Siga-nos

Perfil

Expresso

Energia de Portugal 2014

Gerir as finanças pessoais sem stresse

Alberto, Tiago, João, Filipe e Rubim querem levar o Boonzi para novos mercados

DR

Depois de criar o Boonzi, um software que resolveu as suas dores de cabeça com a gestão do orçamento familiar, João Saleiro decidiu partilhá-lo com o mundo e transformou-o num negócio.

Maria Martins

Em seis meses o software Boonzi foi descarregado por mais de quatro mil portugueses. Praticamente sem investirem em publicidade, João Saleiro e Rubim Fonseca superaram as melhores expectativas que tinham quando lançaram o software e, por isso, já o traduziram para inglês e preparam-se para o levar para novos mercados.

O que é hoje um negócio, começou por ser a solução de um quebra-cabeças com que João Saleiro se confrontava sempre que queria pôr as suas finanças em ordem para não ser apanhado desprevenido antes do fim do mês. Usou o Excel, recorreu a outros software de gestão de finanças pessoais, mas isso implicava tanto trabalho que acabava por adiar a tarefa e ter surpresas desagradáveis quase todos os meses, até decidir que tinha de criar uma solução.

Seguir o rasto do dinheiro

E quando tomou a decisão, já percebera o potencial que daí poderia advir, pois não seria de certeza a única pessoa a debater-se com este problema. Discutiu a ideia com Rubim Fonseca - seu sócio e director comercial do Boonzi - e meteu mãos à obra, durante quase um ano. A formação em engenharia facilitou o processo e no início de 2013 estava pronto o Boonzi. Numa altura de crise, em que as famílias passam todas as despesas a pente fino para perceber onde estão a gastar demais e onde é possível cortar, rapidamente as virtudes da sua plataforma de gestão de finanças pessoais começaram a passar de boca em boca.

João Saleiro criou um produto de tal forma simples, que permite poupar muito tempo ao utilizador e consegue ajudá-lo a seguir o rasto do seu dinheiro no dia-a-dia. O Boonzi importa e categoriza diretamente os dados bancários (através do home banking e "com 100% de segurança"), permite controlar e visualizar todas as contas bancárias, cartões de crédito e empréstimos bancários, e consegue definir orçamentos para as diferentes categorias de gastos e agendar pagamentos. Com ele acabam-se as surpresas desagradáveis, pois sabe exactamente em que áreas está a gastar mais dinheiro e consegue ter uma noção clara de como vai evoluir a sua situação financeira ao longo do mês.

À procura do sucesso global

Se dúvidas houve quando João Saleiro decidiu começar a desenvolver o software, elas dissiparam-se entretanto. "Os resultados e crescimento que obtivemos em seis meses indicam que estamos claramente a seguir o caminho certo", diz Tiago Pinheiro, responsável de marketing e vendas, adiantando que uma aplicação mobile já está na agenda. Mas nem tudo tem sido fácil, pois a empresa que está por detrás do Boonzi é uma startup "com apenas cinco pessoas, muita dedicação e pouco tempo para respirar". Hoje, além dos dois fundadores e de Tiago, fazem parte da equipa Filipe Freitas e Alberto Rodrigues, para ajudar a preparar o software para novos voos.

Têm-se desdobrado em contactos para construir uma rede de afiliados e conseguir parceiros, e admitem que financiar as várias fases de evolução e comercialização do produto "tem sido um desafio". Mas não querem perder a embalagem e apostam na internacionalização. Estão a estudar as realidades do Brasil, Espanha e Alemanha, e a procurar negociar com parceiros que tenham facilidade em entrar nestes mercados. 

A ambição é grande e Tiago Pinheiro desvenda que a versão atual do produto é apenas a ponta do iceberg do plano de médio e longo prazo que estão a seguir. "Estamos 100% concentrados em transformar o Boonzi  num produto de referência e sucesso à escala global", diz o responsável de marketing e vendas.