44
Anterior
Bolsa de Lisboa fecha em contraciclo com a Europa
Seguinte
Miguel Macedo vai ao Parlamento explicar operações da PSP e fisco
Página Inicial   >  Economia  >   Gaspar admite baixar TSU em 2013

Gaspar admite baixar TSU em 2013

Ministro das Finanças garante que o Governo está a analisar o corte na Taxa Social Única (TSU) para alguns setores da economia. Opção vai ser colocada no Orçamento de Estado para o próximo ano.
Lusa |

O Governo está a analisar a possibilidade de reduzir a Taxa Social Única, mas de forma mais dirigida e de forma a que tenha menores custos orçamentais, adiantou o ministro das Finanças.

Vítor Gaspar, que já tinha sinalizado essa intenção anteriormente, voltou hoje a dizer perante os deputados na Assembleia da República que a disponibilidade para considerar essa opção no âmbito da discussão do próximo orçamento foi dada à troika, mas na forma de uma medida dirigida "para segmentos identificados do mercado laboral".

"Quer dizer que relativamente à medida que foi considerada o ano passado, temos uma descriminação, uma identificação de objetivos alvo dentro do mercado de trabalho, que permitirá que esta medida tenha um impacto orçamental muito mais limitado do que as medidas consideradas há uns meses. Acresce que o desenho e o espaço orçamental para a implementar está a ser determinado no contexto do Orçamento do Estado para 2013", disse.

Na mesma comissão, Vítor Gaspar já havia alertado para a necessidade de tomar medidas com resultados mais no curto prazo devido à evolução recente do desemprego e que assim o o Governo estaria aberto a essa opção.

"Estamos ainda abertos para considerar outras medidas que diminuam os custos de trabalho para segmentos identificados do mercado laboral", afirmou Vítor Gaspar.
 


Opinião


Multimédia

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 44 Comentar
ordenar por:
mais votados
EUREKA
Claro, corta-se na Taxa Social única e baixam os salários como jé deu a entender por outras palavras o M.F. as contribuições (receita) serão menores logo a Segurança Social dá o estoiro, pior é impossivel.
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Re: EUREKA
Arrumada a casa,é a hora de levantar o "cêrco"!
Crescimento,crescimento,precisa-se.
Estes gajos não sabem o que fazem
Tentam arranjar de um lado, fazem um estrago maior noutro lado.
vamos a ver...
A taxa social única (TSU), para quem não sabe, é a taxa que as empresas pagam à segurança social por cada trabalhador (independentemente do salário que auferem), que neste momento se não estou em erro é de 23,75%.

Esta medida visa principalmente reduzir os custos das empresas com o pessoal, que se traduz numa descida nos custos da produção, o que de certa maneira torna os nossos produtos/serviços mais baratos. Pode ser uma boa medida para incentivar a exportação e o investimento estrangeiro em Portugal.

Agora o que resta saber é se a SS tem capacidade de resistir a isso, e também se não dão com uma mão e depois tiram com a outra.

Agora, eu sem bases de fiscalidade, alguém me pode explicar se esta minha solução não seria mais vantajosa para todas as partes? Passo a explicar, categorizar por escalões também a TSU, onde quem ganha-se menos a empresa teria de pagar mais TSU e quem ganha-se mais a empresa pagava menos TSU. Assim, se incentivava ordenados mais altos aos trabalhadores, que correspondia a aumento na produtividade por parte da empresa por ter os trabalhadores contentes, e o estado encaixava mais em IRS. Seria isto viável?
Re: vamos a ver...
Re: vamos a ver...
BOOOOUUUUUMMMM
Eu diria que a segurança social deste pais corre sérios riscos de estoirar em 2013 e esta gentalha de pin ao peito que nos governa não sabe o que faz.

Cumps
Coração de gelo
Ainda há poucos dias se noticiou que a OCDE entendeu considerar insustentável a Segurança Social em Portugal.
    Ministro das Finanças dá "ajudinha" a esse "estudo", reduzindo, no próximo OE, as contribuições de patrões para o desemprego e velhice dos trabalhadores!
    Coração de gelo.
              António José de Matos Nunes da Silva
Uma pergunta provocatória..
Re: Uma pergunta provocatória..
Re: Uma pergunta provocatória..
Re: Uma pergunta provocatória..
Re: Uma pergunta provocatória..
TSU
Não seria mais vantajoso para as empresas baixar o IRC, Kwh, água e gaz para as empresas, assim ficariam mais competitivas porque o problema é o custo final e não se punha em causa os apoios sociais ao trabalhadores. A descida da TSU, tem como finalidade principal financiar o sector financeiro com os PPR's e seguros de saude e não aumentar a competividade das empresas Portuguesas, visto que o salário medio no sector privado é de pouco mais de seiscentos euros.
TARDE DEMAIS

Este min Finanças é um desastre, devia demitir-se

E em país de burror e acomodados economistas ninguém o diz ...

Reduzir a TSU teria quando a Troika e FMI o propuserasm ...
O Min recusou ... agora volta atrás ...

REMODELAÇÂO MINISTERIAL IMPÕS-SE
Mentira atrás de mentira para o espectáculo
Ele não tem de admitir que vai baixar a TSU, é uma da exigências da TROIKA, eles já tinham alertado na inspecção anterior que Portugal tinha de baixar a TSU para se tornar competitiva. Escusa de vir com mentiras atrás de mentiras porque está no memorando da TROIKA e vão ter de o cumprir se não não há cheta...
MAIS UMA...
Mais uma maneira de redistribuir o valor sacado, em subsidios e pensões, aos funcionários publicos, por uns quantos empresários, a maior parte amigos do peito, que até poderão vir a finaciar futuras candidaturas, campanhas eleitorais e quem sabe a dar emprego a algum filho ou afilhado.
A baixa da TSU, ao que consta, não foi tentada em lado algum, o que poderá significar duas coisas, a saber:
- O FEF da Segurança Social tem um superavit de muitos milhares de milhões, portanto suporta muito bem a diminuição de funcionamento ou,
- servimos de cobaias a um qualquer estudo sociológico patrocinada pela trilateral ou pelo grupo bilderberg a ver até onde chega a nossa lingua. Talvez no fim se altere a expressão "lingua de palmo" e até possa crescer um pouco mais.
Se existissem dificuldades na SS nunca se baixaria a TSU a não ser que se queira testar a teoria do caos e ver como reagiremos quando esta estiver falida. Aparecerão entretanto os seguros privados, diminuirá a despesa do estado com as pensões e seremos todos felizes.
Qual a percentagem de portuguese que recebiam pensões há 50 anos? No entanto muitos milhões sobreviveram, grande parte deles uma vida inteira sem irem ao médico. Hoje...
A baixa da TSU irá implementar uma descriminação positiva, dará oportunidade a uma escolha descricionária das empresas que, não poderão criticar a mão que lhes dá o pão.
Se já agora o estão a fazer às pessoas com a caridade instituida porque não estende-la às empresas? Dobrai-vos gentios.
baixar taxa TSU
Meu caro ministro das finanças Victor Gaspar,o senhor admite baixar a Taxa Social Única,não perca mais tempo as empresas precisam e os portugueses precisam de emprego,vamos com essa ideia para a frente,porque o que temos feito não se vê quase nada à que por todo o ministério a trabalhar,com retórica não vamos lá é urgente fazer-mos tudo o que for preciso.Perdoe-me o senhor ministro mas eu já não acredito em milagres.Desde 25 de Abril de 1974,os nossos políticos venderam Portugal ao desbarato,os portugueses estão cada vez mais pobres,e agora mais pobres ficaram,porque venderam ao desbarato a escrita e a língua portuguesa é vergonhoso sermos os criadores da nossa língua e termos que obedecer aos caprichos da língua brasileira,que a maior parte de nós temos dificuldade em entende-la,Senhor ministro não olhe para trás vamos enfrente com a baixa do TSU.
"Gaspar admite baixar TSU em 2013"
... se o Orçamento comportar...

Enfim, mais do mesmo... NADA!
Chega
Vamos todos juntos exigir a imediata devolução dos subsídios de férias e de natal que nos foram inconstitucionalmente retirados.Esta petição será remetida à Assembleia da República e demais órgãos, no final deste mês de Junho. Vamos todos assinar e divulgar esta petição por todos os nossos colegas, amigos, familiares e conhecidos.
www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=201202
Copie o link para o seu browser, assine e divulgue
Falça questão
Caros comentadores para mim a baixa da TSU como factor de competitividade e criação de emprego é uma falacia deste governo e da troika, porque vejamos, países altamente competitivos tem uma TSU pouco diferente de nossa e alguns ate muito superior, cá vai:
Filandia 22,30 %, Alemanha 19.32%, Austria 29.13% Espanha 29.90% Suecia 31.42% Italia 32.08% e a frança ? 42.30% .
Será que estes paises são menos competitivos que nós ? NÃO, São muito mais competitivos são não é por causa do IRC que pagam que também é altíssimo e não é com a redução da taxa TSU que bom tornar as nossas empresas competitivas, mas sim outros factores de maior importância, como redução dos custos energéticos, telecomunicações logística etc. etc. isso sim sem fosse levado em conta teriam muito mais competitividade.
Você acha que isso se pode analisar assim???
Re: Você acha que isso se pode analisar assim???
E quem paga as reformas dos velhotes?
E como pensa Victor Gaspar financiar a Segurança Social? As pensões de reforma? E de invalidez? Os subsídios de desemprego? E as subvenções às empresas? Os tais estágios e os «trabalhadores à borla»? Como pensa Victor gaspar financiar tudo isso?

Ou será que o plano de Victor Gaspar é acabar com tudo isso? Tudo.. menos os subsídios às empresas.. claro.
Comentários 44 Comentar

Últimas

O ébola como sintoma

Além de uma doença, o ébola é um sintoma de subdesenvolvimento - mas isso não é motivo para ...

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub