Anterior
Juros da dívida abaixo dos 11%
Seguinte
Pedro Morais Leitão na presidência da Oni
Página Inicial   >  Economia  >   Espanha mantém TGV mas sem data de conclusão

Espanha mantém TGV mas sem data de conclusão

O Governo espanhol vai manter o seu plano da rede de alta velocidade até Badajoz, apesar da desistência de Portugal.

O Executivo espanhol canalizou 4730 milhões de euros para o projeto de alta velocidade

Espanha vai manter o projeto do TGV até Badajoz, garantiu o Governo liderado por Mariano Rajoy, depois do primeiro-ministro Pedro Passos Coelho ter anunciado que Portugal desistia em definitivo da rede de alta velocidade.

A ministra espanhola do Fomento, Ana Pastor, vai reunir-se nos próximos dias com os seus homólogos português e francês para debater o assunto, mas disse estar satisfeita por Portugal garantir a construção de uma linha férrea para Espanha de bitola europeia, segundo o jornal "El País".

De qualquer forma, o projeto vai avançar, mas sem um prazo definido, refere o "El Pais" que cita fontes do ministério do Fomento espanhol.

Para trás, ficam as estimativas de uma ligação rápida entre os dois países, tal como prometiam os então chefes de Estado dos dois países, José Sócrates e José Luis Rodríguez Zapatero.

Com a desistência de Portugal, a rede de alta velocidade já não servirá assim para ligar as capitais europeias, mas para unir Madrid com as cidades espanholas de Cacéres e Badajoz.

O Executivo espanhol canalizou 4730 milhões de euros para o projeto, mas até agora só desembolsou 419 milhões, o que leva vários peritos a defender que a desistência de Portugal seria um bom momento para avaliar os prós e contras e estudar alternativas mais modestas.

Bitola europeia

"A decisão que o ministro português Álvaro Santos Pereira me comunicou é que vai optar pela bitola europeia, que é uma excelente notícia para nós", disse a ministra Ana Pastor.

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, já tinha garantido na quinta-feira que Portugal iria optar pela construção de uma linha férrea para Espanha de bitola europeia.

"O projeto do TGV está definitivamente arrumado", disse Passos Coelho, sublinhando que a Lisboa vai optar pela bitola europeia. 

"A ligação às redes transeuropeias ferroviárias é para nós importante - por essa razão temos vindo a conversar quer com o Governo espanhol, quer muito proximamente o faremos também com o Governo francês e com a Comissão Europeia - no sentido de aproveitar os fundos que estão disponíveis para promover estas ligações que precisam, no entanto, de um acordo quer da Comissão Europeia quer de Espanha, quer de França", concluiu. 


Opinião


Multimédia

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 35 Comentar
ordenar por:
mais votados
"Piquena" rectificação

"....Para trás, ficam as estimativas de uma ligação rápida entre os dois países, tal como prometiam os então chefes de Estado dos dois países, José Sócrates e José Luis Rodríguez Zapatero."

E eu diria: tal como prometeram e assinaram Aznar e Durão !!
Re:
O TGV Lisboa-Badajoz seria importante...
A maioria dos paises europeus estão ligados por TGV. Portugal com os fundamentalistas ultraliberais vai ficar orgulhosamente só como no tempo de Salazar. E para a Europa só de carroça...

Re: O TGV Lisboa-Badajoz seria importante...
Re: O TGV Lisboa-Badajoz seria importante...
Re: O TGV Lisboa-Badajoz seria importante...
Espanha mantem TGV mas sem data de conclusão
Não há duvida que o tempo voltou para trás e não se trata só no presente caso. É assim na Educação na Economia e restantes ministérios. Este é um governo que envergonharia Salazar se fosse vivo, porque até ele teria evoluído mais. Espanha tem uma direita no poder, mas tal como no tempo de Franco e Salazar há uma grande diferença. A direita espanhola tem visão de futuro e a direita portuguesa não vê um boi à frente do nariz. O TGV pode ter perdido uma batalha, mas não perdeu a guerra. Este governo não vai durar para sempre e será um dia a União que vai exigir a sua concretização. Isto só prova que em dois mil anos não mudamos nada, pois já os romanos diziam que era um povo. que nem se governa nem se deixa governar. Mudam-se os tempos mudam-se as vontades. O PSD passou de cinco linhas no tempo de Durão Barroso e Asnar para nenhuma no tempo de Passos. Outro virá que pensará diferente, mas tal como na ida aos mercados em 2013 e que não vamos pedir nem mais dinheiro nem tempo. pode ser um discurso para enganar os tolos. Aliás já aconteceu o mesmo com as promessas eleitorais, por isso o que diz Passos deve entrar por um ouvido e sair pelo outro.

http://viriatoapedrada.bl...

http://viriatoapedrada.bl...

http://viriatoapedrada.bl...
Re: Espanha mantem TGV mas sem data de conclusão
Re: Espanha mantem TGV mas sem data de conclusão
Re: Espanha mantem TGV mas sem data de conclusão
Re: Espanha mantem TGV mas sem data de conclusão
É !!! Parece...

Parece que a Espanha também está com as calças na mão:

"... o projeto vai avançar, mas sem um prazo definido, refere o "El Pais" que cita fontes do ministério do Fomento espanhol.."

Certamente, ficou para depois, quando houver dinheiro ...

Re: É !!! Parece...
Re: É !!! Parece...
Re: É !!! Parece...
Eles estão mais do que certos...

Eles estão mais do que certos... Adiaram o projeto "sine die."

"A economia da Espanha prosseguiu em retrocesso no primeiro trimestre de 2012, após uma contração de 0,3% nos últimos três meses de 2011, anunciou nesta terça-feira o Banco da Espanha, confirmando assim que o país está em recessão, dois anos depois de ter superado uma situação parecida."

Pois então... Se não há dinheiro não há vicios... Bom, o Sócrates não pensava assim... Ainda bem que está em Paris a estudar filosofia... A grande e s larga... E servido à francesa... Ulalá!!

   
TGV
A designação das siglas actualmente será Tugas Gamados Valentemente, para sustentar a Siemens e toda uma panóplia de empresas de engenharia francesa e alemã na sua construção. Bem como todo o equipamento, dos próprios comboios, os rails e as redes de protecção necessárias para se evitarem acidentes com os viajantes... Só para se utilizar a mão de obra portuguesa, barata e muito pouco mais dos milhares de milhões que custa e neste caso seria importante que dado que existe plena transparência nas contas Alemãs que se soubesse para quem vão os 5% de comissão destes negócios... Só para se não perderem fundos europeus a receber (80%) os 20% teremos que ir pedir emprestado e o dinheiro voltaria à economias alemã e nós ficaremos com mais uma CP/Refer nos braços a custar milhões por ano e as receitas a cobrirem cerca de menos de 50% dos encargos de manutenção. Alguém tem o estudo de viabilidade económica deste tema!!! Eu gostava de ver antes das normais derrapagens, que neste caso dada a velocidade, deve ser de uns kilómetros de dinheiro em barda....
Re: TGV
Vergonha Nacional!
O que se tem dito sobre o projecto da Alta Velocidade é uma verdadeira vergonha e o cancelamento do troço Poceirão-Caia representa um crime económico para o País! A desinformação e vil propaganda difundida pelos nossos fracos políticos, comentadores e outros palpiteiros à volta deste projecto é digna de Goebbels. Vejam-se alguns exemplos: a infraestrutura ferroviária que iria ser construída no âmbito do troço Poceirão-Caia já era em BITOLA EUROPEIA (distância entre carris de 1,435m) e estava dimensionada para COMBOIOS DE MERCADORIAS! Qualquer comboio de Alta Prestação poderia circular nesta via! Daí a grande falácia a respeito do que se tem dito a respeito deste projecto! Mais: a comparticipação comunitária atingiria os 95%, entre outras benesses! A ligação ferroviária do Poceirão a Lisboa far-se-ía pela Ponte 25 de Abril. Portugal perde assim uma excelente oportunidade de revitalizar um dos sectores mais atingidos pela crise (a construção civil), sem esquecer a criação de milhares de postos de trabalho que daí resultaria. Trata-se ainda de mais um belo cartão de visita do nosso país para quem cá quiser investir: assina-se um contrato com o Estado Português, incorre-se em custos, para decorridos dois anos o mesmo Estado declarar nulo o contrato e querer esquivar-se ao pagamento das indeminizações devidas. Mas cá estaremos nós, contribuintes, para mais tarde desembolsar as ditas e sem obter nada em troca. Brilhante!!
Re: Vergonha Nacional!
Re: Vergonha Nacional!
Re: Vergonha Nacional!
Re: Vergonha Nacional!
Re: Vergonha Nacional!
Re: Vergonha Nacional!
Re: Vergonha Nacional!
Massa critica
...temos para carga, não para passageiros.
Segundo a ligação que Portugal tem através do mar, faz sentido a bitola europeia em vez do TGV.
Esta foi uma inteligente decisão estratégica.
Re: Massa critica
Re: Massa critica
Re: Massa critica
Re: Massa critica
Não percebo
Então o governo espanhol não é formado pelo Partido Popular que é a mesma coisa do Passos? Não dá para entender.
Re: Não percebo
É preciso coragem para abandonar TGVs em andamento
Opinião divertida sobre o assunto:
"Soube-se na semana que passou que o Governo abandonou definitivamente o TGV.
Mas quê em andamento? A alta velocidade, isso é capaz de aleijar! Assim de repente, sair de comboios em andamento, só me lembro do comboio da Costa, o TCC. Se o Governo tivesse abandonado o TCC, doía menos.
Quer dizer, mesmo no TCC é preciso tomar precauções. "
(continua)
http://notasdealgibeira.b...
TGV - Uma ideia adiada -
Sempre estive convencido de que um TGV para Portugal não fazia sentido. Agora como Passos Coelho falou da desistência em definitivo, até alguns dos que se diziam contra, virão criticar a desistência. Não admira!
Apoiei sim a construção de uma via alternativa para mercadorias, em bitola europeia que essa, sim, faz falta e tem viabilidade económica.
A dimensão de Portugal não justifica um investimento em alta velocidade para passageiros e, na situação crítica que vivemos, seria ruinoso realizá-lo.
Em minha opinião, venceu o bom senso.
Comentários 35 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub