Siga-nos

Perfil

Expresso

Energia de Portugal 2014

10 negócios verdes para ganhar dinheiro

Se está a pensar lançar uma startup, saiba que sustentabilidade e lucro são conceitos cada vez mais compatíveis.

Ser uma empresa sustentável não significa apenas reciclar papel ou proibir os copos de plástico. Um negócio sustentável é aquele que garante o equilíbrio do meio ambiente e usa procedimentos éticos. Com cada vez mais pessoas preocupadas com o que consomem, existe um mercado aberto para pequenas empresas. As oportunidades são muitas, principalmente nas áreas de serviços e alimentação.

Um estudo feito pela consultora inglesa Mintel, revela que quase 70% dos norte-americanos já compram produtos verdes com frequência. E a Green For All, organização americana que estuda e promove a economia sustentável, identificou 10 tipos de negócios que têm mais hipóteses de sucesso nesta área. "As pequenas empresas e os empreendedores serão a chave para resolver os nossos problemas com a economia e o meio ambiente", diz a pesquisa.

Veja quais os tipos de empresas com mais potencial lucrativo e sustentável.

Alimentação

Com as preocupações com uma alimentação mais saudável sempre a crescer, o estudo sugere que há oportunidades para empresas que invistam em alimentos produzidos localmente, sem componentes químicos ou pesticidas. Entre as oportunidades com mais potencial, os pesquisadores destacam a venda e produção de café orgânico, a organização de mercados locais ou cooperativas de produtores e restaurantes ou supermercados com produtos orgânicos. Em Lisboa, a cadeia de supermercados Brio que arrancou em 2008, já tem quatro lojas abertas. 

Transporte

O transporte é um dos principais problemas das grandes cidades. O consumo de combustíveis poluentes é enorme e existem poucas alternativas sustentáveis. O estudo, no entanto, ressalta que mesmo negócios simples podem ajudar. O arranjo de bicicletas, por exemplo, poderia fazer crescer o número destes veículos não poluentes nas ruas. Outra opção são táxis com veículos híbridos ou empresas que promovam o aluguer de carros eléctricos para pequenas deslocações nas cidades.

Retalho

A procura de produtos eficientes, seguros e não tóxicos é crescente, de acordo com o estudo. Roupas feitas com algodão orgânico e corantes naturais, e cosméticos não testados em animais, estão na lista de startups que podem crescer. Um bom exemplo, neste caso, é a empresa The Honest Company, da atriz Jessica Alba, que vende produtos não tóxicos e seguros para crianças.  

Limpeza

Assim como as pessoas não querem vestir ou comer produtos pouco seguros para a saúde e para o meio ambiente, há mercado também para produtos de limpeza ecológicos. Itens biodegradáveis e serviços de limpeza certificados são citados na pesquisa. A Stop & Wash com o seu conceito de lavagem manual e ecológica de carros tem-se expandido pelo território nacional através de franchising. 

Reutilizar

O estudo diz que reutilizar materiais e produtos antigos é ainda melhor do que reciclar. O movimento chamado "upcycling" reconstrói peças usadas para aumentar o seu período de vida. Roupas e móveis são os itens que este estudo identifica como tendo mais potencial. A Monstros é apenas um dos muitos exemplos que, em Portugal, faz reciclagem de mobiliário e decoração.  

Construção

Mesmo que a preocupação não seja estritamente ecológica, muitas pessoas começam a procurar especialistas em construção para tornar as suas casas mais eficientes e reduzir as contas de água e luz. O estudo aponta esta como uma área de negócio em desenvolvimento, e destaca o investimento em telhados verdes, que são cobertos por plantas para reduzir a temperatura do ambiente e dar mais verde à paisagem. 

Paisagismo

Por falar em teclados verdes, os paisagistas estão em alta dentro dos negócios sustentáveis. Em edifícios de escritórios que precisam de certificações, muitas vezes é preciso encontrar um profissional que adeque o projeto às normas vigentes. Outro tipo de negócio importante é o de canalizador, já que boas instalações evitam o desperdício de água. 

Energia

A redução do aquecimento global depende da substituição dos combustíveis fósseis por fontes renováveis. O estudo identifica várias oportunidades para pequenas empresas que ajudem casas particulares e empresas a usarem este tipo de energia. Companhias que façam instalação de painéis de energia solar ou melhorem os isolamentos são exemplos de negócios que podem resultar nesta área. Veja o caso de sucesso da portuguesa Master Blank, que está a lucrar com a produção de espumas de isolamento térmico. 

Tecnologia

O estudo destaca a tecnologia da informação verde como uma das áreas de maior potencial. A ideia é criar negócios para prestarem serviços a outras empresas como consultorias e análises de gastos energéticos em data-centers, por exemplo. Outro exemplo é o de reciclagem de produtos eletrónicos. 

Microfinanciamento

Apesar de a maioria dos bancos se tentarem colar a uma imagem de sustentabilidade, nem sempre é fácil conseguir financiamento para negócios verdes. Por isso, o estudo apresenta fundos de investimento-semente como uma oportunidade para empreendedores sociais. Para pessoas bem posicionadas e com uma vasta rede de contactos, organizações de microfinanciamento também são uma opção.