Siga-nos

Perfil

Expresso

Testemunhos

José Ramos, presidente da Salvador Caetano Indústria

  • 333

Rui Duarte Silva

"A burocracia e as alterações constantes da nossa legislação também não abonam a favor do crescimento da atividade das PME, nem da atração de investimento externo"

"As micro, pequenas e médias empresas (PME) portuguesas representam mais de 90% do tecido empresarial português, apesar de só serem responsáveis por menos de 2/3 do volume de negócios do setor empresarial português. Portanto, o seu peso na economia portuguesa é crucial para o nosso crescimento.

Contudo, em Portugal, as PME defrontam-se com um conjunto de desafios relacionados com a retração da nossa economia nos últimos anos, que condicionam a sua competitividade e o seu crescimento. De forma resumida, são afetadas pelos mesmos fatores que prejudicam a competitividade de toda a economia portuguesa, em particular, pela falta de liquidez e dificuldade de se financiarem, quer para fazerem face às necessidades de investimento em modernização e inovação, quer às necessidades de capital para a internacionalização.

Para além disto, estão limitadas pela legislação laboral que, apesar dos ajustamentos recentes, continua a ser uma das mais rígidas do espaço europeu, prejudicando a contratação de técnicos qualificados e quadros jovens e, consequentemente, a renovação da força de trabalho.

A burocracia e as alterações constantes da nossa legislação também não abonam a favor do crescimento da atividade das PME, nem da atração de investimento externo.

Para melhor assegurar a expansão das PME nacionais urgem estratégias de reforço da internacionalização, que prevejam apoios e incentivos à instalação de redes de agentes e a distribuição dos seus produtos sobretudo em mercados de maior risco, assim como a defesa da propriedade industrial e seguros de crédito.

Neste contexto, os apoios de índole financeira através do Programa Horizonte 2020 poderão ser um importante estímulo para o reforço da capacitação das PME. O novo quadro de financiamento privilegia sobretudo a aposta em I&D e inovação, o que poderá constituir um importante motor para a consolidação e crescimento das pequenas e médias empresas nacionais."