24 de outubro de 2014

Hoje há passarinhos, amanhã não sabemos

Manuel S. Fonseca (www.expresso.pt) |
Hoje há passarinhos. Pelo menos havia: nas esquinas do passado, alegrando as montras das cervejarias com clamorosos atentados ortográficos. Escrevia-se com desembaraço: "à passarinhos". Juraria que vi até um "á paçarinhos", assim, cedilhado, na limpa janela dum restaurante de Campo de Ourique. Cedilhas destas cortam um passarinho ao meio. Não ...

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub