Siga-nos

Perfil

Click Portugal

Click Portugal

Dez coisas que vão mudar na banca: alcance competitivo

  • 333

David McNamara

A influência de um banco não se vai medir pela quantidade de agências que tem, mas sim pelas licenças, tecnologia e orçamento de publicidade. É o nono de dez artigos que ainda esta semana apresentamos sobre as mudanças que se avizinham na banca

O número de operações bancárias disponíveis na esfera digital é cada vez maior, pelo que a posição de um banco vai deixar de se definir em virtude da sua pegada física, ou seja, pelo número de sucursais que tem. Os bancos que surgirem vão ter menos preocupações com a procura de locais de destaque e menor necessidade de ganhar uma presença geográfica visível.

A capacidade regulatória, inovação tecnológica e orçamento de marketing serão os pilares no qual assentarão a reputação de uma instituição bancária. Esta mudança faz com que, por exemplo, bancos regionais tenham possibilidade de ganhar uma forte presença nacional ou que bancos estrangeiros consigam ganhar quota de mercado noutros países sem terem que investir dinheiro em agências. Não surpreende por isso que, atualmente, 64% dos executivos do setor questionados pela PWC olhem para as regulações e controlo de risco e capital como a maior prioridade.

Por outro lado, abre-se espaço à entrada de concorrentes "não tradicionais". 55% vê ameaças fora do sector bancário. Por isso, a comunicação será ainda mais relevante.