23 de abril de 2014 às 12:07
Página Inicial  ⁄  Blogues  ⁄  Blogues Economia  ⁄  As aventuras de uma empreendedora  ⁄  Há quem tenha medo...

Há quem tenha medo...

Ana Campos

Ética nas empresas. Há quem considere uma utopia, outros que é algo muito bonito que consta nas brochuras das empresas mas que não passa de teoria. Também já ouvi que "às vezes basta uma pessoa imoral para estragar toda a organização" ou que "quem lidera é quem determina a existência de ética empresarial ou a falta desta".

Fala-se de crise de valores, mas não terá sido o uso inapropriado de certos valores que nos levaram à crise económica e social em que nos encontramos atualmente? Será que a crise de valores foi a que originou e antecedeu todos os outros tipos de crise?

Parece imperativo voltarmos a valorizar, a privilegiar e a colocar em prática os valores morais como, por exemplo, a equidade, a transparência, a integridade e a honestidade, em detrimento de valores nefastos, que beneficiam poucos e prejudicam todo o conjunto, e que devem começar a ser responsabilizados e punidos.

Provavelmente o primeiro passo é acreditarmos todos na ética empresarial para que esta passe da teoria à prática e seja vista como uma prioridade de forma a restabelecermos os níveis de confiança em prol do progresso.

A ética empresarial deve ser intrínseca na cultura das empresas e ser aplicada diariamente por todos e sem exceção de forma a termos uma economia mais competitiva a longo prazo. Quando nos depararmos e chocarmos com valores que contrariam o que é considerado moralmente correto temos de saber dizer não e defendermos o que está certo. Se somos prejudicados por isso? Quem sabe se isso depende, de facto, da moralidade de quem lidera.

Será que esta crise trará o benefício de se restituírem Os Valores e serão estes os pilares para a sociedade e país que queremos?

Comentários 3 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Na terra
Tenho alguma dificuldade em compreender o que é a equidade em questões empresariais.
Acrescento que em todas as épocas do mundo existiram, desonestos e pouco íntegros empresários/comerciantes/artífices, o que lhe queira chamar.
O problema não reside aí. A grande falha é o sistema económico em Portugal não agir de forma a impedir/desincentivar práticas socialmente desonestas pela teia de relações muito pouco transparentes em actividade.
Não tenho dúvidas
"às vezes basta uma pessoa imoral para estragar toda a organização" ou que "quem lidera é quem determina a existência de ética empresarial ou a falta desta".

Excelente!
Ética.Sim.
Começemos por aqui ""Quem é amigo de Portugal é bem tratado pelos portugueses" - Ministro dos Negócios Estrangeiros (Paulo Portas)

E lucidez?
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub