Siga-nos

Perfil

Expresso

EDP Open Innovation

Sessões de trabalho do Open Innovation arrancam com trabalho e esperança

  • 333

Equipas finalistas estiveram a trabalhar ao longo do dia

Luis Coelho

A 5º edição do projeto de empreendedorismo do Expresso e da EDP deu o pontapé da saída nas instalações da Fábrica de Startups com o primeiro de oito bootcamps que juntam 15 equipas rumo ao prémio final de €50 mil

O som inconfundível de mãos a bater no teclado e as conversas mantidas ao som de diferentes línguas no nº11 da Rua Rodrigo de Fonseca não enganam: está de volta o projeto de empreendedorismo do Expresso e da EDP para a 5ª edição. Agora com um nome diferente - o Energia de Portugal dá lugar ao EDP Open Innovation - mas com o objetivo de estimular o empreendedorismo completamente inalterado.

No arranque do primeiro de oito bootcamps, que ao longo das próximas quatro semanas marcam a componente prática da competição, os participantes foram logo postos à prova. O modelo de negócio, a pedra basilar de qualquer ideia empreendedora, foi o foco da sessão e obrigou desde logo as equipas a estruturarem-se e apresentarem conclusões perante a plateia.

No início da sessão, a responsável pela EDP Starter, Carla Pimenta, realçou o trabalho já desempenhado pelo projeto de incubação de startups da elétrica, com destaque para os mais de 500 mil euros distribuídos em prémios, as 25 empresas e os 250 postos de trabalho criados. Um 'músculo' ao serviço dos participantes se se destacarem, com ferramentas que podem fazer a diferença.

Carla Pimenta, da EDP Starter, explicou as vantagens do projeto

Carla Pimenta, da EDP Starter, explicou as vantagens do projeto

Luis Coelho

É uma das razões pelas quais Rui Teixeira da Heaboo se candidatou. Com um "projeto ligado à sustentabilidade energética", quer entrar nesse mundo sem antes aproveitar estas semanas para "aperfeiçoar o modelo de negócio" e "acrescentar valor." Para Amparo Roca, o impacto do primeiro dia foi "muito positivo" apesar do "cansaço da viagem" que foi feita hoje. De Múrcia para Portugal, está "impressionada com o método" (e também com a comida) e espera encontrar "parcerias."

José Vasconcelos e Sousa, professor e um dos mentores do projeto foi o cicerone do bootcamp e pediu dedicação às 15 equipas (5 de Portugal, 5 do Brasil e 5 de Espanha) para aproveitarem "a oportunidade" e não terem medo de "fazer as perguntas complicadas", algo essencial para o processo e que "não magoa o ego."

Com vontade de aproveitar tudo estão Marcelo Lopes e Marcos Endo, do Brasil, que não quiserem perder a chance de "lidar diretamente com os principais players do mercado energético." Num ambiente "ótimo", onde se "valoriza a partilha de experiências", a diversidade de ideias e pessoas é um fator de destaque. Viajantes experimentados, já conhecem bem Portugal, mas agora regressam com o sucesso na cabeça.

Projeto de empreendedorismo do Expresso e da EDP o Open Innovation realiza-se ao longo das próximas quatro semanas. A competição termina a 3 de novembro, com um Investment Pitch em que cada equipa vai apresentar o seu projeto perante júri e investidores. Os vencededores vão receber um prémio final de €50 mil e os três melhores, terão um lugar no stand da EDP na Web Summit em Lisboa. Para seguir no nosso site e nas plataformas sociais do grupo Impresa.