Siga-nos

Perfil

Expresso

Projeto 20+20

A Feerica espalha pelos multibancos a tinta que mancha as notas

  • 333

Sistema tem capacidade para operar em ambientes de explosão e uma solução que evita neutralizações por falha humana

Tiago Miranda

Com a empresa de Mafra o roubo já não compensa. É a sétima história de 20 projetos que ganharam os fundos do Portugal 2020. Casos de sucesso que o Expresso e o BCP Capital contam até final do mês

Miguel Ângelo Pinto

Para dissuadir qualquer candidato à áurea de Bonnie & Clyde dos tempos modernos, a Feerica desenvolve, produz e comercializa soluções de segurança para o mercado bancário. Uma das mais conhecidas, e o pesadelo de qualquer ladrão, é o sistema de neutralização de notas por tinta, denominado Smartstain, que possui homologação do SIBS e do Banco de Portugal, encontrando-se já a ser comercializado em outros países.

€150 mil
É o valor que ronda o investimento no âmbito do programa Portugal 2020

Aliás, tem registado um enorme êxito em França, onde foi objeto de uma certificação muitíssimo complexa, a qual só dois grandes fabricantes a nível mundial lograram atingir. Paulo Duarte, administrador da empresa, refere que “este sistema tem capacidade para operar em ambientes de explosão, apresentando ainda uma solução patenteada que evita neutralizações por falha humana”.

Para o produto Smartstain, a Feerica optou por um Projeto de Apoio à Internacionalização, no âmbito do Portugal 2020, sendo que o investimento inicial é de aproximadamente 150 mil euros. Neste momento, além de França, este sistema já está a ser comercializado no Chile e na Malásia e muito perto de iniciar a operação no Brasil e no México.

Nuno Abrantes e Paulo Duarte, administradores da Feerica, empresa empenhada na segurança bancária

Nuno Abrantes e Paulo Duarte, administradores da Feerica, empresa empenhada na segurança bancária

Tiago Miranda

Neste momento, a Feerica também desenvolve o sistema Perla, equipamento que efetua depósitos de notas para dentro de um pequeno cofre, contando-as e validando-as, permitindo ainda fazer levantamentos de numerário para pagamentos a fornecedores ou para constituir fundos de caixa. “Toda esta informação fica disponível num portal web, onde o proprietário da máquina poderá aceder e controlar todo o fluxo financeiro gerado na sua empresa. No mesmo portal, poderá ainda configurar todas as características do equipamento, desde os utilizadores e respetivas permissões, até às características de funcionamento”, segundo o administrador.

A máquina também envia notificações por email, SMS ou app para o proprietário. Trata-se de um produto que com todas as funcionalidades que oferece e com o posicionamento de preço que possui (57 euros por mês) se assume como algo totalmente novo, quer em Portugal, quer no resto do mundo.

Até 26 de fevereiro, o Expresso e o BCP Capital vão contar histórias de 20 empresas que já ganharam os fundos do Portugal 2020 e têm projetos para inovar e internacionalizar. E cinco guias práticos, às sextas, caso deseje candidatar-se ao programa comunitário