1
Anterior
Incêndio no concelho de Sintra controlado
Seguinte
Três mortos e 22 feridos pelo fogo na Catalunha
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Festival Marés Vivas foi "um sucesso"
com fotogaleria

Festival Marés Vivas foi "um sucesso"

Festival  de música realizado na praia do Cabedelo, em Gaia, contou com 95 mil pessoas ao longo de quatro dias, para satisfação da organização. Veja as fotografias.
Lusa |
Anastacia atuou ontem à noite
Anastacia atuou ontem à noite / José Coelho/Lusa

A 10.ª edição do festival Marés Vivas, que decorreu de quarta-feira a sábado na praia do Cabedelo, em Gaia, foi "um sucesso" e registou a adesão recorde de 95 mil pessoas, mais de 7 mil das quais espanhóis.

"Atingimos as 95 mil pessoas ao longo dos quatro dias e ficámos muito próximos do nosso objetivo, que era as 100 mil. Foi um recorde, embora este tenha sido o único ano em que tivemos quatro e não três dias de festival. No ano passado chegámos às 71 mil pessoas", afirmou à agência Lusa Jorge Lopes, da Pev Entertainment, que promove o evento em parceria com a Câmara Municipal de Gaia.

Segundo adiantou, para o ano está já assegurada a 11.ª edição do festival de música, a decorrer dias 18, 19 e 20 de julho, no mesmo local.

"O cartaz ainda está por definir, mas vamos começar a partir de amanhã [segunda-feira] a trabalhar em 2013", garantiu Jorge Lopes.

Billy Idol esgotou


De acordo com o promotor, a noite de sexta-feira foi "o ponto alto" do Marés Vivas, com a atuação de Billy Idol a esgotar a lotação de 25.000 pessoas do festival.

"Mas na quinta-feira [em que atuaram os Gun, The Cult, Garbage e Kaiser Chiefs] ficámos a 300/400 bilhetes de esgotar e no sábado [com as atuações de Mónica Ferraz, The Hives, Anastácia e Pedro Abrunhosa] tivemos 22/23.000 pessoas. Só na quarta-feira [dia de The Sounds, Wolfmother e Franz Ferdinand] é que foi um bocadinho mais abaixo, com 21.000 pessoas", disse.

Muitos espanhóis em Gaia


Considerando que os vários artistas presentes não desiludiram e protagonizaram "grandes concertos", Jorge Lopes destacou a presença de "cada vez mais espanhóis" em cada edição do Marés Vivas.

"No início desta edição do festival tínhamos cerca de 7.000 bilhetes vendidos em Espanha, mas acho que esse número foi largamente superado. Notámos que havia muita gente a falar espanhol, mas as outras vendas foram feitas no local e essas não são contabilizadas por nacionalidade", explicou.

Para a organização, "este tornou-se, efetivamente, um festival prioritário para o norte de Portugal e para a Galiza": "É um festival preferencial para os galegos, que não têm lá nada com relevo, e notamos que, ano após ano, já temos alguma fidelidade desse público", sustentou.

Para Jorge Lopes, não foi a crise que impediu a concretização da meta dos 100 mil "festivaleiros", até porque o bilhete diário de 30 euros é apontado pela organização como o "mais barato" no circuito dos festivais europeus: "Não acho que tenha sido a crise que nos tenha impedido de atingir esse objetivo. A fasquia que colocámos é que era exageradamente alta, porque estávamos a falar em esgotar as quatro noites do festival, o que não é uma coisa fácil de se conseguir, muito menos no norte".

Ainda assim, os promotores admitem que "o tempo ajudou muito": "Este ano fomos, finalmente, brindados com a ajuda do S. Pedro e tivemos todas as noites muito boas e uns dias fantásticos. E já merecíamos, porque os outros festivais têm tido anos com belíssimas temperaturas e nós temos sido fustigados com algum frio e alguma chuva", afirmou Jorge Lopes.



Veja a fotogaleria:

Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 1 Comentar
ordenar por:
mais votados
Só sucessos!
A «expo 98» foi um sucesso... O «euro 2004» foi um sucesso... os festivais são grandes sucessos... as empresas portuguesas é só «casos de sucesso».. os jovens têm todos «sucesso»... é só sucessos! Dir-se-ia que Portugal é um Oásis.

Quando é que param para pensar um bocadinho?
Quando é que aprendem que não basta ser optimista? Que é preciso «substância», competência, inteligência.. e que não é repetindo mentiras optimistas que saímos do buráco?
Comentários 1 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub