2
Anterior
CGTP reclama 'maior manifestação de sempre'
Seguinte
A primeira página do Expresso
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Governo francês enche deputados de 'spam'

Governo francês enche deputados de 'spam'

Campanha a defender a projecto de lei da Internet viola os seus próprios princípios.
|

O Ministério da Cultura francês, que redigiu um projecto de lei contra a pirataria e o lixo electrónico, foi acusado de inundar as caixas de correio dos deputados com propaganda indesejada. Em causa está uma campanha favorável à muito contestada lei sobre direitos de autor na Internet, que está em debate no Parlamento francês.

Na sessão de quinta-feira, Martine Billard, deputada do Partido dos Verdes à Assembleia Nacional, queixou-se à ministra Christine Albanel por ter sido incluída, sem o desejar, numa lista de difusão do "site" Jaimelestartistes.fr (em francês, gosto dos artistas), no qual o Governo promove o seu projecto. "Esta intrusão na minha vida privada é um pouco surpreendente!", exclamou Billard.

A situação é caricata, visto que um dos objectivos declarados da lei Hadopi (sigla francesa de Alta Autoridade para a Difusão de Obras e Protecção de Direitos na Internet) é combater o "spam" (lixo electrónico), a pirataria e os carregamentos ilegais.

A ministra não respondeu à pergunta da deputada verde nem às de outros do Governo. Preferiu repudiar a "caricatura abjecta que consiste em apresentar a lei Hadopi como uma espécie de antena da Gestapo". A menção à polícia política nazi enfureceu o hemiciclo, pelo que a governante acabou por retirar essa palavra, embora reafirmasse o conteúdo da frase. Entretanto, o "site" jaimelesartistes.fr deixou de estar disponível. O dono do servidor que o albergava - ele próprio opositor do projecto de lei - desistiu de manter o "site", que sofria constantes ataques de piratas da Net.

Os principais pontos do projecto são a instauração da alta autoridade, a suspensão do serviço de Internet a quem o utilizar para fins ilegais e - o mais controverso - a criação de uma "lista branca" para restringir o número de "sites" acessíveis a partir dos pontos "wi fi" gratuitos. Esta lista incluiria os "sites" "úteis à vida económica, cultural e social do país" e só esses poderiam ser consultados a partir de locais de acesso gratuito à Internet sem fios. O que é visto por muitos como uma restrição às liberdades individuais.

Aprovado pelo Conselho de Ministros em Junho de 2008, o documento foi encomendado por Albanel a Denis Olivennes, em 2007, quando aquele era presidente da rede de discotecas FNAC. Aprovado pelo Senado no passado mês de Outubro, o projecto foi classificado como "de urgência" pelo Governo francês, o que restringe o tempo para o seu debate. Tendo dado entrada na Assembleia Nacional, começou a ser debatido, mas encontra-se suspenso até ao fim do mês, por haver diplomas mais urgentes, nomeadamente de medidas contra a crise económica.

A lei Hadopi já mereceu críticas do Parlamento Europeu, de operadores e empresários da Internet e de milhares de cidadãos, que têm aderido a petições online.


Opinião


Multimédia

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 2 Comentar
ordenar por:
mais votados
Ora gaita...
Isso é caso de gabinetes, de troca de olhares inflamados, porque uma dorme com outro, em pricípio, e nada temos a ver com isso.
Há sim, nós, que mantermos os nossos PRINCÍPIOS, que nós respeitamos, mutuamente NA NOSSA pÁTRIA.
Como Portugueses, temos que nos manter acima de toda essa rebaldaria palaciana.
Oiça Cavaco. Vosmicei seria linguagem popular, a qual não tenho o direito de utilizar, porquanto ocupa o cargo máximo que o povo português lhe confiou mas, Excelência, Senhor Presidente da República, com o poder que a Constituição Política de Portugal lhe confere, vamos manter a integridade da nossa Nação? Peço-lho em nome dos Portugueses, dos seus e meus filhos e netos.
Temos que ver que a rebaldaria começou em França e depois se propagou pelo mundo e depois foi o deboche na Rússia.
Excelência, vamos honrar a nossa Dignidade Nacional e darmos lições a quem a pretende dar a nós?
Conto com a sua argúcia política e mais, com a Honra de ser Presidente de todos os Portugueses.
Ponha o SIS a trabalhar e aí (deculpe-me a expressão) Porrada neles. É democrático e funcional.
Somos pequenos, poucos, mas temos o direito à nossa integridade.
Como disse Salazar, "Orgulhosamente sós!".
Acrescentaria, se é que não é profanação, MAS ÍNTEGROS!
Desculpe a minha forma de estar, Excelência, mas há que manter os PRINCÍPIOS!
Os Paladinos da Autoria
Quem sabe ainda que para usar isqueiro em Portugal, era preciso comprovativo de licença? A Internet foi dada ao mundo gratuítamente por um génio que decerto não pediu direitos de autor sobre os seus artigos na WWW. Piratas são por vezes, os paladinos da cobrança de taxas sobre a arte dos outros... e não usam a pala para tapar o olho da ganância, não! Opinam opiniões insanas e formulam leis em proveito próprio. Já basta pagar um "servidor" de acesso à internet, que apenas controla o tempo de "navegação"... aliás, esta linguagem marítima deu uso à expressão "Pirataria informática", mas roubo é outra coisa... disso percebem os portugueses desde o tempo dos Descobrimentos.
Comentários 2 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub