0
Anterior
Vai uma salada?
Seguinte
Fruta ou chocolate
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Há caracóis!

Há caracóis!

Há caracóis!

Lisboa


O FILHO DO MENINO JÚLIO DOS CARACÓIS
Morada Rua Vale Formoso de cima, 140-B (Lisboa)
Preços Prato: 4,80 euros; Imperial: 1 euro

Quem pergunta pelos melhores caracóis de Lisboa aos habitués deste petisco leva como resposta: "Os melhores são os do Júlio ali para os lados de Xabregas". Fomos confirmar. A sala está cheia, assim como as paredes, forradas com fotografias de gente famosa que visita a casa. Os empregados empilham quatro a cinco pratos de caracóis nas mãos e vão servindo a um ritmo alucinante. Há fila lá fora, junto à pequena esplanada. Os caracóis apresentam-se quentes, mal se consegue pegar neles. Mas assim que se mete o primeiro na boca... o difícil é parar.

TÚNEL DE SANTOS
Morada Largo de Santos, 1 A-B-C (Santos)
Preços Pires: 3 euros; Prato: 5,50 euros; Imperial: 0,75 euros

Quem passa e olha lá para dentro, para o restaurante, fica na dúvida se servirão caracóis. Mas na esplanada, os pratos em cima das mesas são esclarecedores. Há caracóis sim senhor e dos bons. Destacam-se no paladar os orégãos e um picantezinho, mas sem esconder o sabor original dos caracóis. "Consegue perceber-se se pastaram bem ou não", disse com ar entendido um dos provadores. Ou seja, para quem gosta de um saborzinho mais acentuado, estão no ponto!

O FAROL DA TORRE
Morada Rua da Praia do Bom Sucesso, 102 (Belém)
Preços Travessa: 6 euros; Imperial: 0,80 euros

Situado num prédio que exibe uma placa onde se lê "perigo de derrocada", nem por isso tem pouca gente este restaurante/cervejaria. Gente nova não falta por aqui, misturada com os moradores do bairro. Mas vamos ao que interessa. Foram os caracóis mais salgados que encontrámos, e também os mais frios. Com um ligeiro sabor amargo, são salvos pelo alho e picante, e ganhariam bastante se fossem servidos mais quentes.

EDUARDO DAS CONQUILHAS
Morada Rua Capitão Leitão, 8 (Parede)
Preços Pires: 4 euros; Prato: 5,25 euros; Imperial, 1 euro

À entrada num azulejo do balcão do lado esquerdo o Eduardo aconselha: "não traga pressa, traga apetite". Criada em 1965, a casa é conhecida sobretudo pelos bivalves que lhe dão nome, mas são os caracóis que vendem mais em Junho e Julho. De tamanho médio, têm acentuado sabor a orégãos e picante que puxa à bebida. Com sorte vêem-se as malaguetas no prato e tudo. Lá fora há uma pequena esplanada, o sítio preferido dos fumadores, com vista para a linha de comboio. Para quem gosta de picante, são imperdíveis!

Porto


Os portuenses nem querem ouvir falar em caracóis. Em 2007, Belmiro Domingos, um inventivo apaixonado por esses moluscos, ainda arriscou fazer a Feira do Caracol, em Leça da Palmeira. Apesar do sucesso momentâneo do evento, não parece ter ficado o hábito, e a ideia de criar uma Confraria dos Caracóis morreu na praia de Leça. Quando querem petiscar, os portuenses preferem as pataniscas, ou as moelas. E nem a francesa designação de escargot convence os desconfiados habitantes da cidade das francesinhas e das tripas a tocar nos viscosos bichos...

Algarve


O APEADEIRO
Morada Vale Formoso, Estrada Almancil-Loulé
Preços Prato grande 7,5 euros, pequeno 5 euros Imperial: 1 euro

Quase passa despercebido, mas diz quem sabe que é dos melhores pontos para se apear e comer caracóis. Em Vale Formoso, Almancil, a poucos metros da linha-férrea, O Apeadeiro tem já longa tradição nos pequenos gastrópodes, cozinhados pelo sr. Valentim. Doses bem servidas, são sumarentos. "Eles gostam de ver passar o comboio", diz a Dona Manuela, referindo-se aos clientes, não aos caracóis.

CAFÉ-RESTAURANTE DE QUERENÇA
Morada Largo da Igreja, Querença, Loulé
Preços Prato grande caracóis ou caracoletas: 7,5 euros; Imperial: 0,80 euros

Se os caracóis se dão no campo, fará sentido esperar por eles no litoral? Em Querença, uma aldeia pitoresca e bem preservada a norte de Loulé, os caracóis apanham-se à mão... no prato. No largo principal, enquanto se mede o tempo pelo badalar do sino da Igreja, espera-se pelo prato de caracóis ou até, para quem gosta, pelas caracoletas grelhadas. Também há quem venha de longe para provar outras iguarias da Serra, tal como o javali e as perdizes.

RESTAURANTE PALHACINHO
Morada Largo Dr. Francisco Sá Carneiro (Largo do Mercado), Loja 15, Faro
Preço Prato caracóis 5 euros

A escolha do nome até dá para rir, mas no Palhacinho os caracóis são de chorar... por mais. Em Faro, no novo Mercado Municipal, junto à Loja do Cidadão, a paragem para o petisco é obrigatória e à tardinha os farenses não perdoam. Os caracóis têm fama e nas horas de ponta quase é preciso 'tirar senha', tal como na Loja.


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 0 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub