Siga-nos

Perfil

Expresso

Portugal Moçambique - Ligações Fortes

“Estamos a crescer a um nível exponencial. É um novo Moçambique”

  • 333

Francisco Pinto Balsemão, chairman do grupo Impresa; Rodrigo Costa, CEO da REN; Gonçalo Moura Martins, CEO da Mota-Engil; Paulo Portas, vice-Primeiro Ministro e Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique na mesa de honra do almoço

Tiago Miranda

O presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, foi o convidado de honra da terceira edição do projeto Ligações Fortes, que contou com figuras ao mais alto nível dos dois países

Não escondeu a felicidade por entrar numa sala onde sentiu grande confiança em Moçambique. "Assim, acredito que vamos estar bem", atirou, perante os aplausos da plateia. Na sua primeira visita oficial a um país europeu, o presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, escolheu Portugal e foi presença de destaque na conferência que marcou o projeto "Portugal-Moçambique: Ligações Fortes".

Da responsabilidade do Expresso e da SIC Notícias, e em parceria com o Millenium BCP, a Mota-Engil e a REN, trata-se de um projeto que tem vindo a discutir as relações bilaterais entre os dois países e o impacto que o incremento de trocas comerciais pode trazer para o futuro.

Filipe Nyusi centrou-se no "processo de crescimento moçambicano" e garantiu que espera trabalhar para "ajudar aqueles que mais precisam". O presidente realçou que Moçambique é "um país que possui inúmeras oportunidades em muitos campos" e espera que Portugal caminhe sempre "junto" do seu país. O papel da imprensa também mereceu uma menção, como "montra das potencialidades que existem em Moçambique".

As declarações do chefe de estado moçambicano aconteceram no início do almoço que juntou muitas figuras de relevo, após ter sido o convidado especial de um Sociedade das Nações (programa da SIC Notícias dedicado às relações internacionais) gravado no Epic Sana Hotel, em Lisboa, onde decorreu o evento.

Os laços fortes que unem os dois países foram também o foco da intervenção do vice-Primeiro Ministro, Paulo Portas, que disse que Portugal "está aqui para ajudar" até porque são "dois estados soberanos que gostam muito um do outro." Numa sala onde considerou estar "grande parte do PIB português" destacou também o papel das empresas portuguesas na criação de empregos que "ajudam na melhoria da mobilidade social". Consequências positivas num país que Paulo Portas acredita será "uma das mais extraordinárias histórias de sucesso das próximas décadas".

Já no início, Francisco Pinto Balsemão tinha deixado expresso o seu apreço por Moçambique e a opinião que atualmente se assiste a um esforço para gerar "um desenvolvimento económico inclusivo e sustentado" no país. O chairman do grupo Impresa reiterou também a "disponibilidade total e franca" do grupo para ajudar e fortalecer este processo. É o desejo de continuar um "trabalho conjunto que tem dado frutos".

Após o almoço houve ainda espaço para a gravação de um pograma especial da SIC Notícias, que teve como convidados o ministro da Economia de Portugal, António Pires de Lima e o ministro da Indústria e Comércio de Moçambique, Ernesto Tonela, além de intervenções de Rodrigo Costa, CEO REN, Miguel Maya, vice-presidente do BCP e Gonçalo Moura Martins, CEO da Mota-Engil. No final organizou-se um Business Roundtable, dedicada às empresas e moderada por Nicolau Santos, diretor adjunto do Expresso e Joaquim Daí, presidente da Associação Moçambicana dos Economistas.