23 de abril de 2014 às 12:03
Página Inicial  ⁄  Economia  ⁄  Dívida  ⁄  Espanha paga 6,19% em obrigações a cinco anos

Espanha paga 6,19% em obrigações a cinco anos

O Tesouro Público espanhol acaba de colocar 2219,3 milhões de euros em obrigações. No prazo a dois anos pagou 4,7%, no prazo a três anos 5,5% e no prazo a cinco anos 6,19%, o mais alto desde 1996.
Jorge Nascimento Rodrigues (www.expresso.pt)

Espanha voltou hoje ao mercado primário da dívida com uma emissão de obrigações a 2, a 3 e a 5 anos, tendo conseguido arrecadar um pouco mais do que o pretendido, mas tendo de pagar juros muito mais altos do que em operações anteriores.

O Tesouro Público espanhol emitiu 2219,3 milhões de euros, mais do que o limite máximo de 2 mil milhões pretendidos, mas pagando quase o dobro nos juros no prazo a 2 anos em relação a uma operação há três meses, e mais de 5% no prazo a 3 anos e mais de 6% no prazo a 5 anos.

No prazo a 2 anos colocou 700 milhões de euros a um juro de 4,706%, mais  do dobro do juro pago na emissão similar anterior, que se ficara por 2,069%. O juro neste prazo foi ainda assim inferior ao pago, na terça-feira, para os prazos a 12 e 18 meses, que superou os 5%.

No prazo a 3 anos colocou 918 milhões e teve de pagar 5,5%, contra 4,037% anteriormente.

No prazo a 5 anos colocou 602 milhões e teve de pagar 6,19%, o mais alto desde 1996, contra 4,319% anteriormente.

Com esta operação, o Tesouro espanhol já garantiu 61,4% das necessidades de financiamento para este ano.

Trata-se do segundo leilão de dívida espanhola esta semana. Na emissão a 12 e a 18 meses realizada terça-feira (19 de junho), o Tesouro teve de pagar mais de 5% para arrecadar 3040 milhões de euros. Pagou 5,074% a 12 meses e 5,1% a 18 meses.

Comentários 1 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Em Espanha
o rating vai baixando e os juros vão subindo em Espanha e a intervenção da Troika poderá estar eminente. Onde é que os portugueses já viram isto? tudo começa com noticias assépticas: "Instabilidade do sector financeiro penaliza Espanha e Zona Euro". Depois os juros aumentam para os paises endividados dependentes de financiamento nos "mercado" - em Espanha ultrapassaram hoje os 6%. No final do processo será activado o Mecanismo Europeu de Estabilidade o que, toda a gente já sabe à boca pequena, será solicitado a 1 de Julho.

Tudo parece ter começado (mas de facto não é assim) com a “descoberta” do buraco financeiro no Bankia, primeiro noticiado como sendo de 6 mil milhões, que depois passou a 2 Mil milhões, mas (depois de preparada a opinião pública, disparou para 12, logo para 19 Mil Milhões). No final, decidida a nacionalização dos prejuízos do Bankia (com a estafada tanga do perigo de alastramento à banca nacional) o governo do partido neoconservador declarou que para salvar o sistema bancário de Espanha era preciso injectar naquele banco 23,5 Mil Milhões de Euros. Esse dinheiro lançado para a fogueira de um banco falido (tal como no caso do português BPN) não vai poder ser devolvido e fará disparar o défice do país para dois dígitos...

PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub