Anterior
Plantel do Varzim não tem comparecido nas instalações do clube
Seguinte
Festival Internacional de Música continua a superar obstáculos
Página Inicial   >  Blogues  >  Blogues da Rede Expresso  >  Póvoa Semanário   >   Hospitais Senhor do Bonfim abrem no final do ano

Hospitais Senhor do Bonfim abrem no final do ano

Póvoa Semanário  - Hospitais Senhor do Bonfim abrem no final do ano

Dois anos depois da colocação da primeira pedra, os administradores dos Hospitais Senhor do Bonfim mostraram o andamento das obras, que até ao momento já custaram 35 milhões de euros. O Clube de Geriátrico, o refeitório e o Centro Neurológico têm inauguração prevista para o final deste ano

 

O complexo dos Hospitais Senhor do Bonfim (HSB) surge da iniciativa do empresário poveiro Manuel Agonia, sendo uma instituição privada e vocacionada para a prestação de cuidados de saúde. Constituída por um complexo de unidades de natureza residencial, hospitalar e de serviços de ambulatório, as unidades de saúde concentram-se numa extensa propriedade de 13 hectares, na freguesia de Touguinhó, Vila do Conde.

Formado por oito edifícios autónomos, com capacidade para 525 camas, os serviços médicos terão enfoque nas áreas de Geriatria, Pediatria, Neurologia e Psiquiatria. As doenças de Alzheimer, Bipolar, Esquizofrenia e Parkinson serão outro dos destaques dos HSB, em instalações modernas e inovadoras a nível nacional e europeu, sublinha Manuel Agonia.

O Hospital Geral - Bloco Operatório e o Centro Neurológico conta com instalações e corpos clínicos próprios. O primeiro em dois edifícios autónomos, numa área total de 13.700 metros quadrados, 113 quartos duplos e 15 individuais, num total de 241 camas; sete salas de bloco operatório, duas salas de partos, uma sala de recobro e uma sala de cuidados intensivos, sala de estar e de refeições em todos os pisos de internamento. Já o Centro Neurológico ocupa uma área de 7.047 metros quadrados em três pisos, com quartos duplos, num total de 168 camas, além das seis salas de consulta, serviços clínicos e de refeições.

Em outro edifício autónomo insere-se a unidade residencial, com 6.380 metros quadrados, quatro pisos, com 58 quartos duplos e 116 camas, sala de refeições, auditório, áreas de lazer e serviços auxiliares de apoio a residentes com mobilidade condicionada.

Por sua vez, a unidade de serviços de ambulatório irá oferecer serviços de consulta em praticamente todas as especialidades médicas, serviços médicos, pequena cirurgia e serviço de diagnóstico e tratamento, ocupando o maior edifício do complexo, com uma área total de 13.675metros quadrados, distribuída por cinco pisos.

No complexo, foi ainda reservado um espaço para a Capela do Senhor do Bonfim, com uma arquitectura exclusiva, além de cozinhas centrais e restaurantes, armazéns gerais e de farmácia, portaria e recepção.

 

Projecto de Interesse Nacional

Este projecto foi considerado pela Comissão de Avaliação e Acompanhamento como Projecto de Potencial Interesse Nacional, distinção que orgulha Manuel Agonia, dado que as unidades de saúde vão gerar cerca de 850 novos postos de trabalho, prevendo-se que metade integre os quadros técnicos e superiores.

 

"A saúde é um negócio"

É esta a convicção de Manuel Agonia, que há 25 anos inaugurou a Clipóvoa, defendendo: "os HSB estão adiantados em tudo o que se fez no país e na Europa". O presidente do Conselho de Administração defende que este Hospital está avançado no tempo, sublinhando: "quando inaugurei a Clipóvoa disseram-me que estava adiantado 20 anos para a época. Quanto a este dizem que está 50 anos adiantado".

Um dos objectivos destes Hospitais é prestar serviços médicos em todo o mundo, com consultas via telemedicina e marcação de exames. "Com o Aeroporto Sá Carneiro a 15 minutos de distância e a Estrada Nacional 206 à porta, temos todas as acessibilidades para receber doentes de qualquer parte", revelou Manuel Agonia, que pretende que os serviços estejam acessíveis a todo o mundo. "Os Hospitais Senhor do Bonfim vão falar mais em Vila do Conde do que em Portugal", salientou Manuel Agonia, sobre este complexo que tem está orçado em mais de 90 milhões de euros. 

 

Protocolo visa parceria com Serviço Nacional de Saúde

No sentido dos Hospitais Senhor do Bonfim integrarem o Serviço Nacional de Saúde, foi assinado um protocolo entre a administração dos Hospitais e a Câmara Municipal de Vila do Conde, onde a Sociedade promotora e a autarquia se dispõem a colaborar no sentido dos HSB virem a merecer um lugar no Sistema Nacional de Saúde. Sobre o protocolo, Mário de Almeida, presidente da Câmara de Vila do Conde sublinhou a importância desta instituição no SNS: "é impensável que o Estado não reconheça que este hospital tem condições para atender ao serviço público, às pessoas que pagam as suas contribuições. É um hospital com enorme capacidade, procurado por portugueses e estrangeiros e que as pessoas daqui não venham, porque o Estado não o incluiu no SNS será impensável".

Apesar desta parceria, a ARS Norte e nenhum membro do Ministério da Saúde se fez representar na visita ao espaço, facto que não passou despercebido à Administração do Hospital Senhor do Bonfim.


Opinião


Multimédia

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 0 Comentar

Últimas

Ecos dos anos 30

As tendências da economia parecem caóticas e insondáveis até percebermos ...

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub