Siga-nos

Perfil

Entrepreneur Of The Year

Entrepreneur Of The Year

O brasileiro Rubens Menin é o Empreendedor do Ano 2018

Rubens Menin Teixeira de Souza fundou a MRV Engenharia

Pela primeira vez, um empreendedor da América do Sul vence o prémio criado em 1986 pela EY. António Rios de Amorim, da Corticeira Amorim, foi o representante português na cerimónia de hoje, em Monte Carlo

Rute Barbedo

Entre os 47 países na corrida ao galardão anual da consultora EY, o Brasil destacou-se com a história de empreendedorismo de Rubens Menin Teixeira de Souza, fundador da MRV Engenharia, uma empresa que, na sua cabeça, surgiu para fazer a sua parte no cumprimento de um direito fundamental do Homem: o direito à habitação. 39 anos depois, a empresa sediada em Belo Horizonte é a maior construtora de projetos residenciais da América Latina e lidera o segmento de habitações de baixo custo no Brasil, país marcado por uma (histórica) assimetria social.

Na receção do prémio, Rubens Menin sublinhou a capacidade que, para si, define um empreendedor: “Todos os empreendedores querem mudar o mundo. E... nós podemos fazer isso.” Atualmente, a MRV emprega 24 mil pessoas e tem um portefólio de mais de 300 mil habitações: um em cada 200 brasileiros vive numa casa construída pela “máquina” de Rubens Menin. Mas o negócio, segundo o fundador, não gera apenas números para o desenvolvimento económico. “As famílias que têm uma casa têm também mais dignidade e podem perseguir os seus sonhos”, afirma o empreendedor de 62 anos.

O que pesou na decisão?

O World Entrepreneur of the Year foi eleito por um júri essencialmente composto por empreendedores de sucesso, como Jim Nixon, presidente da Nixon Energy Investments, líder do painel decisor. Os critérios para a eleição de Rubens Menin foram o seu espírito empreendedor, a capacidade de criação de valor, o pensamento e operação estratégica, o impacto nacional e global do negócio, bem como as noções de inovação, liderança e a integridade pessoal do candidato.

António Rios Amorim, presidente do Conselho de Administração da Corticeira Amorim, representou Portugal em Monte Carlo. Na noite de 13 de Abril, em que foi eleito vencedor nacional do prémio da EY, Amorim referia ao Expresso que o que o motivava a representar o país entre quase 50 grandes empreendedores de todo o mundo era “mostrar que ‘tradicional’ não é uma palavra que dê origem a uma empresa sem futuro mas que revela a longevidade da indústria”. O negócio que começou em 1870 e vai na quarta geração familiar é hoje o líder mundial da cortiça, produzindo 25 milhões de rolhas por dia que chegam a 25 países, sem mencionar a sua atuação noutras áreas.

No ano passado, o prémio global Empreendedor do Ano foi para Murad Al-Katib, o canadiano filho de imigrantes turcos que se destacou não só por ter construído um império na produção e comércio de proteína vegetal (sobretudo leguminosas) – a empresa AGT – como por ter utilizado o negócio para alimentar milhões de refugiados afetados pela crise na Síria.