33
Anterior
Médicos não cedem a Paulo Macedo
Seguinte
Relvas é ouvido hoje no Parlamento
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Governo vai acabar com enfermeiros low cost

Governo vai acabar com enfermeiros low cost

O ministro Paulo Macedo comprometeu-se "a indexar o valor a ser pago aos enfermeiros pela tabela em vigor para a carreira de enfermagem", anunciou o bastonário da Ordem dos Enfermeiros.
Lusa |
O Governo comprometeu-se hoje acabar com a contratação de enfermeiros a baixo custo para o Serviço Nacional de Saúde, em resposta à contestação dos profissionais, anunciou o bastonário da Ordem dos Enfermeiros, após uma reunião com o ministro da Saúde.

Germano Couto adiantou que as Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) concluiu, segundo informações transmitidas pelo ministro Paulo Macedo, que não há ilegalidades no concurso de contratação de enfermeiros, por empresas de prestação de serviços, para trabalharem em centros de saúde.

A reunião, no ministério, em Lisboa, ocorreu depois das denúncias da Ordem e do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses de que profissionais da classe tinham sido contratados por empresas de prestação de serviços para trabalharem a 3,96 euros por hora em centros de saúde da Região de Lisboa e Vale do Tejo (distritos de Lisboa, Setúbal e Santarém).

Uma situação que consideram pouco digna para a profissão e que terminou, na sexta-feira, com a concentração de meia centena de enfermeiros à porta do Ministério da Saúde.

Em declarações à agência Lusa, o bastonário da Ordem dos Enfermeiros, Germano Couto, referiu que o ministro Paulo Macedo se comprometeu hoje "a indexar o valor a ser pago aos enfermeiros pela tabela em vigor para a carreira de enfermagem". O mesmo compromisso já havia sido assumido, na quinta-feira, pelo secretário de Estado da Saúde, Manuel Teixeira, ao Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, de acordo com o seu presidente, José Carlos Martins.

Fim dos recibos verdes em novas contratações


O bastonário dos enfermeiros acrescentou que, conforme garantia do ministro da Saúde, "as contratações, daqui para a frente, de enfermeiros para a Função  Pública será feita não pela prestação de serviços, com o recurso ao recibo verde, mas através de contratos individuais de trabalho".

Depois das denúncias da contratação de enfermeiros a baixo custo, o Ministério da Saúde anunciou na terça-feira a averiguação por parte da IGAS da regularidade do processo de concurso.

Hoje, à Lusa, o bastonário da Ordem dos Enfermeiros disse que o ministro indicou "algumas conclusões, muito simples", das inspeções feitas pela IGAS e que apontam para que, "neste momento, não há situações de ilegalidade, o que não permite que o concurso seja colocado em causa ou mesmo anulado".

Germano Couto adiantou ainda que a primeira reunião do grupo de trabalho para a criação do "enfermeiro de família" ocorrerá ainda em julho.

O grupo é formado por representantes da Ordem dos Enfermeiros e do Ministério da Saúde.


Opinião


Multimédia

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.


Comentários 33 Comentar
ordenar por:
mais votados
Intermediários parasitas
Há que retirar do circuito essa intermediação que só serve sacar lucros com trabalho alheio.
Desde que sejam necessidades permanentes para o bom funcionamento dos serviços, os governos não devem recear contratar individualmente e sob condições acordadas.

Quanto a essas empresas, funcionarão como bolsas de profissionais, para suprir faltas inesperadas.

  Nunca um serviço pode funcionar bem, se a base de recrutamento for pessoal eventual, que entra e sai, sem ligação à tarefa. Não se pode exigir a mesma responsabilidade a quem anda sempre a correr, de serviço para serviço......
Re: Intermediários parasitas
Re: Intermediários parasitas
Re: Intermediários parasitas
Outsourcing é uma vergonha
O recurso ao outsourcing é na esmagadora maioria das vezes uma vergonha, e quando se tratam de empresas do estado ou mesmo de empresas privadas que vivem da "mama" de outras empresas accionistas uma fonte de corrupção brutal.

O recurso a outsourcing é muitas vezes usado para contratar empresas de amigos, nas quais os próprios administradores da empresa contratante até são sócios, para desviar verbas das empresas.

Sei de um caso de uma empresa privada que vivia às custas de alguns grandes accionistas que enterravam lá todo o dinheiro que era pedido e tinha uma boa parte de trabalhadores em regime de outsourcing.

A dada altura cheguei a ver um recibo e fiquei escandalizado. O trabalhador recebia quase 900€ por mês, mas o pagamento à empresa de outsourcing por esse trabalhador era de mais de 2500€!!!!!!!!!!!!!!!!!

Isto é, a empresa contratante gastava por mês mais 1600€ do que se estivesse a contratar directamente. Mesmo que contratando directamente pudesse fazer subir um pouco os custos com um trabalhador, nunca chegariam nem de perto a mais 1600€!!!!!!!!!

Agora multiplique-se este valor por largas dezenas (arrisco-me a dizer até centenas) de pessoas e assim se percebe os graves problemas porque esta empresa passou.

No caso do estado é a mesma coisa. Isto é uma forma de roubar dinheiro ao estado escandalosamente.
Re: Outsourcing é uma vergonha
Re: Outsourcing é uma vergonha
Re: Outsourcing é uma vergonha
Ministros de trazer por casa

Gente que nada faz à anteriori, ficando numa eterna satisfação de dever cumprido quando algo surge e que sejam chamados a resolver.

Quase podiam ser tarefeiros e a recibo verde !!!
Re: Ministros de trazer por casa
Re: Ministros de trazer por casa
Re: Ministros de trazer por casa
E advogados, engenheiros ...etc.
Parece que só as ordens dos médicos e dos enfermeiros funcionam. Ou seja, o lobby da saúde.

Os outros profissionais, há anos que são low-cost, trabalham a recibo verde nas chamadas empresas "parceiras"(que cobram regiamente pela "prestação de serviços").

Mas as ordens de engenheiros, advogados e outras limitam-se a cobrar quotas aos associados e a organizar almoçaradas.

Querem lá saber se há uns "falhados" que não conseguiram entrar no sistema.
EMPRESAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS,
ou serão empresas de prestação de sevícias.Só em última alternativa alguém se sujeita aos desmandos de uma tal empresa pois "chupam" como vampiros , para não usar comparação mais escabrosa o rendimento de quem lhes caí nas malhas.Se fosse na Suécia ou outro país organizado veriamos que estas empresas existem para quem quer trabalhar em "part-time" para posições mais especializadas ou para recuperação de toxicodependentes ou alcoólicos e sempre com um papel social de relevo nunca tendo como prioridade o lucro puro e duro.
Re: EMPRESAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS,
Re: EMPRESAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS,
Re: EMPRESAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS,
Re: EMPRESAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS,
Re: EMPRESAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS,
Re: EMPRESAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS,
Re: EMPRESAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS,
Re: EMPRESAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS,
Re: EMPRESAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS,
Re: EMPRESAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS,
Re: EMPRESAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS,
Preciso de esclarecimento
Bom dia. Estou a tentar analisar esta questão dos enfermeiros que recebem pouco. Alguém me sabe informar quantas horas por dia/semana/mês trabalha geralmente um enfermeiro?
Obrigado
Re: Preciso de esclarecimento
Acabar...
... acabar... é a palavra que este governo mais gosta de usar. O que ainda não perceberam è que eles próprios estão acabados...
Cambada de #### continuam a receber os seus subsídios de férias e natal e pedem sacrifícios a quem menos pode… cambada de ####
O QUE FAZ FALTA É UMA CULTURA PARA A CIDADANIA
Se houvesse de facto uma cultura para o exercíicio da cidadania, da parte dos portugueses, seria mto difícil chegar-se ao ponto a que chegámos. Não falo de solidariedade entre as classes socio-profissionais, falo de cidadania. Ninguém se indignou quando veio na imprensa a notícia sobre as auxiliares de saúde recrutadas, a título de trabalho voluntário, com a promessa (não cumprida) de posterior emprego. É assim que a imoralidade começa. Equando chega a nossa vez....
Re: Governo vai acabar com enfermeiros low cost
Cometer erros desta magnitude e sobreviver só em Portugal, onde o lugar de ministro vem com um tubo de cola-tudo!

(Num país normal, só o facto de se levantarem suspeitas sérias de erros crassos, é suficiente para um ministro pedir a demissão! Mas...só num país normal, eu não disse que Portugal era um país normal...)
Re: Governo vai acabar com enfermeiros low cost
BOA ENFERMEIROS!
Estão a ver como a união entre os trabalhadores e a revolta contra os bandidos que nos governam compensam?
Se eles tivessem ficado calados recebiam menos do que a mulher da limpeza.
Espero que o exemplo frutifique, embora tenha muitas dúvidas...
Empresas de trabalho temporário v. IEFP
Relativamente às empresas de trabalho temporário, gostaria que me explicassem como é que é possível que sejam legais e que sejam mesmo utilizadas pelo Estado.
Como intermediárias que são, só servem para onerar o processo de contratação. Ou, se isso não acontece, é às custas dos trabalhadores, que cada vez recebem menos e têm menos direitos. Ganham essas empresas, ganham os empregadores e, claro, perdem os trabalhadores.
O seu papel deveria ser desempenhado pelos centros de emprego, os quais, se não servem para nada, deveriam ser extintos e os respectivos trabalhadores engrossar o número dos desempregados.
Comentários 33 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub