21 de outubro de 2014

Homem mata outro durante uma discussão intelectual

Luis M. Faria |
Ainda há quem leve a sério os debates intelectuais. Na Rússia, um homem matou outro por causa de uma acesa discussão sobre os méritos relativos da prosa e da poesia. Qual o género superior? Um dizia a poesia, o outro a prosa. Imagina-se argumentos elaborados e solenes, tanto de um lado como do outro. ...

Homem de 78 mata outro de 92 à paulada, "por falar alto"

Luis M. Faria |
Um homem de 78 anos matou outro de 92. Aconteceu no lar onde ambos viviam, em Toledo (Espanha). Não é o primeiro caso recente do género, mas destaca-se em horror e em futilidade. O inesperado do acto tem a ver tanto com a sua brutalidade - o homicídio foi cometido à paulada - como por não se ver razão compreensível para ele. Parece que o ...

Queria combinar um assassinato, mas enganou-se e telefonou para a vítima

Luis M. Faria |
Entrada directa para a lista dos criminosos mais inteligentes. Um neozelandês chamado Larry Barnett tinha contratado um assassino para lhe despachar um conhecido. Mas quando lhe quis ligar para combinar os pormenores, enganou-se e telefonou para a pretendida vítima. Imagina-se a surpresa e o choque desta última ao ouvir as instruções de ...

Ia na rua e meteu-se com uma mulher. Quando soube que era transsexual, matou-a à pancada

Luis M. Faria |
Aconteceu no Harlem, em Nova York. Uma mulher bem parecida estava na rua com amigos, e um jovem começou a flirtar com ela. A conversa fluiu até ao momento em que um colega do jovem o informou de que a mulher era transsexual. Enraivecido por se estar a fazer a alguém que um dia foi homem, o jovem começou a espancá-la. Mesmo com ela já caída no ...

Mata a mulher e põe a foto do cadáver no Facebook para os "amigos" verem

È uma história horrenda que diz coisas horrendas sobre uma certa forma de encarar a dignidade da vida. Derek Medina, um homem de Miami, assassinou a tiro a sua mulher, Jennifer Alfonso. A seguir fotografou o cadáver e pôs a imagem no Facebook, acompanhada de uma explicação: matou a mulher porque ela o abusava e o atacou primeiro. Estava ...

Matava idosos com ácido e lexívia. E diz que ficavam muito bem

Luis M. Faria |
Dizia que lhe custava vê-las sofrer, e que fez o que fez para elas terem paz. Joan Vila era vigilante num lar em Olot (girona), onde matou onze anciãos - nove mulheres e dois homens. Usou ácido, comprimidos, lixívia e até overdoses de insulina. E garante que, quando via mortas as suas vítimas, só dizia para si: "Olha como estão bem". ...
Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub