS Offshore.

“Um sistema avançado de gestão da operação e de visualização em 3D para apoiar pilotos e supervisores”. A partir do Porto, dois anos depois, começa a ser desenvolvida uma aplicação de software que permite o desenvolvimento de veículos submarinos operados remotamente com melhor visibilidade para os pilotos e melhor percepção espacial. A comercialização teve inicio em 2016 e, de momento, os ROV são apenas para a indústria do petróleo e gás, estando a ser estudada a possibilidade de alargamento ao mercado das renováveis offshore e da extração de minérios subaquáticos.

A aplicação Abyssal é alugada aos operadores, instalada no navio onde o ROV parte e torna-se o principal interface que o piloto tem para ver o que acontece no fundo do mar. A funcionar no parque de ciência e tecnologia da Universidade do Porto desde a génese, aquilo que era uma equipa inicial de três pessoas já conta com 20.

De momento o principal cliente da empresa é a Oceaneering. Rafael Simão, da Venture Catalysts, diz que o objetivo é que este ano apareçam muitos mais interessados em fase de comercialização.

Acompanhe o Mês da Energia ao longo de junho, de segunda a sexta, no Expresso Diário e Online

  • O sol gira mesmo à nossa volta

    No arranque do Mês da Energia, conheça a Cooperativa Coopérnico, uma comunidade que investe em energias renováveis para integrar na rede elétrica. Estão nomeados para os prémios europeus e fornecem energia equivalente à que é gasta por 130 famílias

  • O aeroporto que é uma cidade que nunca dorme

    África do Sul está a desenvolver esforços para se tornar na nação amarela, vermelha ou laranja dependendo da cor do sol. Já há um aeroporto que está quase a ser movido 100% a energia solar e o objetivo é que até 2018 haja três a funcionar

  • As histórias que dão luz

    Conheça o Mês da Energia, o projeto do Expresso e da EDP que dá a conhecer o que de melhor se faz com recursos energéticos em Portugal e no mundo

  • Vinho quente

    Na fronteira entre o Brasil e o Uruguai, uma herdade de 270 mil hectares faz toda a sua produção de vinha através de energia solar

  • A energia de Bill

    A inovação não se faz sem investimento nem pesquisa e, depois de trazer ao mundo a Microsoft, Bill Gates aposta na energia de fissão nuclear. O presidente da TerraPower espera que em 2030 já haja energia a ser produzida desta forma

  • Nas renováveis, a Índia já não está em desenvolvimento

    Em muitos assuntos, a Índia é caracterizada como país em desenvolvimento mas a definição torna-se incompatível com os esforços energéticos que o país asiático tem feito e que o estão a transformar num autêntico laboratório energético a céu aberto

  • O Sol quando nasce é para todos

    Aproveitar o melhor dos dois mundos, aquilo que sempre disseram ser impossível, torna-se agora a inspiração para o objeto fetiche daqueles que se querem libertar das energias fósseis

  • Exército brasileiro ajuda na segurança… energética

    Numa rápida associação de palavras não será difícil perceber a ligação entre exército, segurança e energia. A partir deste ano o exército brasileiro mudou esta analogia sendo a segurança energética e a energia renovável

  • Sol, praias e energias limpas

    C-SERMS, ou Caribbean Sustainabble Energy Roadmap and Strategy. Assim se chama a união de 15 países do Caricom que querem gerar 48% de energia renovável até 2027

  • Eucalipto, energia doce

    Um hectare de floresta de eucalipto tem capacidade de produzir 23 toneladas de biomassa durante um ano. O cultivo desta árvore apresenta inúmeras vantagens ambientais e energéticas

  • A conferência do Mês da Energia

    A 30 de junho, quinta-feira, realiza-se no auditório EDP, em Lisboa, a conferência que marca o final do projeto do Expresso em conjunto com a EDP que, ao longo deste mês, tem discutido nas diversas plataformas do grupo Impresa, as grandes tendências que marcam (e vão marcar) o futuro de um assunto tão fulcral para a sociedade. Consulte o programa e veja onde se inscrever

  • Levar luz ao feminismo

    Enquanto meio mundo pensa soluções para usar menos energia, outra metade tenta ter acesso à eletricidade. Anya Cherneff junta o melhor dos dois mundos, movimentando uma causa social e levando energia limpa ao Nepal