Siga-nos

Perfil

Expresso

Energia de Portugal 2014

Cursos de empreendedorismo para crianças

A StartiUPi já formou mais de uma centena de crianças

Dois amigos juntaram-se para criar um projeto para os mais novos. O objectivo é preparar as crianças para ganhar dinheiro no futuro.

(www.expresso.pt)

Fernando Mendes e Ruben Melo têm em comum o lema 'empreender para mudar o mundo', um curso de Gestão e a passagem pela AIESEC, a maior organização mundial gerida por estudantes universitários. E um sonho: formar crianças para terem um futuro melhor. Confrontados com a limitação de muita gente "em fazer das paixões uma forma de vida" por falta de conhecimentos em gestão, dificuldade em apresentar uma ideia ou falta de confiança, os dois empreendedores querem ajudar a trabalhar estas competências essenciais desde pequeno.

Têm uma fórmula simples para ensinar os mais novos. Nos seus cursos as crianças passam pelo processo de criação, desenvolvimento e apresentação de um produto real para aprenderem a identificar problemas, encontrar soluções e colocá-las em prática, porque é isso o empreendedorismo. A StartiUPi foi lançada em setembro do ano passado e já formou mais de uma centena de crianças. Tem um site, um livro lançado - "StartIUPI - Fazer coisas!" -e vários programas para cativar os mais novos. O target são os estudantes entre os 6 e os 16 anos, a quem chegam com acções nas escolas ou cursos aos sábados, nas suas instalações. Para o próximo ano já está a ser pensado um concurso nacional para alunos do 12.º ano, e já a 11 de Maio, Fernando e Ruben preparam-se para lançar um workshop de adultos, na LX Factory, em parceria com a CoWorkLisboa.

Desenvolveram quatro programas para estimular as competências empreendedoras nos mais novos e acreditam que isso pode ser feito não apenas nos seus cursos, mas em casa e na escola. As solicitações começam a aparecer de vários pontos do país, levando os promotores do conceito a acreditar que é possível fazer chegar a sua metodologia mais longe, através da formação de parceiros. Ainda este mês vão fazer uma formação em Maputo, provando que o conceito tem pernas para ir longe.

No site disponibilizam alguns materiais gratuitos, porque a sua única finalidade não é o lucro. "A nossa missão é ajudar a criar um mundo onde um dia todas as pessoas possam exercer o seu talento e realizar os seus sonhos", diz Fernando Mendes. Mas para o conseguir sabe que o seu projeto de empreendedorismo social precisa de sustentabilidade financeira para não ficar dependente de donativos ou subsídios. Os seus cursos têm de gerar receita para cobrir os custos, até porque de uma equipa de cinco pessoas, duas dedicam-se ao projeto em full-time.