48
Anterior
Subsídios: tirar aos ricos para dar aos pobres
Seguinte
Bênção do Gado volta a Torres Novas
Página Inicial   >  Economia  >  Agricultura  >   Falências vão aumentar no sector do leite
VÍDEO

Falências vão aumentar no sector do leite

Nos últimos vinte anos Portugal perdeu 53 mil produtores de leite. Com a quebra no consumo preveem-se mais falências no sector.
|

Opinião


Multimédia

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola, em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

United Colors of Gnocchi

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Strogonoff de peixe espada preto

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Caril de banana

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.


Comentários 48 Comentar
ordenar por:
mais votados
falencias-vao-aumentar-no-sector-do-leite
Se bem me parece ainda era um sector onde tínhamos alguma dinâmica na agricultura. Este governo vai ficar na história com o cognome do liquidatário e do Latinha.

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/03/nova-alcunha-do-governo-e-latinha.html
Re: falencias-vao-aumentar-no-sector-do-leite
Re: falencias-vao-aumentar-no-sector-do-leite
Re: falencias-vao-aumentar-no-sector-do-leite
Re: falencias-vao-aumentar-no-sector-do-leite
Re: falencias-vao-aumentar-no-sector-do-leite
Re: falencias-vao-aumentar-no-sector-do-leite
Re: falencias-vao-aumentar-no-sector-do-leite
Re: falencias-vao-aumentar-no-sector-do-leite
Re: falencias-vao-aumentar-no-sector-do-leite
Re: falencias-vao-aumentar-no-sector-do-leite
Re: falencias-vao-aumentar-no-sector-do-leite
Falências vão aumentar no sector do leite
Mas as grandes superfícies continuam a importar milhões de litros de leite da UE, de qualidade muito duvidosa! Aí o governo não diz nada, claro os seus amigos estão a encher as algibeiras! QUE SE LIXEM OS PORTUGUESES!
EEEEEEEE?????
Vamos ter para aí vacas desempregadas, com caraças! :-)
Fu...rtugal a terra sem qualquer futuro
Fu...rtugal , a terra da fraude , das falências , dos fogos e flagelos economicos por geração espontânea sem qualquer responsavel.
C/ estes LIBARALHINHOS tudo q é líquido vai falir
C / estes LIBARALHINHOS tudo q é líquido vai falir
a) vai falir o leite
b) vai falir o vinho
c) vai falir a água
d) vai falir os sumos
e) vai falir o azeite
f) já faliu a liquidez
g) e o sólido está a liquidar-se
estão a sakluidar tudo! .))!!
Re: C/ estes LIBARALHINHOS tudo q é líquido vai f
Re: C/ estes LIBARALHINHOS tudo q é líquido vai f
Re: C/ estes LIBARALHINHOS tudo q é líquido vai f
Re: C/ estes LIBARALHINHOS tudo q é líquido vai f
Re: C/ estes LIBARALHINHOS tudo q é líquido vai f
Re: C/ estes LIBARALHINHOS tudo q é líquido vai f
Re: C/ estes LIBARALHINHOS tudo q é líquido vai f
Re: C/ estes LIBARALHINHOS tudo q é líquido vai f
Re: C/ estes LIBARALHINHOS tudo q é líquido vai f
Custos de Produção
É bom lembrar que as despesas de produção e de manutenção dos animais são são apenas a alimentação (cuidados veterinários, reprodução, manutenção e aquisição de equipamentos, mão-de-obra, água, luz....). É também necessário referir que são precisos dois anos para criar um animal até que este comece a produzir e que as vacas não estão constantemente em produção (têm pelo menos 2 meses de secagem).
Por tudo isto não é possível analisar a rentabilidade da exploração apenas pela relação entre custo de alimentação e o retorno da produção.
Mas
Então deixem-me adivinhar. Querem mais um subsidio, acertei?
Re: Mas
Inocência
Re: Falências vão aumentar no sector do leite
Muito importante também é não estar apenas preocupado com o preço do leite. Trabalhar do ponto vista técnico bem. E melhor do que exportar para Espanha é evitar importar de Espanha também.
Re: Falências vão aumentar no sector do leite
"ENA PÁ"
53 mil produtores li bem em 20 anos.
Não serão vacas em greve ?
É que eu até bebo leite mas se acabaram 53 mil é a população quase que é a mesma então temos ainda que chegue.
Ora segundo a minha secretária devemos ter à volta de 9.000 a 10.000 produtores mais coisa menos coisa.
Temos aqui é um (mais um) caso de despedimento coletivo de vacas será ?.
Não é pois não ? São os eternos abusos sobre quem trabalha e no duro.
Talvez restruturar as vacas e os donos das vacas e pagar-lhes na medida do justo mas sem aumentos desnecessários.
As cooperativas são um grande bem é verdade, mas também, um belo buraco de vez enquado onde cabe tudo.
Carlinhos ....Jerónimo já com as vacas para a rua e toalhetes na mão.
Por amor de Deus tá tudo aleitado de tinto. (espero que verde).
Paguem aos produtores o que eles merecem e devem receber, para não serem no ministério chamados de chulos das pobres vacas.
kácus
Quebra de consumo?
Fala-se aqui em quebra de consumo de leite, e a primeira justificação que ocorre é que esta radica na quebra de poder de compra. Todavia, será que também houve quebra no consumo de cerveja? Talvez que se tivessem utilizado os deuses da Selecção para promover o leite, usando aquelas bonitas camisolas com o escudo nacional no peito, como vi em spots publicitários de cerveja, se pudesse ter veiculado uma mensagem bastante mais válida para a saúde dos portugueses, e, já agora para a actividade dos produtores de leite. Eu sei, eu sei, "o dinheiro é tão bonito, é tão lindo o maganão...".
Sim, e!?
(1)
E depois!?
Qual é o problema?

Esta é a verdadeira ‘cara’ da indústria leiteira e não a treta dos anúncios de prados verdejantes imaculados com vacas felizes e em liberdade…

“O Leite É Retirado a Uma Mãe em Luto”

“As vacas leiteiras são os animais mais explorados do planeta: são repetidamente engravidadas à força para produzirem leite, sofrem durante dias a angústia de lhes verem retirados os filhos logo que nascem, são constantemente atormentadas pela maquinaria que as fere enquanto lhes suga o leite que era destinado aos filhos e, no fim, acabam numa refeição de uma cadeia internacional nojenta de ‘fast food’ ou num outro hambúrguer qualquer.
Muitas pessoas julgam que as vacas produzem leite por obra e graça do Espírito Santo, mas a realidade é bem mais mundana. Para manter uma produção ininterrupta de leite, as vacas têm de ser repetidamente forçadas a engravidar e a dar à luz um filho.
Costumam ser engravidadas através de inseminação artificial, o que envolve a introdução forçada de um braço no recto da vaca para posicionamento do útero, enquanto um instrumento para depósito do sémen é empurrado pela vagina. Para recolha do sémen, é comum utilizar-se um boi macho castrado a fazer o papel de fêmea, já que uma fêmea não conseguiria aguentar tantas montas consecutivas. O sémen é recolhido enquanto o boi reprodutor é obrigado a montar o boi castrado.
Re: Sim, e!?
Re: Sim, e!?
Re: Falências vão aumentar no sector do leite
Sim, e!? (2)
(2)
As vacas são animais extremamente sociais e com fortes laços familiares, mas são constantemente obrigadas a ver os filhos recém-nascidos serem-lhes tirados, para que os humanos possam ficar com o leite que era destinado aos seus bezerros.
O processo de separação é agonizante e traumatizante tanto para a mãe como para o filho, e é comum ambos gritarem um para o outro enquanto são afastados. Algumas vacas emitem sons de lamento durante vários dias após lhes serem retirados os filhos. Para elas, como para a maioria das mães, não há maior dor que a perda de um filho.
Os vitelos macho filhos das vacas leiteiras não têm nenhuma utilidade para a exploração de leite, pelo que são vendidos para consumo e são castrados para terem uma carne mais tenra. As vitelas fêmea podem ser encaminhadas para consumo ou ficar na exploração para substituírem vacas leiteiras esgotadas.
Por volta dos 6 anos de idade, que seria apenas o princípio da idade adulta na natureza, as vacas estão esgotadas física e psicologicamente, e isso reflecte-se no declínio da produção de leite. Dado que a margem de lucro é para manter, as vacas extenuadas são rapidamente vendidas para abate.
Após terem passado por diversas inseminações forçadas, partos dolorosos, separações angustiantes e ordenhas sem descanso, espera-as agora o aterrorizante matadouro com o seu característico e nauseabundo cheiro a morte.
Sim, e!? (3)
(3)
Mas, antes disso, falta ainda passar pelo calvário do transporte para o matadouro. O transporte costuma ser particularmente penoso para as sofridas vacas leiteiras, uma vez que muitas padecem de dolorosas inflamações no tecido mamário (mastite) e de osteoporose. Muitas vacas ficam tão debilitadas, que nem são capazes de andar quando chegam ao matadouro.
No matadouro, as vacas são atordoadas com uma pistola que dispara um êmbolo retráctil que lhes causa uma lesão grave no cérebro e, se tiverem sorte, a perda dos sentidos.
Em seguida, são içadas por uma das patas traseiras e degoladas enquanto ainda têm o coração a bater, de modo a que o sangue seja expelido para fora do corpo. Por vezes, as vacas ainda estão conscientes quando são degoladas.”

Isto é a ‘linda’ e ‘saudável’ ‘indústria’ leiteira!
Ah, e a farsa de que o leite ‘faz bem’ começa a ser finalmente revelada e cada vez mais estudos (imparciais) apontam para uma clara evidência de que há mais malefícios do que benefícios no consumo de leite e derivados:
- www.pcrm.org/search/?cid=254
- www.pcrm.org/search/?cid=252
- www.pcrm.org/search/?cid=1430
- www.pcrm.org/search/?cid=1213
- www.pcrm.org/search/?cid=1145
Re: Sim, e!? (3)
Sim, e!? (4)
(4)
Claro que ainda há que combater uma poderosa indústria e acabar com uma mentira que nos anda a ser imposta (por médicos e nutricionistas) há décadas.
Relembro que ainda não há muitos anos atrás, médicos e ‘cientistas’ afirmavam que o tabaco não só não fazia mal como até era benéfico para a saúde.
Obviamente hoje em dia é bem sabido que a indústria tabaqueira pagava fortunas em marketing, em estudos falsificados, e subornos a médicos, cientistas e respectivas autoridades.

Um outro ponto que gostava de esclarecer era o facto de os humanos serem a única espécie que continua a consumir leite quando já adultos, e ainda por cima de outra espécie.
Se fizerem um estudo e perguntarem às pessoas se seriam capazes de beber leite de fêmeas humanas (= mulheres) provavelmente a maioria ou a totalidade diria que não e até acharia nojento; no entanto, não se importam de beber leite de uma fêmea animal! Curioso…

Por fim, gostaria de referir que o leite de soja para além de ter tanto ou mais cálcio que o leite de vaca, é muito mais saudável, não implica qualquer risco para a saúde, pode ser consumido por pessoas intolerantes à lactose (muitas pessoas têm este problema e nem sabem) e hoje em dia o leite de soja até é enriquecido com as mais variadas vitaminas (incluindo a B12).
O leite de soja é a melhor alternativa ao leite de vaca e (ao contrário do leite de vaca) é de facto extremamente saudável.
Comentários 48 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub