18 de abril de 2014 às 0:59
Página Inicial  ⁄  Economia  ⁄  Fortuna de Donald Trump em tribunal

Fortuna de Donald Trump em tribunal

250 milhões de dólares, ou mais de mil milhões? O valor da fortuna do promotor imobiliário é alvo de uma disputa judicial nos Estados Unidos.
Sónia M. Lourenço

Donald Trump é, provavelmente, o promotor imobiliário mais famoso do mundo. Além dos seus projectos, os mediáticos casamentos e a presença frequente na televisão tornaram-no numa celebridade.

Mas, afinal, quanto vale a sua fortuna? O milionário já referiu várias vezes que se situa na ordem dos milhares de milhões de dólares. Contudo, o livro TrumpNation: The Art of Being The Donald, publicado em 2005, citando fontes anónimas, chegou a um valor bem diferente: 150 milhões a 250 milhões de dólares.

A resposta de Donald Trump foi imediata: processou o autor, Timothy O'Brien, e a editora por difamação, alegando que tal estimativa - baixa - prejudicava a sua reputação e capacidade de fazer negócios por todo o mundo.

Agora, foi conhecido um depoimento do famoso milionário, no âmbito deste processo, noticiou o The Wall Street Journal. Nele, Trump indica, sob juramento, como avalia a sua fortuna. E refere fazer "projecções mentais". Nas suas palavras, "o meu valor líquido varia, e sobe e desce com o comportamento dos mercados, com atitudes e com sentimentos, até mesmo com as minhas sensações", cita o The Wall Street Journal.

No referido depoimento, Donald Trump afirma que a sua estimativa do seu valor líquido em 2007 - mais de 4 mil milhões de dólares - é "um número conservador". E considera que pode atingir os 6 mil milhões, se for levado em conta o valor da sua marca pessoal.

Contudo, em 2005, o Deutsche Bank estimou a fortuna de Trump em 788 milhões de dólares, no âmbito da concessão de um crédito para construção imobiliária. Números que o milionário apelidou de "ridículos".

A controvérsia ganhou visibilidade numa altura em que vários projectos de Donald Trump enfrentam dificuldades. Entre os problemas estão a fraqueza das vendas, declínio no valor das propriedades, disputas com credores, e até, processos judiciais.

Comentários 0 Comentar
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub