Anterior
Moção de censura dá voz aos portugueses
Seguinte
CGD prevê reduzir crédito a particulares
Página Inicial   >  Economia  >   FMI pede a Espanha para subir o IVA e baixar salários

FMI pede a Espanha para subir o IVA e baixar salários

Fundo Monetário Internacional pediu hoje ao Governo de Mariano Rajoy para não esperar por 2013 para subir o IVA e aprovar quanto antes nova descida dos salários dos funcionários públicos, para reduzir o défice. 
El País e agências |
Christine Lagarde, diretora-geral do FMI
Christine Lagarde, diretora-geral do FMI / Yuri Gripas

Christine Lagarde, diretora-geral do FMI, pediu hoje a Mariano Rajoy para aumentar o IVA e reduzir os salários dos funcionários públicos, desaconselhou mais amnistias fiscais em Espanha e advertiu que, sem essas medidas, o défice público do país superará "significativamente" os objetivos estabelecidos no plano de estabilidade que o Executivo espanhol se comprometeu a cumprir.

Na véspera de um fim de semana crucial para o euro, por causa das eleições gregas, e com os mercados pendentes da situação em Espanha, a responsável pelo FMI insiste que as "perspectivas são muito difíceis" e que o país se encontra "no meio de uma recessão com recaídas sem precedentes".

Desempenho inaceitável


Christine Lagarde criticou o "desempenho a níveis já inaceitáveis " de Espanha, "com a dívida pública a crescer rapidamente e segmentos do setor financeiro com necessidades de recapitalização".

De acordo com o FMI, as medidas adotapadas nos últimos meses pelo Governo espanhol são "relevantes", mas não são suficientes, não permitindo recuperar a confiança nos mercados, que continua "débil". Pelo que a situação está a exigir uma resposta "ambiciosa" que vise de uma vez a consolidação fiscal e a reestruturação do sector financeiro, sem esquecer que tem de potenciar o crescimento através de reformas estruturais.

Na opinião do organismo dirigido por Christine Lagarde, o objetivo de redução do défice de Espanha é muito "ambicioso" - passar de 8,9% em 2011 a 5,3% até ao final do ano e, para já, voltar a baixá-lo a 3% em 2013, metas que o FMI considera muito difíceis de alcançar, principalmente porque as entradas serão mais débeis do que o desejado, e não se pode limitar o ajuste a cortes de gastos que tardam em produzir efeitos.

Tal como foi dito no ano passado ao Governo de José Luis Zapatero, o FMI aponta para a necessidade da subida do IVA assim como de outros impostos especiais,  mas desta vez diz que a situação é de urgência. Ou seja, "estas medidas devem ser tomadas já".

Espanha debaixo de estrita vigilância


O país está debaixo de  estrita vigilância por parte da Troika  (UE, BCE e o próprio FMI, que embora não esteja a dar ajuda financeira a Espanha, supervisionará o processo). Por conseguinte, o Governo de Mariano Rajoy estará presionado para seguir as recomendações hoje feita pelo Fundo Monetário Internacional.

Sobre uma redução das prestações da Segurança Social,  que o FMI admite como "desejável", o organismo enfatiza que tal somente será possível quando forem alcançados alguns objetivos na redução do défice. Ou seja, quando este se situar abaixo dos 3%. Daí que pede ao Governo espanhol para suprimir a dedução fiscal sobre os imóveis, que o Governo reintroduziu quando Rajoy assumiu o poder em dezembro.

Além disso,  o FMI considera "fundamental" que não haja mais amnistias fiscais nem aumentos transitórios de taxas em Espanha, uma vez que essas medidas devem oferecer "ganhos permanentes".

Quanto ao gasto público, o FMI entende que os cortes estão previstos "nas áreas adequadas", mas não serão fáceis de ser postos em prática, sendo difícil prever se vão alcançar ou não os resultados pretendidos. Razão pela qual é necessário que Espanha  aprove "agora" os cortes nos salários dos funcionários públicos.  No entanto, o FMI admite que esses cortes possam vir a ser cancelados caso o objetivo de redução do défice seja realmente cumprido.

O organismo refere, ainda, que Espanha deveria dar "maior ênfase às privatizações". 

As conclusões da equipa do FMI que esteve em Espanha nos últimos dias, agora divulgadas,  são publicadas uma semana depois de o Conselho Executivo aprovar o relatório de supervisão do sistema financeiro espanhol, tendo-se identificado uma necessidade de capital para a banca da ordem de 37 mil milhões de euros somente para cobrir eventuais perdas futuras num cenário económico adverso.


Opinião


Multimédia

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 39 Comentar
ordenar por:
mais votados
OS VAMPIROS
Eles aí estão também em Espanha. Os vampiros. Os abutres. Os vilões. SACAR AO POVO PARA DAR AOS BANQUEIROS. Espanhóis, tende vós a coragem de lhes dar a resposta que a cobardia portuguesa não dá. Alastrai as Astúrias a todo o país para vermos os ricaços fugir para casa do Tio Sam.
Re: OS VAMPIROS
Re: OS VAMPIROS
A Espanha já foi intervencionada, mas só eles é
que sabem.........mais ninguém..............
Só espero que não caiam nessa, como NÓS !
Camuflagens
Rajoy bem tentou minimizar o assunto,tratando-o como assunto menor.Com juros a 7% tem que ir, chapéu na mão, pedir mais uma batelada de euros aos habituais troikos.

A receita já está passada, é só pôr o nome do doente. Sobe IVA, baixa salários,diminui serviços,sobe IRS, rapa subsídios,etc.
De facto, com 17 autonomias, 17 parlamentos,delegados provinciais e milhares de cargos por todo o território deve ter umas despesas administrativas astronómicas. Sempre me pareceu que viviam acima dos rendimentos, acho que tinha razão......
Re:Os Espanhois nao como os Portugueses ..
Re: Os Espanhois nao sao como os Portugueses
Re: Os Espanhois nao sao como os Portugueses
Re: Os Espanhois nao sao como os Portugueses
Re: Os Espanhois nao sao como os Portugueses
Re:antes a lute do que morrer de fome
Re: Re:antes a lute do que morrer de fome
Re: Os Espanhois nao sao como os Portugueses
Re: Os Espanhois nao sao como os Portugueses
Re: Os Espanhois nao sao como os Portugueses
Re: Os Espanhois nao sao como os Portugueses
Está a acontecer tudo em segredo, em Espanha
o rating vai baixando e os juros vão subindo em Espanha e a intervenção da Troika poderá estar eminente. Onde é que os portugueses já viram isto? tudo começa com noticias assépticas: "Instabilidade do sector financeiro penaliza Espanha e Zona Euro". Depois os juros aumentam para os paises endividados dependentes de financiamento nos "mercado" - em Espanha ultrapassaram hoje os 6%. No final do processo será activado o Mecanismo Europeu de Estabilidade o que, toda a gente já sabe à boca pequena, será solicitado a 1 de Julho.

Tudo parece ter começado (mas de facto não é assim) com a “descoberta” do buraco financeiro no Bankia, primeiro noticiado como sendo de 6 mil milhões, que depois passou a 2 Mil milhões, mas (depois de preparada a opinião pública, disparou para 12, logo para 19 Mil Milhões). No final, decidida a nacionalização dos prejuízos do Bankia (com a estafada tanga do perigo de alastramento à banca nacional) o governo do partido neoconservador declarou que para salvar o sistema bancário de Espanha era preciso injectar naquele banco 23,5 Mil Milhões de Euros. Esse dinheiro lançado para a fogueira de um banco falido (tal como no caso do português BPN) não vai poder ser devolvido e fará disparar o défice do país para dois dígitos...

Não é Paasos Coelho o único trafulha. Há mais.....
O Primeiro ministro do Partido Popular do neoconservador José Maria Aznar mentiu durante semanas sobre o pedido de ajuda financeira, (como antes tinha mentido Zapatero)...
 
... primeiro sobre o montante necessário para acudir a limpar os activos tóxicos que constam nas contabilidades das instituições bancárias com maior exposição na Europa ao crash da bolha imobiliária, depois porque os termos do empréstimo para resgatar os bancos privados (em vez de os deixar falir ou serem resgatados pelos accionistas) é feito em troca por garantias prestadas pelo Estado. De facto é apenas mais uma nuance na forma, aparente nova, de transferir dívida de privados para dívida pública, ou seja, é exactamente o mesmo esquema de usura que está a ser aplicado a Portugal, à Grécia e à Irlanda. Da mesma forma a imposição de mais medidas de austeridade continuará. O próprio comunicado do Eurogrupo deixa claro que há mais medidas e cortes que estão pendentes..
República federal iberica YA!
Queridos vecinos lusos, es hora de hacer frente al desafio alemán . Queda muy poco para que Europa vuelva a desintegrarse, España y Portugal deberían unirse con el nombre de Iberia y olvidar las disputas del pasado. Un portugues y un español tienen mas similitudes que diferencias,juntos podemos!!!
Re: República federal iberica YA!
Parece que afinal é mesmo um regate...
Os líderes europeus tomam os seus eleitores por idiotas, da minha parte o sentimento é recíproco...
Não entendo
Não eram só os bancos que iam arcar com as consequências deste empréstimo??

Pois ...
Re: FMI pede a Espanha para subir o IVA e baixar s
Tenho a sensação de já ter visto este filme nalgum lado...
Re: FMI pede a Espanha para subir o IVA e baixar s
Re: FMI pede a Espanha para subir o IVA e baixar s
Parece uma teoria da conspiração. Eu acredito que sim. Não é que há coisa de uma ano, mais dia, menos dia, já se passou o mesmo cá pelo nosso Portugal. Já agora, e em relação há fotografia na notícia, só queria dizer que se visse tal figura á noite, num qualquer ermo, teria que ir a correr para casa para me mudar... E siga a banda, que o próximo é a Itália.
Re: FMI pede a Espanha para subir o IVA e baixar s
Politicos ...
Mas que povo... deixem Portugal e venha para a Suiça...
Somos todos escravos, desde dos descobrimentos que aplicamos escravatura e as riquezas roubadas nao eram investidas mas usadas para o bem estar da monarquia... hoje em dia nada mudou... fujam desse pais, venham para Suiça que vos ajudarei.
Deixo aqui um motor de busca para encontrar trabalho na Suiça: woorkle.com
Que exemplo
Esta trabalhadora das obras sempre com moreno à trolha, que ganha por ano mais que 99% da população em toda a sua vida, não paga impostos, porque o FMI é uma entidade sem pátria segundo os mesmos, vem para aqui mandar postas de pescada e sentidos de voto. Que grande Democracia a de hoje, muitos parabéns a todos os que directa ou indirectamente votam ou votaram em que lhes faz a vontade, com memorandos teremos uma sociedade mais justa, com trabalho digno, do nascer até ao pôr do Sol, sem férias, feriados ou outras mordomias, comeremos pão seco e beberemos água suja, desde que os mercados estejam contentes é o caminho a seguir! Viva!
Os espanhóis são de outra cepa!
Não são como nós que apertámos o cinto e baixamos as calças ao mesmo tempo. Fizemos o mais difícil... e sempre com um sorriso nos lábios.

É só ler as barbaridades aqui escritas pelos holandeses em apoio ao gangue...
Espanholitos
Olé, puta madre, vale, vale!
Nosotros no tenemos nada que ver con Portugal!
Eh! Eh! Eh!
Bem sei que o afundanço dos "nuestros hermanos" não nos aproveita em nada, mas não consigo evitar recordar, à medida que os países do sul + Irlanda se vão afundando, um por um, os respectivos discursos.
Assim, a Irlanda dizia que não era a Grécia, Portugal não era a Irlanda, a Espanha não era Portugal...
Agora, a Itália não é a Espanha, depois a França não será a Itália...
A ver vamos onde irá isto tudo parar.
Re: Nosotros no tenemos nada que ver con Portugal!
Re: Nosotros no tenemos nada que ver con Portugal!
Comentários 39 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub