Anterior
Administração Pública gasta €500 milhões em energia
Seguinte
Painéis solares em Abrantes conseguem apoio financeiro
Página Inicial   >  Economia  >  Energia  >   Galp e International Power partilham central eléctrica em Sines

Galp e International Power partilham central eléctrica em Sines

Depois de avanços e recuos no projecto da nova central eléctrica de ciclo combinado a gás natural da Galp em Sines - um projecto cujo prazo inicial tinha terminado em 2009 -, avança, finalmente, em parceria com a International Power.
|

A Galp assinou um acordo com uma subsidiária da International Power (IPR) para desenvolveram a Central de Ciclo Combinado (CCGT) a instalar em Sines. Este projecto terá dois grupos geradores, com capacidade de 400 MW cada um (800 MW no total), que deveriam entrar em produção em 2012 e 2013. O investimento previsível rondará os €500 milhões, embora a Galp não confirme este valor.

Através deste acordo, a Galp Energia cedeu à IPR uma posição de 50% na empresa que actualmente desenvolve o projecto da CCGT de Sines, da qual detinha 100% do capital.

A Galp refere que esta operação está sujeita à aprovação das autoridades competentes, devendo estar concluída no final de 2010.

O projecto da CCGT de Sines, que será agora desenvolvido em conjunto pelas duas empresas, está em fase de análise das propostas para a celebração do contrato de Engineering, Procurement and Construction (EPC), estando também em curso as negociações para o seu financiamento.

Assim, a operação da CCGT ficará a cargo da empresa detida em partes iguais pela Galp e pela IPR. Adicionalmente, a Galp será responsável pelo fornecimento de gás natural e pela comercialização da energia eléctrica produzida na central.

Esta transacção enquadra-se na estratégia de financiamento da Galp, anunciada em Maio de 2009, que preconizou a angariação de um parceiro para desenvolver a CCGT de Sines, e o seu financiamento em regime de Project Finance.

A IPR detém uma carteira de negócios que inclui participações em activos de geração de electricidade com uma capacidade bruta instalada superior a 32 GW espalhados por 21 países.

Governo alarga prazo 


Este projecto consegui ser retomado depois da Galp ter chegado a acordo com o Governo para o alargamento do prazo de construção desta central, inicialmente previsto para o fim de 2009.

Mas o prazo do contrato acabou por ser alargado por mais um ano, admitindo ainda a possibilidade de prorrogação automática por três anos.

Mas a intenção da Galp solicitar o adiamento de prazos não foi a única em projectos deste tipo, atendendo a que a central da Figueira da Foz, licenciada à Iberdrola, também quis negociar a prorrogação de prazos, embora o Governo não tenha dado indicações conclusivas sobre esta intenção. Mesmo assim, a Iberdrola tem dito que continua interessada em avançar com o projecto da Figueira da Foz.

Por outro lado, o projecto da International Power e da Endesa, na Central de Ciclo Combinado do Pego já está quase concluído (um segundo grupo de 418 MW). Trata-se de um investimento de €600 milhões, equipado pela Siemens Power Generation.

Entre todos os quatro projectos de centrais apresentados em 2006, só a Central de Lares, da EDP, está a funcionar desde o Verão de 2009 (dois grupos de 431 MW, com uma potência total de 862 MW). A EDP investiu €400 milhões na Central de Lares.


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 0 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub