17 de abril de 2014 às 14:02
Página Inicial  ⁄  Economia  ⁄  Governo lança mil milhões de euros para financiar economia

Governo lança mil milhões de euros para financiar economia

Em entrevista ao Expresso, o ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, refere que além dos 1000 milhões de euros de reforço da linha PME Investe, será anunciada uma nova linha Investe QREN com mais 1000 milhões de euros para financiar novos projetos.
J. F. Palma-Ferreira, Nicolau Santos e Pedro Lima (www.expresso.pt)

Comentários 34 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Ementa
Um carrão mais um casarão.
Fomentar mais a fome neste país de orgulhosos mimosos.
Re: Ementa Ver comentário
Re: Ementa Ver comentário
Re: Ementa Ver comentário
Re: Ementa Ver comentário
Re: Ementa Ver comentário
Re: Ementa Ver comentário
Re: Ementa Ver comentário
Re: Ementa Ver comentário
Re: Ementa Ver comentário
Re: Ementa Ver comentário
APUPOS E ASSOBIOS ...
Para o Desministro da Deseconomia ...
Não entendo...
De onde é que este dinheiro todo vem????
Re: Não entendo... Ver comentário
Re: Não entendo... Ver comentário
metam maos a obra para mudar as coisas Ver comentário
Re: metam maos a obra para mudar as coisas Ver comentário
Re: metam maos a obra para mudar as coisas Ver comentário
Re: metam maos a obra para mudar as coisas Ver comentário
Re: metam maos a obra para mudar as coisas Ver comentário
governo-lanca-mil-milhoes-de-euros-para-financiar-
Diz o povo que mais vale tarde que nunca, mas também que depois de cavalo morto cevada ao rabo. O que admira ou talvez não, mas antes de ser governo sabiam governar tão bem e tinham soluções para todos os problemas. Logo que alcançaram o poder perderam todo o saber. Todo não porque das promessas nada feito, mas para aumentar impostos, que diziam que nunca fariam e cortar subsídios que se provou serem inconstitucionais isso souberam fazer.

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/03/blog-post_29.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/03/estudo-do-economista-alvaro.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/03/o-super-economista.html
Incompetentes
Como podem por si só estas medidas fazer progredir a economia, se cada vez mais tiram o poder de compra aos cidadãos. Estes economistas devem ter tirado o curso na mesma universidade do relvas.
Re: Incompetentes Ver comentário
Re: Incompetentes Ver comentário
Re: Incompetentes Ver comentário
Re: Incompetentes Ver comentário
Re: Incompetentes Ver comentário
Re: Incompetentes Ver comentário
SUBSIDIOS
É ande vai parar o meu subsidio de férias e de natal, ou seja servem para alguns empresários deste pais comparem mais um Jeepe ou um barquito.
Re: SUBSIDIOS Ver comentário
JOSÉ GOMES FERREIRA
Gosto muito de ouvir e em 90% das situações diz toda a verdade, no entantoem relação aos cortes nos subsidios eu penso que ele não está a ver as coisas corretamente.
Os dois subsidios rendem ao estado 1065 MEUROS, 33% desse valor fica logo no estado em IRS e CGA.
Do retante 23% voltará ao estado através do IVA, sobraram miserávei 500 Meuros, que servem para manter,contas feitas por baixo,70 000 postos de trabalho em pequenas empresas com menos de 5 trabalhdores.
Não entro sequer aqui em consideração as falencias que decorrem, os subsidios de desemprego que se teram de pagar, os gastos em saude que aumntam etc.
Por isso, temos sim que acabar com as PPP.
Re: JOSÉ GOMES FERREIRA Ver comentário
GOVERNOZITO.
TALVES O FINANCIAMENTO SEJA PARA A OPA DA BRISA COMO FEZ A CAIXA GERAL DE DEPOSITOS.
Financiar a empresas com nome "sujo" no Banco?
1) Insolvências, falências e afins de empresas com mais de 30 anos - Uma real realidade redundante :)
2) Subsídios dados para a criação do próprio emprego para diminuir a taxa de desemprego (onde nos cálculos não entram os desempregados que não se inscrevem no IEFP à procura de emprego e como tal as taxas de emprego são irreais), diminuir os subsídios de desemprego, encargo do estado, o que levou a que 80% dos novos empreendedores fechassem a porta em 2 anos (pois pagar um TOC, dar 35 horas de formação anual e ter SHST nas empresas é muito caro e a falta de clientes que estão pobres e na penúria é mais uma realidade)
3) Para serem financiadas, as empresas, precisam de dar garantias e onde essas estão? num País onde já não se pagam horas extraordinárias a empregados, onde se desconhece a lei do estatuto trabalhador estudante e onde se desconhece o tempo das pausas e muito mais blá blá blu??????
Perguntem, sim, caros senhores jornalistas, para onde foram as verbas 2007-2013? talvez tenham desaparecido logo antes de entrarem..... ups
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub