Siga-nos

Perfil

Expresso

Projeto 20+20

Amêndoas alentejanas com saber americano

  • 333

É baseada nos métodos americanos, ou seja, uma correta mobilização e preparação dos solos e uma rega eficiente

D.R.

A 16.ª das 20 empresas que ganharam fundos europeus nasceu em Portugal mas é tecnicamente dos Estados Unidos. Acompanhe até final do mês o projeto do Expresso em conjunto com o BCP Capital

Miguel Ângelo Pinto

Esta história começa longe, mais concretamente nos Estados Unidos da América, década de 80. Uma empresa familiar do Alentejo, ligada à agricultura, gerações e gerações, envia um dos seus membros estudar Agronomia para terras do Tio Sam, onde se formou com distinção em 1984. Com novos conhecimentos na mala de regresso a Portugal, tinha em mente dedicar-se à agricultura, mas o atraso do país foi uma barreira.

€6 milhões
Atinge este valor o investimento global na Herdade Amêndoas Doces

Apresentou uma candidatura de investimento que acabou negada por assentar em pressupostos aprendidos na sua licenciatura. Ovinos de leite criados em pastagens de regadio, com produções de 1,5 litros/dia por ovelha. Mas na época não se atingiam tais resultados com as raças existentes no país e, por isso, os técnicos responsáveis pela análise das candidaturas inviabilizaram o projeto. Cansado, voltou para os Estados Unidos da América. Criou uma empresa de sucesso ligada ao ramo imobiliário e, desde 2005, tem investido e acompanhado o desenvolvimento da produção de amêndoa no país. Até que chegou o momento da Herdade Amêndoas Doces, na Ervideira.

Francisco Leal Costa viu então na construção do grande lago do Alqueva, e consequente transformação de áreas de sequeiro em regadio através das obras levadas a cabo pela EDIA (Empresa De Desenvolvimento E Infraestruturas Do Alqueva), a altura ideal para investir em Portugal, num ramo que já conhece e domina nos EUA. “A partir de 2013, adquiri propriedades no Alentejo onde serão efetuados investimentos na plantação de pomar de amêndoas, com base nos métodos americanos, ou seja, uma correta mobilização e preparação dos solos e uma rega eficiente”, diz, adiantando ainda que “todo este projeto é acompanhado por técnicos americanos que se deslocam à exploração com regularidade para acompanhar os trabalhos e assim conseguir-se uma produção acima das três toneladas e meia e miolo de amêndoa por hectare”.

Neste momento, já existem perto de 175 hectares de pomar instalados, iniciando a plantação de mais 175 hectares durante este ano. Para este investimento, foram apresentadas duas candidaturas de jovens agricultores, filho e nora, no valor total de aproximadamente seis milhões de euros. A produção de amêndoa destina-se ao mercado nacional, mas com a possível construção de uma fábrica de descasque o mercado europeu é o grande alvo a atingir.

Até 26 de fevereiro, o Expresso e o BCP Capital vão contar histórias de 20 empresas que já ganharam os fundos do Portugal 2020 e têm projetos para inovar e internacionalizar. E cinco guias práticos, às sextas, caso deseje candidatar-se aos fundos