Siga-nos

Perfil

Expresso

Iniciativas e Produtos

Dicas de Saúde: o sol não precisa de ser inimigo

A relação entre o sol e o envelhecimento da pele é estreita e merecedora de cuidados. Nos próximos meses, vamos lançar um largo conjunto de sugestões no campo da saúde. Acompanhe esta parceria Expresso/Farmácias Portuguesas

Conteúdo vídeo fornecido pelas Farmácias Portuguesas

A exposição ao sol, com os cuidados devidos (que nunca é de mais recordar, como pode ver no vídeo) é importante para a nossa saúde, sobretudo na produção de vitamina D. Claro que a exposição indevida ao sol é uma ameaça e dados da Organização Mundial de saúde apontam para que mais de 90% dos efeitos de envelhecimento da pele sejam resultado do contacto como resultado do contacto exagerado (ou não protegido) com sol. Efeito das radiações ultravioleta que emite (UV) e que podemos dividir em duas vertentes. A saber:

Raios ultravioleta A (UVA)

A radiação UVA, presente ao durante todo o ano é a que penetra mais profundamente na pele. A exposição prolongada a esta radiação é responsável pelo envelhecimento precoce da pele, nomeadamente pelo aparecimento de manchas e rugas.

Raios ultravioleta B (UVB)

A radiação UVB atua sobre a melanina, substância responsável pela cor da pele, deixando-nos bronzeados. Também está na origem das queimaduras solares (escaldões), já que atinge mais a superfície da pele.

Tanto um como outro contribuem para o aparecimento de cancro da pele, do qual o sol é o principal responsável. O melanoma, que é um tipo de tumor maligno, é o caso mais comum e tem uma incidência de cerca de 10 novos casos por cada 100 mil habitantes, ou seja, cerca de 1000 novos casos por ano.

Já no que toca à componente estética, as exposições consecutivas da pele ao sol danificam a pele. Fica seca, desidratada e a descamar enquanto o rosto e outras zonas do corpo, ficam marcados com sinais de fotoenvelhecimento da pele e manchas de hiperpigmentação. Costumam concentrar-se nas zonas mais expostas ao sol - face, mãos, ombros, braços e zona do decote. Surgem sobretudo em peles claras e são mais comuns nas pessoas que se expõem excessivamente ao sol sem proteção. Nas grávidas, aparecem sobretudo no rosto graças à ação conjunta das hormonas e da radiação solar, formando o “pano da gravidez”.

Caso não ocorram alterações na cor, tamanho, forma e simetria, tanto os sinais de fotoenvelhecimento como as manchas de hiperpigmentação são inofensivos, embora revelem o envelhecimento precoce da pele. Caso a prevenção não tenha sido a mais correta e para casos piores, existem produtos despigmentantes que permitem atenuar as manchas deixando a pele mais uniforme e prevenindo o aparecimento de novas marcas.

Tal como as manchas, as rugas (principal sinal de fotoenvelhecimento da pele), podem ser prevenidas através do uso diário de protetor solar durante todo ano, nas zonas expostas, ou evitando as horas de calor mais intenso. Seja como for, com céu limpo ou nublado, nas zonas mais ou menos expostas, quente ou fria, a abordagem pró-ativa da prevenção é a forma mais eficaz de evitar estes problemas.