Siga-nos

Perfil

Expresso

Projeto 20+20

BMW, Porsche e Maserati. Marcas à medida da Moldegama

  • 333

A empresa de Alcobaça registou em 2015 uma faturação na ordem dos €9 milhões

Tiago Miranda

A empresa de Alcobaça trabalha com grandes nomes do sector automóvel. Eis o 11.º de 20 negócios que ganharam fundos comunitários e que o Expresso e o BCP Capital apresentam até ao final do mês

Miguel Ângelo Pinto

No princípio está o molde. É a base de produtos que utilizamos todos os dias, onde começam a ganhar forma utensílios sem os quais já não conseguimos praticamente viver. 11 pessoas perceberam, em 1987, potencial do negócio e fundaram a Moldegama. No início, a empresa de Pataias (Alcobaça) dedicou-se aos moldes para utilidades domésticas, eletrodomésticos e brinquedos, tendo na altura como principal mercado os Estados Unidos da América. Entretanto, as transformações sucederam-se e o seu mercado alvo passou a ser o setor automóvel. Hoje, a Moldegama é especialista no fabrico de moldes para peças cromadas, estéticas e técnicas.

€3,1 milhões
Valor do investimento obtido através do Portugal 2020

Entre os clientes da empresa estão grandes do setor automóvel, como a Magna, ZKW, SRG, Continental ou Flex-n-Gate. Exporta 100% da produção, na sua maioria para a Europa, chegando ainda ao México. O seu trabalho patente em marcas de topo como a BMW, Audi, VW, Porsche, Maserati e Ford, tendo registado em 2015 uma faturação na ordem dos nove milhões de euros.

Mas a evolução num mercado competitivo exige investimento constante e a Moldegama encontrou no programa Portugal 2020 um aliado perfeito para os novos caminhos que ambiciona trilhar. O valor do investimento obtido é de 3,1 milhões de euros e, segundo a administradora Andreia Fortes, “permitirá fortalecer a sua já notável posição na cadeia de valor da indústria automóvel e entrar noutros setores, como o aeronáutico e o dos dispositivos médicos, oferecendo moldes técnicos de elevada qualidade, em maior quantidade, com maior eficiência e em tempos mais curtos”.

A Moldegama iniciou o seu processo de internacionalização em finais de 2014 com a criação de uma empresa em Valência, a Moldegama III Services. Segundo Andreia Fortes, a tomada de decisão de expansão do grupo “adveio da identificação da oportunidade e, simultaneamente, necessidade que o mercado espanhol representa atualmente para a empresa”, lembrando que “alguns clientes de grande importância têm fábricas localizadas em Espanha e manifestam uma necessidade cada vez mais premente de terem apoio in loco”.

Já em finais de 2015, a HMM, holding que detém a Moldegama Moulds e a Moldegama III Services, adquiriu 50% das ações de uma empresa que se dedica à injeção de magnésio. Para o triénio 2016/2018, o grupo pretende abrir uma nova empresa no México e ainda criar outra em Portugal que se dedique à injeção multimaterial, no que será a primeira unidade do país a utilizar esta tecnologia.

Até 26 de fevereiro, o Expresso e o BCP Capital vão contar histórias de 20 empresas que já ganharam os fundos do Portugal 2020 e têm projetos para inovar e internacionalizar. E cinco guias práticos, às sextas, caso deseje candidatar-se ao programa comunitário