10
Anterior
Execução orçamental mostra que estamos no bom caminho
Seguinte
Espanha pode provocar um terramoto económico
Página Inicial   >  Opinião e Blogues  >  O Expresso na SIC Notícias  >   Espanha não escapa a um resgate total

Opinião


Multimédia

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.


Comentários 10 Comentar
ordenar por:
mais votados
A Espanha “sopa-de-pedra”
Tal como a dita sopa, da pedra inicial, passámos aos restantes ingredientes. Recordo a frase: “os homens de negro não virão”, denominação, penso, dirigida aos representantes do FMI. A partir desta “pérola”, o processo, tem sido semelhante ao do amigo que inicia por “cravar” o café e, aproveita para o macito de tabaco, segue a fatura da luz e até chegar à prestação do apartamento.

E se recusarmos tais pretensões, somos criticados com os mesmos argumentos utilizados para a troika: “falta de soluções”; ou, “esta receita não resulta”; e mesmo: “tratamento que mata o doente”

Quer dizer: até há meia-dúzia de dias, os nuestros hermanos eram ricos. Depois, reconheceram – a custo – que havia uns bancos sem dinheiro. Algo que, comprovadamente, é chato em qualquer instituição bancária.

O “resto” estava bem e recomendava-se. Mas eis que uma Região - das chamadas Autónomas, exceto nas dívidas -, duas Regiões, três Regiões… e as que se seguirem, na pedinchice.

É mais ou menos, como se Portugal fosse formado exclusivamente por “Regiões Autónomas da Madeira” .

E mais uma vez, “vozes” do ridículo como Manuela F Leite, proclamam que a Espanha é a prova do falhanço da receita da Troika.

Quer dizer: esta gente não sabe a quantas anda e, quando aparece, é de calças-na-mão… e os outros é que são culpados da “borrada”
Sócrates ajoelhou-se a Merkel!
Essa é a realidade nua a crua.A Espanha não vai fazer o mesmo.
Re: Sócrates ajoelhou-se a Merkel!
Re: Sócrates ajoelhou-se a Merkel!
Re: Sócrates ajoelhou-se a Merkel!
De resgate em resgate. E as alternativas....
A catastrofe que alastra pela Europa com o aumento da pobreza e miséria, andamos a comentar noticias previamente orientadasque só mantêm esta situação preversa e a nada conduzem. Seria muito mais importante o debate de alternativas a este estado de coisas e não insistirmos no ridículo de manter o sistema de ditadura dos mercados defendida por politicos ao serviço de interessesque nada têm a ver com os cidadãos, mas sim com interesses transnacionais, para além dos deles próprios,que dominam a actividade economica e os meios de comunicação social. São predadores implacáveis e as presas são os cidadãos incautos. Subtraiem às populções para adicionar à Banca, perante a passividade dos inocentes. E o mais preocupante não é a acção dos maus, mas o silêncio dos bons. Assiste-se ao desmantelamento, dissolução, desintegração, e destruição das identidades nacionais e da própia civilização, únicamente por razões ideológicas ultra liberais. Assiste-se por outro lado ao definhamento da Cultura com o advento deste sistema. Está a ser corroida de forma larvar os fundamentos da Democracia, transformada em inimiga do povo e não como um poder dele emanado. Portanto é urgente resistir a este pensamento únicoque nosquerem impôr. Mas a primeira condição para modificar a realidade consiste em conhecê-la, bem como às possiveis alternativas. Mas é dificil, dado o assalto feito à comunicação social. Instalou-se em Portugal uma estranha Democracia, onde uma minoria tudo recebe e o povo tudo paga.

L
Afirmação muito estranha...
AUTODESTRUIÇÃO. COMO FOI POSSÍVEL??
Como foi possível que a Europa tenha chegado a este estado pela via da autodestruição?
Quando é que os autistas que governam em quase todos os paíeses europeus percebem de uma vez por todas que isto é um caso sério de sobrevivência? Já lá vão 3 anos. Primeiro colocaram as culpas nos "desvarios" dos países do Sul e meteram a cabeça na areia. Depois na "crise" das dívidas e continuaram com a acabeça na areia. Agora na "crise mundial" e continuam no mesmo tom. As Instituições Europeis que deveriam funcionar, estão sob o jugo da Alemanha. Os dirigentes estão perdidos, sem norte e sem rumo. QUEM NOS ACODE ???
toma lá ké morangos !!!
os espanhois vão vender as Canárias aos Americanos ... para transferirem Guantanmo !!! é uma boa ideia ... nós igualmente temos a Madeira que só nos dá despesa !!! podiamos fazer o mesmo ...
Ninguém escapa...
Estamos a chegar aos últimos episódios antes da final implosão do Euro e da (des)união Europeia, conforme, aliás, muitos (eu incluído) aqui têm vaticinado desde há 2 anos.
Os maiores e os principais fundadores dessa pretensa união (Alemanha, Itália, França) desde há muito que (secretamente) sabem que esse desfecho é inevitável. Unicamente se têm preparado sem o querer dar a entender por motivos tácticos, para sofrer o menos possível e sair dos escombros ainda "vivos".
A "queda" consentida e próxima da Espanha vem mostrar que se aproxima a passos largos o caos que se seguirá ao fim do Euro, com os mais fracos (como nós) a ficar pelas ruas da amargura e os mais fortes a sair mal tratados mas ainda assim a poder sobreviver e regressar à "superfície" dentro de alguns anos. Têm muitas forças internas que o permitirão e estão habituados a sofrer maus bocados.
Quanto a nós... pobres indefesos, tudo indica que iremos conhecer a nossa "guerra". Apertem bem os cintos e, se puderem, ponham-se "ao fresco". Muitos o farão. (Para que servem, afinal, os "off shores" ?)
Comentários 10 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub