15 de abril de 2014 às 21:37
Página Inicial  ⁄  Economia  ⁄  Guerra de poder divide família Queiroz Pereira

Guerra de poder divide família Queiroz Pereira

Pedro Queiroz Pereira é acusado de controlar ilegalmente a Semapa. E acusa a sua irmã Maude e o grupo Espírito Santo de quererem ficar com a proprietária da Portucel e da Secil.
Pedro Lima e Ricardo Costa
Os irmãos Pedro Queiroz Pereira e Maude Queiroz Pereira Alberto Frias (Expresso)/Paulo Miguel Martins (Caras) Os irmãos Pedro Queiroz Pereira e Maude Queiroz Pereira

Há uma guerra de poder em curso no grupo Queiroz Pereira. A transferência de uma participação entre empresas que controlam a Semapa colocou em confronto Pedro Queiroz Pereira, de 64 anos, e a sua irmã Maude, mais nova um ano, e já foi parar aos tribunais.

Pedro Queiroz Pereira, que lidera a Semapa, é acusado de ter passado a controlar este grupo de forma ilegal e diz que a família Espírito Santo está a tentar controlar a Semapa, em conjunto com Maude. Neste momento ainda decorrem negociações entre o empresário e o Grupo Espírito Santo de forma a encontrar uma solução pacífica.

Em entrevista ao Expresso, Maude Queiroz Pereira diz que "após a venda dos 10% da Cimigest à Sodim, o meu irmão deixou de precisar do meu apoio para controlar o grupo e afastou-me rapidamente da gestão das empresas".

Leia mais na edição deste sábado do Expresso.

Comentários 8 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Privatizações ao desbarato e á pressa dá nisto...
E não foi preciso nenhum FMI para obrigar o Cavaco e Guterres e outros a fazer isto (PS, PSD e CDS), porque isto foi feito nos anos 90 e seguintes...

A família Queiroz Pereira, é das tais que beneficiou da privatização previligiada aos grupos nacionais, a famílias do antigo regime. O nosso património foi vendido ao desbarato.
Embora esta não seja das piores famílias, tem o desconto de acreditar na industria, e isso ainda é de louvar. Poderá estar a ser assediada por outra família feudal, os Espirito Santo.
São estas famílias que mandam no nosso país, e que colocam o seu interesse e riqueza sucessória livre de impostos, e que beneficia o PS, PSD e CDS em generosos financiamentos e controlo da comunicação social.

E não se preocupem muito com a PT nas comunicações em Angola, porque as empresas são todas da mesma família cleptomaníaca do presidente Santos. Eles precisam das famílias oligarcas portugueses para lavar dinheiro roubado aos angolanos
Posso perguntar?
O que é que eu, como leitor, tenho a ver com as histórias privadas de uma família desentendida? Parece-me que este tipo de assuntos são para os tribunais e não para a praça pública.
Pois Ver comentário
Enfim.
Não há nada como ser filho único, ou pobre sem nada para dividir. É um descanso.
Um pouco de porno sabe sempre bem, hem Expresso?
Com a barriga cheia e aproveitando uns escravos ao serviço, o homem das notícias aqui do Expresso aprova (terá mandado antes?) uma investigação apurada sobre mais uma telenovela que envolve uma das nossas famílias mais "afortunadas" deste país...
A escumalha pode, finalmente, sentir-se alegre com o facto de que o dinheiro não traz a felicidade: vejam só como eles são infelizes!
Claro, Pedro Lima e Ricardo Costa, no fim da noite, vão beber um copo, alegres por terem feito mais um pedaço do nosso glorioso jornalismo e quando o "um copo" lhes borbulhar a consciência, vão dormir felizes por terem cumprido a sua tarefa: nenhuma p*ta a trabalhar para um proxeneta se sentiria de outro modo.
Felizmente ainda há p*tas que desdenham os proxenetas...
poder do dinheiro
Com toda essa guerra será se calhar o destino de mais algumas empresas à falência.
Ainda bem
Que às empresas privadas ainda não é permitido terem exércitos e que o estado continua a ter o monopólio da violência. Se não o tivesse o presente seria certamente muito obscuro.
Em vez de irem para
tribunal, podiam eram fazer duelos de morte entre todos e o último ficar de tal forma ferido que acabavam todos por ir desta para melhor... Era bem melhor!
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub