Página Inicial  ⁄  Dossiês  ⁄  Dossies Atualidade  ⁄  Mais austeridade  ⁄  Governo vai extinguir 139 fundações

Governo vai extinguir 139 fundações

Conselho de ministro aprovou a extinção ou mudança de estatuto para 139 fundações, cujos nomes ainda não foram divulgados.
Lusa
Conselho de ministros em reunião hoje Miguel A. Lopes/Lusa Conselho de ministros em reunião hoje

O conselho de ministros validou hoje propostas de extinção ou mudança de estatuto para 139 fundações, e a manutenção de outras 91.

Num comunicado, o conselho de ministros anuncia ter aprovado "as propostas de decisão relativas ao processo de censo às fundações", estipulando quais é que serão alvo de "extinção, redução ou cessão de apoios financeiros públicos [ou] cancelamento do estatuto de utilidade pública".

Ainda segundo o comunicado, o censo às fundações identificou 558 entidades; destas, foram excluídas as fundações religiosas e as que não responderam ao inquérito. Outras 174 fundações são de solidariedade social, alvo de um "processo de avaliação qualitativa" que "estará brevemente terminado".

Restam 230 fundações e, segundo o comunicado, foi decidida a "manutenção" para 91 delas; para as restantes 139, o destino será a extinção, o corte (parcial ou total) de dinheiros públicos ou a perda do estatuto de utilidade pública.

Lista deverá ser conhecida esta semana


O comunicado não especifica que fundações terão que destino. Inquirido pela Lusa, o Ministério das Finanças não disponibilizou a lista das 139 fundações, mas ela deverá ser conhecida ainda esta semana.

A "conclusão definitiva do processo" está pendente "dos procedimentos legalmente exigidos", lê-se no comunicado do conselho de ministros.

No mês passado, o secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, Luís Marques Guedes, foi designado pelo Executivo para avaliar as fundações.

O Governo quer extinguir "dezenas de fundações" para cortar entre 150 milhões a 200 milhões de euros por ano, cerca de metade do apoio financeiro concedido.

Comentários 10 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Fundações: mudam os nomes, ...ficam as moscas
Não quero parecer exigente, mas parece-me que foi mais 'parra que uva'.

Quase diria, perante as mudanças que prometeram, mudam os nomes ...e as moscas ficam.

Tal como com a autarquias, fica tudo à 'espera' de melhores dias. Há uma nítida falta de coragem, fulgor, confiança!

Temos de arranjar Viagra, para o Governo ter uma produção mais útil !!!
Re: Fundações: mudam os nomes, ...ficam as moscas Ver comentário
Re: Fundações: mudam os nomes, ...ficam as moscas Ver comentário
Re: Fundações: mudam os nomes, ...ficam as moscas Ver comentário
Re: Fundações: mudam os nomes, ...ficam as moscas Ver comentário
Re: Fundações: mudam os nomes, ...ficam as moscas Ver comentário
!
Penso que a primeira fundação a extinguir deve ser a "pro dignitati", também conhecida "pro clã soares".
AOS DEPUTADOS DO PSD!
Deputados do PSD, está nas vossas mãos a decisão correta e patriótica neste momento, caso haja ainda uma maioria entre vós que respeite o povo português, a democracia, a liberdade, a nossa História.

Convidarem Passos Coelho a demitir-se jÁ, para que o PSD nomei outro Primeiro Ministro, com perfil para formar um

GOVERNO DEMOCRÁTICO E PATRIÓTICO DE SALVAÇÃO NACIONAL,

tão abrangente quanto possível.

Se o não fizerem JÁ, ficarão na história como responsáveis por deixarem cair Portugal num abismo.

S eria cobardia imperdoável ficarem de braços cruzados perante esta camarilha RELVAS/PCOELHO/MENEZES/MARCO ANTÓNIO/ÂNGELO CORREIA/BORGES, etc..

Ou é JÁ, ou não passam de uns rélis vermes oportunistas, traidores da dignidade de um povo com 850 anos de História.

Governo para a rua
Os Portugueses têm de estar unidos nesta fase crítica tal como diz o Governo, mas para isso é necessário que tenhamos um Governo em quem confiar e que defenda o nosso Povo e a nossa Nação. Não precisamos que um goveno que nos ande a mentir e a violar os direitos consagrados na Constituição da República. Não queremos um governo que nos ande a roubar o subsídio de ferias e de natal, seja declarado inconstitucional esse roubo e depois não nos devolvam o dinheiro roubado. Queremos um governo que seja sincero e que consulte a opinião do Povo, oiça os seus parceiros de Governo e que tenha coragem de combater a corrupção que existe ao nível dos próprios políticos, e seja capaz de cortar efectivamente na despesa e não no bolso do Povo. Este Governo já provou não ser ter competência para representar o Povo Português, e só tem um caminho: A DEMISSÂO
Nao queremos pensos rápidos
Acho engraçado andarem a tentar colocar pensos rápidos nas asneiras e na má gestão que tem sido feita, apenas para ganhar tempo até ao orçamento. E o povo esta a ir na conversa. Ainda não perceberam que este governo nao tem competência nem a confiança do povo para Governar? Ainda não perceberam que mesmo mudando radicalmente as políticas, o povo ja não consegue suportar este Ministro das Finanças, nem o Relvas, nem o Sr Primeiro Ministro? Senhores, facam um favor ao povo, para não criarem um clima ainda pior em Portugal e, DEMITAM-SE
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub