Português nega ser o carrasco no vídeo do Estado Islâmico

Anterior
MNE, Trabalho, Cultura, Educação e Saúde são ministérios com mais ...
Seguinte
Redução do défice para 8,3% é esforço "frouxo", diz Bagão Félix
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Economia  >  Orçamento do Estado 2010  >   Governo quer menos 60 mil funcionários públicos até 2013

Governo quer menos 60 mil funcionários públicos até 2013

O Executivo prevê nos próximos quatro anos uma nova diminuição de funcionários públicos entre os 7,5 e os 10%. Clique para visitar o dossiê Orçamento do Estado 2010.
Lusa |
Este é um Orçamento de rigor, afirmou Teixeira dos Santos

O Governo quer manter o ritmo de redução de efectivos na Administração Pública, estimando até 2013 uma nova diminuição de funcionários entre os 7,5 e os 10%.

Clique para aceder ao índice do ORÇAMENTO DO ESTADO 2010
O anúncio foi feito pelo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, durante a apresentação da proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2010.

Na proposta, o Governo refere que manterá em 2010 a regra de contratação de um novo trabalhador em funções públicas por cada dois que saiam, um mecanismo que permitiu reduzir na última legislatura perto de 73 mil funcionários públicos.

Questionado sobre as estimativas do Governo para um novo ciclo de redução de funcionários na Administração Pública, Teixeira dos Santos avançou que "será desejável que seja na ordem dos 7,5 a 10%".


Redução "inédita" de recibos verdes



O secretário de Estado, Gonçalo Castilho dos Santos, que participava também na conferência de imprensa, explicou que esta meta foi conseguida "não à custa de despedimentos massivos", mas sim graças "a uma redução inédita de recibos verdes" no Estado.

"A redução dos funcionários públicos rondou os 10%, no mesmo período [últimos quatro anos] em que se reduziram 35% dos recibos verdes no Estado", disse Castilho dos Santos.

Segundo o governante, neste período, foram abertos vários concursos para acabar com os falsos recibos verdes na Administração Pública, fazendo do Estado um "bom exemplo" nesta matéria.

De acordo com a versão preliminar do Orçamento do Estado (OE) para 2010 na anterior legislatura o Governo conseguiu reduzir de um total de 747.880 trabalhadores em final de 2005 para um total de 675.048 em 31 de Dezembro de 2009.

Isto significa que, nos últimos quatro anos, saíram da Função Pública um total de 72.832 trabalhadores, um valor perto da meta de 75 mil funcionários traçada pelo Governo no arranque da anterior legislatura.

A regra de contratação de um novo trabalhador em funções públicas por cada dois que saiam passa em 2010 a ser uma norma para toda a Administração Central e uma recomendação para todos os organismos públicos.

Opinião


Multimédia

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 


Comentários 92 Comentar
ordenar por:
mais votados
Função Pública
O Ministro das Finanças afirmou que o governo até 2013 iria reduzir 60.000 funcionários públicos.
Esqueceu-se de acrescentar que mudam do activo para a reforma.
Já agora, diga-nos qual a poupança com tal medida ?
Outra pergunta: Esses funcionários estão a mais ?
Senão, lá teremos a entrada de mais um por cada dois que saiem.... para a REFORMA !
Excelente medida, não há dúvida que é de querer tapar o sol com a peneira.
Mas acha que os portugueses são PARVOS ?
Re: Função Pública
Re: Função Pública
Re: Função Pública
Re: Função Pública
Re: Função Pública
Re: Função Pública
Re: Função Pública
Re: Função Pública
Re: Função Pública
Re: Função Pública
Re: Função Pública
Re: Função Pública
Re: Função Pública
Re: Função Pública
Re: Função Pública
Re: Função Pública
Re: Função Pública
EXCELENTE MEDIDA
Sim, comece-se por todos aqueles que lá estão para receber o correio e distribui-lo pelas secções; depois os serviços auxiliares que não fazem falta nenhuma; depois nas secções o pessoal menor que só empata nem sabem mexer nos computadores estão sempre a deitar o sistema abaixo.
Acabaram com os recibos verdes, que levavam a maior fatia dos impostos. Excelente medida contra a «morte lenta».
Nem precisam recorrer áquele sistema de compra de anos de descontos, pq o pessoal menor é o q tem mais anos de descontos, começaram a trabalhar logo aos 14 anos e qd forem dispensados têm chorudas reformas de 500, 600 ou 700 euros.
Como Portugal é tido por um país de chefes e doutores, permaneçam esses nos lugares pois são os que percebem do expediente e dos processos.
E façam mais «pontes» para pouparem energia nos serviços e fazerem entrar mais impostos directos nos cofres do governo com o abastecimento de combustível nos carros para as viagens á terra ou ao Allgarve.
ps - não acabem c as mordomias dos ministros, secretários-gerais, directores nacionais para não desmoralizarem, e manterem os sistemas informáticos operacionais sempre q nos desloquemos a uma repartição.
Re: EXCELENTE MEDIDA
Re: EXCELENTE MEDIDA
Re: EXCELENTE MEDIDA
Re: EXCELENTE MEDIDA
Re: EXCELENTE MEDIDA
Governo quer menos 60 mil funcionários
Eu nunca duvidei que um dia este regabofe ía terminar. Todos temos a percepção que há funcionários públicos a mais, mas também não há duvida que há locais onde há a menos. É aqui que eu não consigo perdoar a Manuela F. Leite de ter uma atitude completamente diferente antes de ser Líder do PSD e depois disso. Primeiro apoiou a reestruturação e dizia que era uma vergonha se o governo recuasse. Apanha-se no lugar e como se costuma dizer roeu a corda e passou a atacar todas as medidas, que apesar de impopulares todos sabemos serem necessarias. Com tal atitude pôs o interesse pessoal e do Partido à frente do interesse do País. Aliás foi ela como Ministro das Finanças que fez saír uma norma para não haver mais admissões na Função Pública e também quem congelou os salários além de 1000 euros. Como todos sabemos a reforma das pessoas na Função Pública não vem reduzir a despesa, mas sim o conjunto destes com os funcionários no activo. Por isso a entrada de um por cada dois que saíem. É claro que não se pode congelar indefinidamente a entrada, porque é preciso renovar, já de si tão envelhecida e que se pretende mais eficaz. Esta não é uma tarefa para um só partido e para uma única Legislatura. Não nos podemos esquecer do que aconteceu com o Quadro dos excedentes e a Avaliação dos Professores. É nesta altura que se exige do PSD e CDS responsabilidade e sentido de Estado.
Re: Governo quer menos 60 mil funcionários
Re: Governo quer menos 60 mil funcionários
Re: Governo quer menos 60 mil funcionários
Re: Governo quer menos 60 mil funcionários
Finanças Regionais
Devem ainda estar recordados daquela patética e inflamada declaração de Teixeira dos Santos, na A. da R. quando disse não alimentar mais o regabofe da Madeira, e nas suas costas o governo fazia um acordo com A. J. Jardim.
Consequência: FOI DESAUTORIZADO.
Ontem ouvimos a mesma argumentação.
Pois acabo de ouvir na TV, de que o Governo se disponibilizou para discutir com os Partidos da Oposição a lei das Finanças Regionais!!!
Quanto a mim, este recuo só fica bem ao PS.
Sr. Ministro das Finanças, não se sente incomodado ?
Não se considera uma vez mais DESAUTORIZADO ?
Porque diz: NÃO, NÃO E NÃO ?
E, depois fica nesta triste situação...
Eu, no seu lugar, não gostaria, e daí retiraria as diversas ilacções .

Re: Finanças Regionais
Re: Finanças Regionais
Re: Finanças Regionais
Re: Finanças Regionais
Régua e esquadro ,a politica a
Mas isso toda a gente já sabia.Agora o Governo tem é que dizer o que é que esses 60.000 vão fazer,
Re: Régua e esquadro ,a politica a
Re: Régua e esquadro ,a politica a
Re: Régua e esquadro ,a politica a
Re: Régua e esquadro ,a politica a
Re: Régua e esquadro ,a politica a
Re: Régua e esquadro ,a politica a
Enquanto os partidos que têm estado no poder em
Portugal optarem pelo liberalismo, são os sacrificios de quem trabalha que têm que suportar o equilbrio orçamental para garantir e manter os previlegios e o aumento da riqueza de uma minoria...
Re: Enquanto os partidos que têm estado no poder e
Re: Enquanto os partidos que têm estado no poder e
Re: Enquanto os partidos que têm estado no poder e
Menos func. publicos e mais trabalho
O que este governo tem vindo a fazer é reduzir os func. Publicos e definiu objectivos o que implica que com menos gente se faça mais. Tem criado péssimo ambiente a nível dos trabalhadores, o que é uma das técnicas para que as pessoas recorram ás reformas, mas por outro lado cada vez penaliza mais as reformas antecipadas. Por outro lado os politicos, gestores publicos,etc, reformam-se com menos tempo de trabalho, sem penalizaçºoes e com reformas normalmente superiores aos 3.000 €.
Re: Menos func. publicos e mais trabalho
Re: Menos func. publicos e mais trabalho
Re: Menos func. publicos e mais trabalho
Re: Menos func. publicos e mais trabalho
Re: Menos func. publicos e mais trabalho
Re: Menos func. publicos e mais trabalho
Re: Menos func. publicos e mais trabalho
Re: Menos func. publicos e mais trabalho
E retira-lhes mais 6 por cento na reforma?
Grande incentivo para os funcionários públicos sairem!!!
Na Privada manda-se é alargar o período de carreira contributiva -para que os descontos para a Seg. Social e IRS se mantenham...

Continuamos com a política dos filhos e dos "enteados"...

E a juventude vai continuar desempregada , ociosa, mantida pelos Pais?

Sr. Ministro a idade de 60 anos e a carreira contributiva de 40 ou mais anos deveria ser a regra para todos que trabalham. Públicos e Privados. Haveria assim mais trabalho para os jovens que começando por ganhar menos dava bem para alterar a regra - de 1 por cada 2 que saissem... O trabalho e a produtividade agradeceriam...

Já agora os Políticos seguem a regra geral nas aposentações -dando o exemplo - ou continuam a ser privilegiados?

E os Gestores Públicos? Continuam a ganhar faustosamente -mais que noutro País da UE - quando Portugal está, a nível de pobreza, nos lugares cimeiros da vergonha...

Assim isto não vai lá e o PS - afinal é igual a qualquer outro Partido de Direita. Votar CDS, PSD ou PS é tal e qual o mesmo.
Ricos cada vez mais ricos - ou pelo menos não sentem a crise -. Pobres e classe média cada vez mais pobre ou em vias de extinção. Haja vergonha - o socialismo -continua mesmo na gaveta - a cheirar a môfo desde os tempos de MSoares.

A Adesão às V. medidas - por parte da maioria dos Portugueses que sofre na pele o resultado das V.decisões - é ZERO!
Trocadilhos
Vamos lá a ver se percebo esta! És funcionário público, levas 0% de aumento, vou-te reduzir em 60.000 mas se te fores embora mais cedo ainda te prejudico na reforma. Comes três vezes se não te cuidares!
Re: Trocadilhos
Re: Trocadilhos
Re: Trocadilhos
Re: Trocadilhos
Re: Trocadilhos
VOTARAM NOS MESMOS TÊM MAIS DO MESMO
Enquanto os portugueses continuarem a meter o seu voto nos mesmos que alinharam neste orçamento, ou seja, em fazer a mesma política, isto não muda. Pode lá estar a MFLeite ou o Passos Coelho, pode lá estar o Socrates ou o António Costa, se a política é a mesma, o resultado é o mesmo.
Re: VOTARAM NOS MESMOS TÊM MAIS DO MESMO
Resolverá o problema ou cria outro?
As medidas, quando aplicadas de uma forma cega tendem a trazer muito mais prejuízos que benefícios - acredito que haja serviços e departamentos com excesso de pessoal, mas muitos há que são deficitários e que sofreram recentemente uma "sangria" de aposentações. O que sucede actualmente? Quem está, assustado com o SIADAP, faz mais do que é devido e enquanto isso todos os ministérios recorrem ao out-sourcing, contratualizando com entidades externas a preços obscenos (muitas das vezes sem concurso) serviços que poderiam ser efectuados por funcionários públicos. Solução? Criar um verdadeiro sistema de mobilidade por forma a racionalizar os recursos humanos e reduzir drasticamente a despesa corrente, quer em aquisições quer, principalmente em serviços externos. Caso contrário, vai-se tapar um "buraco" criado com uma "rolha" muito mais cara!
Re: Resolverá o problema ou cria outro?
Re: Resolverá o problema ou cria outro?
Leiam O Expresso
Leiam a edição impressa de O Expresso do passado Sábado.
Leiam e lá vão ver um artigo (que fez capa) sobre o custo das leis mal feitas e do secretismo sobre os milhões em negócios do "estado" com os grandes escritórios de advogados.
Leiam também no caderno de economia (não neste último especificamente, mas em qualquer um) os recorrentes apelos dos vários comentadores da especialidade à contenção da despesa com... os funcionários públicos, como a grande solução para a salvação do país.
Num caso e noutro vão ver como as verdadeiras grandes soluções se encontram escondidas por um lado e são mistificadas por outro por quem quer continuar a viver dos grandes negócios e da dependência dos milhões do estado e continua a agitar bandeiras de tostões para distrair as atenções e confundir.
Leiam.
Re: Leiam O Expresso
Re: Leiam O Expresso
Orçamento de Estado para 2010
O ministro Teixeira dos Santos disse, na sua apresentação de proposta para o orçamento de estado, que em 2010 iria contratar um trabalhador por cada dois que seriam despedidos. Com esta decisão há trabalhadores que continuam no desemprego.
Com estas novas propostas, até 2013 o país vai ficar com mais cerca de 60 000 funcionários no desemprego.
Agora pergunto: qual é a ideia do Sr. Ministro Teixeira dos Santos ao reduzir o número de funcionários públicos para quase metade?
E depois queixam-se que Portugal está no topo dos países com maior número de desempregados, pudera, com ministros a fazerem propostas assim qualquer país estaria mal.
Até o Haiti estava melhor do que Portugal antes do terramoto...

Re: Orçamento de Estado para 2010
Re: Orçamento de Estado para 2010
A FELICIDADE dos INTELIGENTES !
É notória e lastimável, mesmo aberrante, a FELICIDADE com que alguns comentadores inteligentes do PSD andam à cata de noticias que incomodem o Governo...

Porque em vez de estarem preocupados com a situação económica e politica de Portugal, eles buscam entalar o PS e seu PM para tentarem esconder o descalabro do PSD.

Então vão repetir à exaustão os slogans que sempre usam:
Desautorização do Ministro das Finanças
Desperdicio do Governo
Desemprego à taxa de 8,9%
Aumento (encapotado) de impostos
Chantagem de AJJ sobre o Governo (e não vive-versa, diga-se) para aprovar a Lei das finanças regionais
Greves, nomeadamente a atual dos enfermeiros ...

Enfim:
o que anima as hostes fanáticas psdistas é a desgraça do País, esquecendo o que foi a maratona para o PS, sozinho, ter conseguido fazer passar o OE2010
esquecendo que se tenta pela 1ª vez um OE de contenção do deficit (apesar de eu ser dos que, com Guterres, achar que há mais vida para lá dele!)
esquecendo que a recessão que ameaça a Europa toda, e sobretudo a Grécia , a Irlanda e até a Espanha, está mais afastada, hoje, de Portugal
esquecendo, at last but not at least, que PORTUGAL tem de ficar acima da partidarite aguda de uns numéricos cinicos e que
QUEM governa Portugal é o PS e não, felizmente, MFL ...nem o PSD!
Re: A FELICIDADE dos INTELIGENTES !
Re: A FELICIDADE dos INTELIGENTES !
Re: A FELICIDADE dos INTELIGENTES !
Re: A FELICIDADE dos INTELIGENTES !
Re: A FELICIDADE dos INTELIGENTES !
Re: A FELICIDADE dos INTELIGENTES !
Re: A FELICIDADE dos INTELIGENTES !
Re: A FELICIDADE dos INTELIGENTES !
Re: A FELICIDADE dos INTELIGENTES !
Uma pergunta ingénua
Esta redução do número de funcionários públicos é consiguida à custa de quê?
Do entra 1 por cada dois que saem, ou do entra 1 por cada dois que se reformam?
Parece-me que esta é a realidade, entra 1, mas como temos que pagar a reforma a 2, que se reformam, passamos a pagar ordenado a mais um e a reforma a 2. Onde está o reflexo desta redução nas despesas com pessoal?
Tanta mentira para quê?
Re: Uma pergunta ingénua
Re: Uma pergunta ingénua
Re: Uma pergunta ingénua
Comentários 92 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador

PUBLICIDADE

Pub