36
Anterior
"Cinco erros crassos que estão a destruir o emprego em Portugal"
Seguinte
Novo ataque terrorista na Turquia
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Geeks 'atacam' no Algarve

Geeks 'atacam' no Algarve

Fazer um fato, colocar lentes de contato e uma peruca às cores. Não é o Carnaval, chama-se Cosplay e pela primeira vez saiu à rua em Faro, no Manga&Comic Event do Algarve.
|
Jiraya, Chris, Soushi, Sailor Mars e Hatsune Miku foram algumas das personagens de anime e manga encarnadas pelas fãs portuguesas, no I Comic&Manga do Algarve.
Jiraya, Chris, Soushi, Sailor Mars e Hatsune Miku foram algumas das personagens de anime e manga encarnadas pelas fãs portuguesas, no I Comic&Manga do Algarve. / Mário Lino

O que têm em comum Jiraya, Chris, Soushi ou a Sailor Mars? Não existem. Ou, pelo menos, existem apenas na televisão. Mas há pessoas de carne e osso que gostariam mesmo que as personagens de anime tivessem vida e por isso dão-se ao luxo de enveredar por uma modalidade ainda desconhecida em Portugal, o Cosplay.

Em Faro, na Associação Faro 1540, o núcleo de Geeks (também conhecidos como nerds ou totós), organizou pela primeira vez no Algarve o primeiro Manga & Comic Event do Algarve, iniciativa que juntou demonstrações de Cosplay - abreviatura de costume play, ou brincar aos fatos - exibição de clássicos da animação, exposições, ilustração, debates, videojogos, jogos de cartas e stands comerciais com manga, comics, peluches, figuras e merchandising, para além de workshops de ilustração, entre outros.

O evento teve ainda direito a um desfile de Cosplay, modalidade que consiste em encarnar personagens de anime ou manga (animação japonesa), criando caracterização para ficar o mais próxima possível dos bonecos das séries da televisão. Veja o vídeo.


Opinião


Multimédia

Lombinho de porco com broa e batata a murro

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 


Comentários 36 Comentar
ordenar por:
mais votados
Macário Correia e o dinheiro do Povo
De caras,há aqui algum subsídio,ó Macário!
Re: Macário Correia e o dinheiro do Povo
Desmiolados
Com tanto que fazer, onde se pode ser útil a alguém, andam estes/estas palermas a brincar aos desenhos animados japoneses. Isto define e esclarece muito sobre as razões do nosso atraso. Que sociedade se pode construir com base nestas mioleiras, embrutecidas pela publicidade, pelas modas bacocas, pelas novelas, pelos cast e cantorias, apimentado com carradas de futebol. Ontem, os canais de informação , pagos, estiveram, os 3, toda a noite a futebolar.

Assim não admira que se oiçam e escrevam as maiores barbaridades, fruto dessa ignorância básica a que se junta o atrevimento dos néscios.

Pobre futuro nos espera.........

Nota: Não acredito que o Macário tenha dado um tostão, para semelhante aborto...........
Re: Desmiolados
Re: Desmiolados
Re: O que nos espera?
Re: O que nos espera?
Re: Desmiolados
Re: Desmiolados
Re: Desmiolados
Re: Desmiolados
Re: Desmiolados
Re: Desmiolados
Re: Desmiolados
Re: Desmiolados
Re: Desmiolados
Re: Desmiolados
Re: Desmiolados
Re: Desmiolados
Re: Desmiolados
E a sua "tribo"? Qual é?
Re: Desmiolados
re:Desmiolados
Re: Desmiolados
Re: Desmiolados
isto só pode ser:
Um bando de palhaços vestidos de parvos a fazerem palhaçadas para um bando de parvos...
Re: isto só pode ser:
Re: isto só pode ser:
Sinais
Com este assunto dos desenhos japoneses, fiquei a saber algo que nem me passava pela cabeça e que mereceria a tenção de estudiosos.

Estamos perante a criação de universos imaginários, em que jovens assumem as personalidades dos bonecos, os imitam, se vestem a condizer e , de algum modo, pretendem dar-lhes vida.

Presumo que tudo isto é resultante de doses maciças de televisão e de internet, que lhes cria vias de fuga à realidade. Este tipo de comportamento não é novo, há dezenas de anos que jovens americanos idealizam aventuras do capitão américa ou homem-morcego. Há também casos, especialmente no Japão de jovens fechados nos quartos durante meses, onde só escutam música e navegam na net.

Na minha opinião, o perigo que se corre é estar a formar-se uma geração de gente desinteressada da vida normal e corrente, da política, da escola, da solidariedade, que secundarizam em relação às suas fantasias.

Pelo calor, pelo empenho com que defendem as suas posições, nota-se mesmo que esse espírito de seita já é intenso, rechaçando qualquer crítica ou dúvida, como dignas de atrasados mentais.

Bom campo de trabalho para sociólogos............
Re: Sinais
Re: Sinais
problema
O problema, é que num País de dimensões de um penico dar importância a minorias que fazem uma festa "privada", sem contexto nenhum mas uma publicidade desgraçada... devem dormir todos junto na mesma cama...
"publicidade"
ingorância
Santa ignorância que para aqui vai em certos comentários...
Metam-se na vossa vida. Gente que trabalha arduamente gasta como quer, e ninguém tem nada com isso. Não faço cosplay mas admiro os temas que certos mangas e animes transmitem, e quem critica sem saber só se faz de asno.
Depois diz-se que deve-se apoiar o que é português e tal... mas quem é que disse que não? Mania do complexo de inferioridade. Uma coisa não anula a outra. Gostar de cultura japonesa não implica renunciar a nossa. Bando de ignorantes.
Re: Geeks 'atacam' no Algarve
Esta noticia foi uma perda de tempo, e em vez de andarem à procura de notícias a sério fazem passar pessoas que gostam de determinadas coisas como palermas. Isto é descriminação mas eu compreendo. Portugal é um país de retardados que ainda andam nas cavernas e que se vêm algo que não tão habituados atiram-lhe calhaus a cara. Mas de futebol já ninguém se queixa, os milhões que eles ganham que ganham mais que um médico ou um bombeiro. Desses já ninguém perde o tempo porque gostam de futebol MAS HAJA ALGUÉM QUE GOSTE DE OUTRA COISA! E caem-lhes logo em cima. não chame estes jovens de palermas, que burrice há naqueles que votaram no PSD para dirigir o país e naqueles cuja palavra discriminação os enche a barriga como um bom hamburger que eles comeram enquanto viram o futebol na Sport TV.

Gostos são gostos e estes não se discutem, mas como os comentadores não são espertos o suficiente para perceberem isto, eles criticam, mas não faz mal, é só normal que retardados pensem desta maneira ^^
Parabéns, ignorâncias e o elogio da intolerância
1. Antes de mais, parabéns ao 1540 pela iniciativa! Já há muito tempo que se falava em fazer um evento no Algarve e finalmente conseguiram. Espero que continuêm com o bom trabalho.

2. Claramente que falta investigação ao sr. Mario Lino, algo infelizmente já comum quando a imprensa se decide a cobrir eventos do género. Para além da utilização de termos depreciativos, é manifesto o desconhecimento sobre o que está aqui a tratar, dando um cariz reductor a este género de acções.

3. A intolerância e ignorância reveladas por algumas das pessoas que aqui vieram comentar ofende qualquer entendimento que hoje em dia se possa ter por conceitos básicos como "respeito", "tolerância" e "liberdade". Está no direito de cada um gostar ou não do que este grupo de jovens fez no Algarve e expressar essa mesma opinião, mas dai a culpabilizá-los pelo estado desgraçado do país é, vá, parvo. Existe muita gente a culpar por isso (devendo cada um olhar primeiro para o seu umbigo e descobrir a sua quota-parte de responsabilidade), mas não serão uns jovens animados que gostam de interpretar personagens de livros e bandas-desenhadas (e que não gastam um cêntimo do dinheiro fos contribuintes, veja-se lá bem!).
E como a opinião, está também no direito de cada um expressar-se cultural e artisticamente da forma que melhor entender, desde que não fira a lei, nem as liberdades de outros. Forma esta que, por acaso, já tem levado Portugal a eventos internacionais e de onde já se trouxera vários troféus.
Comentários 36 Comentar

Últimas


Pub