Siga-nos

Perfil

Expresso

Projeto 20+20

Fibras naturais e sustentáveis levam a Tintex ao topo da Europa

  • 333

Em Munique, na maior feira mundial de desporto, a Tintex acumulou distinções. Conseguiu ter dois produtos no top 10 e cinco no top 25

Lucília Monteiro

É de Viana do Castelo a 10.ª das 20 empresas que ganharam os fundos comunitários e que o Expresso e o BCP Capital apresentam até ao final do mês

Miguel Ângelo Pinto

Setor de vasta tradição em Portugal, o têxtil sempre foi encarado como um elemento fulcral na economia nacional, assumindo-se como um empregador de referência e dono de uma fatia considerável do esforço exportador. Com a globalização, o têxtil passou por momentos complicados, aguentando o embate dos mercados emergentes, situação que começou a ser revertida com a aposta na inovação e em produtos de qualidade superior.

€5 milhões de euros
É o que a Tintex tem para cinco projetos no âmbito do Portugal 2020

A Tintex nasceu em 1998, em Vila Nova de Cerveira, entrando num mercado quase inexistente no nosso país, o das fibras naturais e sustentáveis, começando em 2000 a trabalhar com a Lyocell. Rapidamente se impôs no mercado europeu, iniciando o seu percurso de empresa exportadora em 2002. Em 2015 atingiu um volume de vendas a rondar os nove milhões de euros, valor que espera duplicar nos próximos três anos, até porque acaba agora de iniciar uma linha de mercerização e outra de coating, que lhe permite apresentar às marcas de renome com quem trabalha artigos distintos e inesperados.

Mário Jorge Silva, administrador da Tintex, diz que a imagem de marca da empresa “é a sustentabilidade, inovação e qualidade dos produtos, aos quais confere um toque de distinção através de um apurado design”. A outra aposta recente da Tintex é Active Sport, uma área onde se apresentaram pela primeira vez na ISPO, maior feira mundial de desporto que decorreu em Munique. “Arrecadamos o primeiro lugar na categoria outer Layer. Conseguimos ter dois produtos no top 10 e cinco no top 25. A linha de coating personifica o último desenvolvimento em revestimento de malhas e atira-nos para novos mercados com enorme procura”, refere Mário Jorge Silva.

A empresa de Vila Nova de Cerveira acaba de iniciar uma inovadora linha que lhe permite apresentar às marcas de renome artigos distintos e inesperados

A empresa de Vila Nova de Cerveira acaba de iniciar uma inovadora linha que lhe permite apresentar às marcas de renome artigos distintos e inesperados

Toda esta aposta implica investimentos avultados. Para isso, a Tintex está envolvida em cinco projetos no âmbito do Portugal 2020, no valor de cinco milhões de euros, em vários segmentos, como a Inovação produtiva, Internacionalização, Qualificação e I&DT. O maior destes investimentos é o da Inovação produtiva, com mais de 3,6 milhões de euros e onde pontificam as duas novas grandes linhas da empresa, mercerização e coating.

A Tintex investiu também em painéis fotovoltaicos e LEDS, com objetivo de reduzir em cerca de 30% a sua fatura energética e honrar os seus pergaminhos de empresa alinhada com a sustentabilidade. A renovação do laboratório, a construção de um novo showroom, o projeto de expansão comercial para novos mercados e os programas de investigação com instituições científicas, como o Centi ou a Universidade do Minho, são as outras áreas que tomam conta dos recursos que restam. Tudo para reforçar a presença da Tintex no espaço europeu, o mercado de referência para a empresa.

Até 26 de fevereiro, o Expresso e o BCP Capital vão contar histórias de 20 empresas que já ganharam os fundos do Portugal 2020 e têm projetos para inovar e internacionalizar. E cinco guias práticos, às sextas, caso deseje candidatar-se ao programa comunitário