Anterior
Egito: El Baradei retira candidatura às presidenciais
Seguinte
Milhares de egípcios pedem pena de morte para Mubarak
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Atualidade  >  Crise no Egito  >   Fim do estado de emergência no Egito 31 anos depois

Fim do estado de emergência no Egito 31 anos depois

Terminou o estado de emergência no Egito que esteve em vigor durante 31 anos, sem interrupção, desde o assassinato do Presidente Anwar Sadat em 1981.
BBC |
Egípcios gritam palavras de ordem durante protesto contra o candidato presidencial Ahmed Shafik, na Praça Tahrir, no Cairo, no passado dia 27
Egípcios gritam palavras de ordem durante protesto contra o candidato presidencial Ahmed Shafik, na Praça Tahrir, no Cairo, no passado dia 27 / Suhaib Salem/Reuters

Desde a meia-noite, já ninguém pode ficar detido ilegamente no Egito nem estar impedido de  se manifestar publicamente contra alguém ou alguma coisa. Chegou ao fim o estado de emergência - símbolo da repressão e da arbitrariedade do antigo regime-, que dava amplos poderes  às autoridades egípcias incluindo o direito de deter e manter pessoas indefinidamente na prisão sem  acusação formal, proibir protestos no país e censurar a imprensa.

"O estado de emergência chegou ao fim no dia de hoje (quinta-feira)", indicou a televisão pública.

Exército continua a "garantir" a segurança


Esta lei excecional, em vigor desde 1981,  expirou por decisão do Exército, no poder desde a queda de Hosni Mubarak. No entanto, de acordo com o Conselho Supremo das Forças Armadas, o Exército continuará a garantir a segurança durante a fase de transição. Ou seja, até à segunda volta das presidenciais, marcadas para 16 e 17 deste mês, e a passagem de poderes ao futuro Presidente. 

Através de comunicado divulgado pela agência oficial Mena, o Conselho Supremo das Forças Armadas, no poder desde a queda de Mubarak, indicou que o Exército "continuará assumindo a responsabilidade nacional de proteger a segurança da nação e de seus cidadãos (...) depois do fim do estado de emergência, em conformidade com a Constituição e com as leis".

"Isto é muito importante. O fundamental aqui é a mensagem. As forças de segurança operavam numa cultura que lhes permitia constantemente estar acima da lei. Agora precisam de se sujeitar à legislação existente e não terão quaisquer poderes extrajudiciais", disse à BBC o ativista dos direitos humanos Hossam Bahgat, que  desde há muito defende o fim da lei.

O fim do estado de emergência,  que esteve em vigor durante 31 anos desde que o Presidente  Anwar Sadat foi assassinado por radicais islâmicos em 1981, era uma das reivindicações dos ativistas  que no ano passado se rebelaram contra o então Presidente Hosni Mubarak.  Durante este tempo, a lei sofreu várias prorrogações, a última das quais em 2010, válida por dois anos, até o dia 31 de maio de 2012. 

Entretanto,  Hosni Mubarak - que esteve no poder desde  14 de outubro de 1981 a 11 de fevereiro de 2011, renunciando ao fim de 18 dias de protestos -, e os seus dois filhos,  Gamal e Alaa Mubarak, que se encontram detidos e estão a ser julgados por corrupção, deverão conhecer amanhã o veredicto do tribunal.

10.000 pessoas presas ao abrigo do estado de emergência


Grupos de direitos humanos estimam que, durante o estado de emergência, mais de 10.000 pessoas foram detidas no Egito, muitas das quais "desapareceram" nas prisões egípcias.

Heba Morayef, da Human Rights Watch (HRW), classificou de "histórico" o fim do estado de emergência. "Isto reflete o fato de que acabou a época em que o ministro do Interior estava acima das leis e gozava de um poder ilimitado", afirmou.

"Infelizmente, isto não acabará com os piores abusos que vimos neste último ano e meio, porque foram cometidos pelos militares e legitimados pelos tribunais militares", afirmou a represenante da HRW.

De acordo com esta ONG, pelo menos 188 pessoas ainda estão detidas no Egito sob o "chapéu" da lei de emergência, havendo pelo menos oito casos pendentes no tribunal de segurança estatal do país.

A última condenação ocorreu em maio, quando um tribunal sentenciou 12 pessoas à prisão perpétua, absolvendo outras oito por duas mortes em confrontos sectários ocorridos em abril de 2011, na província de Minya.

 

 


Opinião


Multimédia

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.


Comentários 0 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub