Siga-nos

Perfil

Expresso

EDP Open Innovation

Arranque dos bootcamps do EDP Open Innovation. Primeiro dia acaba no Tejo

As 15 equipas tiveram uma longa sessão de trabalho no primeiro bootcamp na sede da EDP

Vítor Hugo

A primeira de nove sessões de trabalho do projeto de empreendedorismo do Expresso e da EDP começou sob a tónica da apresentação das 15 equipas, exercícios para desenhar o modelo de negócio e uma viagem ao estuário do rio

Está dado o pontapé de saída na 6ª edição do EDP Open Innovation com as 15 equipas finalistas reunidas no mesmo espaço pela primeira vez para o primeiro bootcamp do resto da sua participação.

O projeto de empreendedorismo do Expresso e da EDP - que resulta da união entre o Energia de Portugal e o prémio EDP Inovação - arrancou hoje ao longo do dia com o primeiro bootcamp da componente prática da competição. Organizados pela Fábrica de Startups, com base na sua metodologia Fast Start, são sessões de traballho intensas onde ao longo de diversos passos práticos e exercícios, se espera que os participantes trabalhem e moldem a sua ideia para definirem as bases de uma empresa capaz de vingar.

E foi precisamente por aí que começaram, a base. Na sede da EDP em Lisboa, as 15 equipas (7 espanholas, 4 brasileiras, 3 portuguesas e uma francesa) juntaram-se para darem os primeiros passos até ver quem ganha os €50 mil de grande prémio para a melhor ideia e os três bilhetes para a edição deste ano da Web Summit.

Uma maratona que começou às 9h30m numa sessão onde o foco estava no desenho do modelo de negócio. As introduções dos responsáveis pela sessão, seguidas das apresentações das equipas ocuparam toda a manhã para, depois do almoço, conduzirem ao primeiro exercício (de muitos) nesta edição do EDP Open Innovation, neste caso, de diagnóstico de riscos. Seguiu-se uma apresentação teórica dedicada ao modelo de negócio assim como uma primeira preparação da apresentação (elevator pitch) que as equipas terão que fazer no final da competição perante o júri e uma plateia de investidores.

O primeiro dia teve também direito a um pequeno momento de descontração no final da tarde com um passeio de networking pelo Tejo

O primeiro dia teve também direito a um pequeno momento de descontração no final da tarde com um passeio de networking pelo Tejo

Vítor Hugo

Houve ainda espaço para mais uma tarefa ligada ao modelo de negócio bem como uma lista de coisas a fazer até ao próximo bootcamp, na quarta-feira. Desta primeira sessão, levam ainda uma caixa a complementar o trabalho de equipa que nunca os pode deixar. Aos alertas lançados pelo CEO da Fábrica de Startups, António Lucena de Faria, para o muito trabalho que espera os participantes, estes ainda puderam juntar um cocktail de final de tarde em pleno Tejo, antes de lançarem mesmo mãos à obra. E atingir o sucesso.