0
Anterior
A Caipirinha Cup
Seguinte
Máquinas Falantes na posse da Câmara de Alcobaça
Página Inicial   >  Blogues  >   Fica bem

Fica bem

Num recanto de Benfica pratica-se boa cozinha portuguesa, das lulas de coentrada ao arroz de vitela barrosã.
|
Fica bem

O objectivo está em Benfica, porém se se disser apenas que é na Travessa do Rio talvez não se saiba bem onde fica, até porque não se supõe qualquer rio para aquelas bandas. Acrescente-se então que, vindo pela Estrada de Benfica ou pela Avenida do Uruguai, se toma a Avenida Gomes Pereira (no primeiro caso virando à esquerda, no segundo seguindo em frente) e nesta volta-se na primeira à direita, que responde por Rua Nina Marques Pereira.

Os automobilizados deverão deixar os popós por aqui, pois ao fundo desta, do lado direito, é que bem fica a quase escondida Travessa do Rio, curta, com trajecto só pedestre até à Estrada de Benfica, debaixo dum prédio em cuja esquina finalmente se vê a tabuleta toponímica. Ora Travessa do Rio porquê? Segundo alguns, lembrança de um curso de água que outrora passava no local e que se manifestou pela última vez aquando das catastróficas cheias de 1967.

Alvo atingido no nº6. Ao lado dos degradados edifícios amarelos do antigo Laboratório de Medicina Veterinária, cá temos o restaurante A Travessa.

Inaugurado em 25 de Abril de 1992, os três sócios fundadores, profissionais de hotelaria, continuam a ser os mesmos e a desempenhar as respectivas funções: o cozinheiro Toni (nome de guerra de António Silva), Arménio Pinto no balcão e Vítor Pinto na sala. Esta como que dividida por dois arcos, chão ladrilhado, paredes com azulejos até dois terços e o resto branco guarnecido de gravuras, loiças, recortes e candeeirinhos, dois balcões laterais, mesas em que apenas o papel da toalha de cima destoa, num ambiente por assim dizer familiar.

A lista das comidas, de orientação esmagadoramente portuguesa, tem o sector variável e o fixo. Exemplo de Pratos do Dia: "arroz de tamboril com gambas" (€12,50), "safio à marinheira" (€10) e "espadarte à espanhola" (€10,50); "presa de pata negra com salada russa" (€11), "arroz de vitela barrosã com cogumelos frescos" (€11), "naco de vitela barrosã no forno" (€11), "plumas de porco preto no churrasco" (€11) e "língua de vitela guarnecida (€9).

Em outro dia, apareceram "bacalhau à Dr. Guimarães" (€13), "filetes de peixe-galo com açorda de ovas" (€16,50) e repetiu o discutível safio; surgiram "dobrada com feijão branco" (€9,50), "carne de porco preto com gambas" (€11), "bochechas de porco preto à Beira" (€11) e reapareceram arroz de vitela e naco de vitela. A única promessa de pratos em dia específico é a de cabrito assado e/ou pá de cordeiro assada, aos domingos. Quanto à parte fixa da lista, contam-se 13 Entradas, 2 Sopas, 6 Mariscos, 5 Peixes e 6 Carnes (bifalhada e parentela).

Nótulas de prova. Supranumerários, interessantes "rissóis" e "croquetes". Correctos em molho capaz os "carapaus de escabeche" (€3,50). Enchido atilado e ovos mexidos mimosos na "alheira com ovo". O "bacalhau à Dr. Guimarães" - homenagem a Manuel Guimarães (1938-1997), saudoso homem da cultura e do turismo, tomarense de adopção, historiador e crítico de gastronomia -, de ingredientes primeiro cozidos e depois submetidos ao forno, o gadídeo lascado sobre batata fininha e cebola e sob espinafres e broa migada, esteve muito apetitoso e ajustado de azeite.

Do melhor que podem dar as "lulas de coentrada com gambas" (€12). Caldoso e saborido o "arroz de vitela barrosã com cogumelos frescos". Consoladora a já tão rara "língua de vitela guarnecida", embora às batatas chips, aliás impecáveis, tivesse preferido o puré de batata. Bem acompanhadas e de execução competente as "bochechas de porco preto à Beira". Genuinidade e bom nível sápido no "naco de vitela barrosã no forno", acolitado por ameno esparregado em apresentação original.

Há 14 doces, com largo contributo tradicional e conventual. Carta de vinhos robusta, por regiões, sem datas, a preços não especulativos: 96 tintos, 30 brancos, 7 verdes brancos (4 Alvarinhos) e 4 espumantes. Serviço eficiente e amável. Como a oferta permite sempre fugir às trivialidades e aos modismos e a cozinha é digna e consistente, conclua-se que A Travessa fica bem neste recanto de Benfica.


A Travessa
Travessa do Rio, 6 e 6-A
Lisboa
Tel. 217 160 543 (fecha às segundas)

Opinião


Multimédia

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola, em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Costeletas de borrego com migas de castanhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Strogonoff de peixe espada preto

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Caril de banana

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.


Comentários 0 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub