Anterior
Sernancelhe: Uma vítima mortal e três feridos em acidente rodoviário
Seguinte
Dinamarca: Fábrica produz biocombustíveis a partir de gorduras animais
Página Inicial   >  Feeds  >  Última Hora Lusa  >  Actualidade  >   Guiné-Bissau: Rádios católica e islâmica de Mansoa assinam parceria

Guiné-Bissau: Rádios católica e islâmica de Mansoa assinam parceria

Bissau, 14 Ago (Lusa) - As rádios católica e islâmica de Manso assinaram um acordo de parceria para a troca de conteúdos, disse à Lusa o padre Dadive Ciocco, mais um passo para as crescentes relações ecumémicas nesta localidade a 60 quilómetros de Bissau.
Lusa |

*** Mussá Baldé, da Agência Lusa ***

Bissau, 14 Ago (Lusa) - As rádios católica e islâmica de Manso assinaram um acordo de parceria para a troca de conteúdos, disse à Lusa o padre Dadive Ciocco, mais um passo para as crescentes relações ecumémicas nesta localidade a 60 quilómetros de Bissau.

Segundo o padre Davide Ciocco, director da Rádio Sol Mansi (Amanhecer, em crioulo), o acordo, assinado na quinta-feira, visa sobretudo a troca de programas de cariz religioso, promoção da paz e saúde.

Por ser a mais bem apetrechada, a rádio Sol Mansi comprometeu-se a apoiar a rádio Escola Corânica de Mansoa (Recom) na formação dos seus elementos e possivelmente na reparação dos seus equipamentos.

A Recom é a única rádio que emite programas cem por cento de cariz islâmico na Guiné-Bissau e a Sol Mansi é a primeira rádio católica no país.

A Sol Mansi já tem cobertura nacional, enquanto a Recom está limitada à vila de Mansoa. As duas rádios destacam-se pela mensagem ecuménica que transmitem à sociedade de Mansoa.

Depois da assinatura do acordo, os dois responsáveis religiosos de Mansoa explicaram os passos que têm sido dados na fortificação da amizade entre as duas religiões na vila.

O imã Abubacar Djaló lembrou o facto de ter convidado o padre Ciocco a lançar a primeira pedra para a construção da sua escola corânica.

"Quando regressámos dos estudos corânicos no Egipto, decidimos dar uma nova orientação à escola de Mansoa", disse o imã Djaló, que classificou este gesto como "marcante".

"É um gesto que marcou o nosso relacionamento, ao ponto de o bispo (de Bissau) agradecer à comunidade islâmica de Mansoa esta aproximação", declarou.

"A confiança reforçou-se, ao ponto de sermos convidados para uma palestra num seminário de catequistas na missão católica de Mansoae", lembrou ainda o líder da comunidade islâmica de Mansoa.

Por sua vez, o padre Davide Ciocco recorda a cerimónia de Mansoa com "orgulho".

"De cada vez que estou na minha Itália natal, costumo dizer que lancei a primeira pedra para a construção de uma escola corânica. Falo disso com orgulho", afirmou Davide Ciocco. "Devo ser o único padre católico que colocou uma pedra para a construção de uma escola corânica no Mundo", brinca

Este responsável também lembra que o responsável islâmico de Mansoa assistiu às cerimónias do início da construção da igreja local.

"O imã Abubacar também presenciou à cerimónia de lançamento da primeira pedra para a construção da nova igreja de Mansoa, só não lhe dei a honrar de lançar a primeira pedra porque estava cá o bispo. Mas ele estava presente e no dia da inauguração também", destacou o padre Ciocco.

"Se queremos viver juntos temos que conhecer muito bem a religião de cada um de nós, foi por isso que convidei o imã (Abubacar) para que falasse com os catequistas acerca da religião islâmica", sublinhou o padre.

Davide Ciocco pediu, por isso, aos correspondentes da Rádio Sol Mansi para que tenham este espírito ecuménico como orientação do seu trabalho.

"Aproveito a presença de todos os nossos correspondentes da Rádio Sol Mansi para lhes dizer que devem levar este espírito do diálogo para onde quer que estejam a trabalhar", pediu o padre Davide Ciocco.

MB.

Lusa/Fim


Opinião


Multimédia

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 0 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub