19 de outubro de 2014
Página Inicial   >  Blogues  >  Blogues Economia  >   Em Off

Guru da hidroponia

 | 

Guru da hidroponia
Wolfgang Kemper, da Filkemp, líder mundial no sector das linhas de pesca, viveu toda a vida profissional no universo químico do gigante alemão Hoescht, mas a sua grande paixão é a agricultura. Aos 83 anos admite que a solução para o êxito do sector primário português está ao alcance de todos. A solução, diz, está na "hidroponia", que é o cultivo de plantas sem solo, apenas com líquidos nutrientes. Assim, que culturas terão bons resultados? "Façam como um amigo meu que cultiva frutos silvestres, amoras e morangos apenas em um hectare e está feliz da vida", diz. O segredo deste mercado é verdadeiramente milionário. "Só a Alemanha importa €70 mil milhões anuais em produtos agrícolas e Portugal apenas pesa 0,2% nessas compras", remata. Querem melhor?

Exageros
Na última edição, o Em Off referiu um convite para a inauguração do data center da PT na Covilhã. Além de o convite invocar o nome de Zeinal Bava - já nas vestes de presidente da PT Portugal, após ter assumido também a liderança da brasileira Oi -, havia ainda a curiosidade de ter sido enviado a mais de 100 dias do evento. Mas garantem fontes bem informadas que a prática não é virgem: já antes a PT convidara jornalistas e analistas para eventos com este tipo de antecedência. O Em Off lamenta ter tido capacidade de bater a PT em excesso de zelo.

Cervejas em guerra
A recente campanha da Central de Cervejas sobre a ligação da Sagres à portugalidade parece ter acicatado os ânimos na Unicer. Circulou nas redes sociais um vídeo de autoria desconhecida - mas de produção profissional - a recordar que a Sagres é detida por holandeses e que a cerveja verdadeiramente portuguesa é a Super Bock, que, segundo o vídeo, até contribui mais para as exportações. Chega o verão, aquece a temperatura, e a cerveja entra em campo. Haverá novos capítulos?

Guru da hidroponia

 | 

Guru da hidroponia
Wolfgang Kemper, da Filkemp, líder mundial no sector das linhas de pesca, viveu toda a vida profissional no universo químico do gigante alemão Hoescht, mas a sua grande paixão é a agricultura. Aos 83 anos admite que a solução para o êxito do sector primário português está ao alcance de todos. A solução, diz, está na "hidroponia", que é o cultivo de plantas sem solo, apenas com líquidos nutrientes. Assim, que culturas terão bons resultados? "Façam como um amigo meu que cultiva frutos silvestres, amoras e morangos apenas em um hectare e está feliz da vida", diz. O segredo deste mercado é verdadeiramente milionário. "Só a Alemanha importa €70 mil milhões anuais em produtos agrícolas e Portugal apenas pesa 0,2% nessas compras", remata. Querem melhor?

Exageros
Na última edição, o Em Off referiu um convite para a inauguração do data center da PT na Covilhã. Além de o convite invocar o nome de Zeinal Bava - já nas vestes de presidente da PT Portugal, após ter assumido também a liderança da brasileira Oi -, havia ainda a curiosidade de ter sido enviado a mais de 100 dias do evento. Mas garantem fontes bem informadas que a prática não é virgem: já antes a PT convidara jornalistas e analistas para eventos com este tipo de antecedência. O Em Off lamenta ter tido capacidade de bater a PT em excesso de zelo.

Cervejas em guerra
A recente campanha da Central de Cervejas sobre a ligação da Sagres à portugalidade parece ter acicatado os ânimos na Unicer. Circulou nas redes sociais um vídeo de autoria desconhecida - mas de produção profissional - a recordar que a Sagres é detida por holandeses e que a cerveja verdadeiramente portuguesa é a Super Bock, que, segundo o vídeo, até contribui mais para as exportações. Chega o verão, aquece a temperatura, e a cerveja entra em campo. Haverá novos capítulos?

Pedro Audi Soares

 | 

Pedro Audi Soares
Já não é propriamente uma novidade, mas só agora chegou aos ouvidos do EM OFF. Pedro Mota Soares, o secretário de Estado da Segurança Social, tornou-se notado e até reconhecido por nos primeiros tempos de Governo deslocar-se, como sempre fazia, de moto... Mas os tempos mudaram, e Mota Soares também mudou de transporte. Passou a deslocar-se de carro, num automóvel de marca alemã: um Audi. É por isso que agora nos corredores do Ministério é conhecido como Pedro Audi Soares.

Chairman da CGD agita autarcas
A ascensão da Álvaro Nascimento a presidente de conselho de administração do banco público, para substituir Faria de Oliveira deixou o PSD de pé atrás. Além de terem visto um velho apoiante do partido ser substituído por um independente, os 'laranjinhas' não percebem o que levou Vítor Gaspar a renomear alguém tido como apoiante de Rui Moreira - o perigoso adversário do social-democrata Luís Filipe Menezes para a Câmara do Porto. Será a falta de interessados do PSD em ocupar as cadeiras deixadas vagas por Faria de Oliveira (que trocou a CGD pela Associação Portuguesa de Bancos) e o advogado Pedro Rebelo de Sousa?

Cordeiro à mesa
O agora candidato à Câmara de Cascais, João Cordeiro, ex-líder da Associação Nacional das Farmácias, cuja história de 38 anos se confunde com a do farmacêutico, vai ser distinguido pelos seus pares. O jantar de homenagem está marcado para o dia 15 de junho, no Convento do Beato, em Lisboa. Por €60 por pessoa, que têm um desconto de €10 por pessoa, em caso de se reservar uma mesa para dez comensais, os farmacêuticos são convidados a participar no convívio. EM OFF questiona-se como será a adesão ao evento em época de austeridade e quando centenas de farmácias estão a falir... E pergunta-se também qual será o menu? Cordeiro não será certamente...

Zeinal brilha na Sonaecom

 | 

Zeinal brilha na Sonaecom
O presidente executivo da Portugal Telecom foi um dos oradores em destaque na conferência de utilizadores da WeDo Technologies, que este ano decorreu em Braga. Zeinal Bava não deixou os seus créditos por mãos alheias e fez uma intervenção que foi das mais elogiadas pelos quadros da tecnológica do grupo Sonaecom. Longe vão os tempos, em plena ressaca da OPA da Sonaecom sobre a PT, em que Zeinal terá chumbado um importante negócio de venda de software da WeDo na Vivo, operador brasileiro que então era detido pelo operador português e pelos espanhóis da Telefónica. Os ressentimento terão passado, até porque a PT também já faz compras no Continente.

Ninguém bate Cascais
Na apresentação do aniversário da criação do mítico Porsche 911, o responsável da marca para o mercado nacional, Nuno do Carmo Costa, anunciou que Cascais vai receber, a 8 e 9 de junho, o evento que assinala os 50 anos deste modelo automóvel. E contou o comentário que lhe fez Joana Melo, gestora de produto da Martini (parceira do evento da Porsche), recordando que 2013 também é uma data importante porque a Martini comemora 150 anos. O presidente da Câmara Municipal de Cascais, Carlos Carreiras, não quis ficar atrás e contrapôs: "É uma data importante, por tudo isso, mas sobretudo porque Cascais comemora nessa altura 650 anos".

'Lourignac', o conhaque da Lourinhã
Francisco Nogueira de Sousa, o novo e entusiasta diretor-geral contratado pelo Fundo Discovery para o resort Campo Real, que reabre na terça-feira, ficou surpreendido ao saber que a Lourinhã é uma das três regiões demarcadas do mundo para produzir conhaque, já conhecido como 'Lourignac'. "Queremos valorizar aqui tudo o que é da região", frisou. E ficou a promessa: no Campo Real não irá faltar 'Lourignac'.

E os consumidores, pá?
Receber uma fatura da EDP dá cada vez mais motivos para ficar com os olhos em bico. São os custos galopantes da energia, a carga fiscal a disparar de 6% para 23% - e cortes, esses, só nos direitos dos clientes, para os quais acabou a condescendência. Quando a EDP costumava avisar duas vezes por carta que os pagamentos estavam em atraso antes de cortar a eletricidade, agora limita-se a mandar uma. Ao contrário da maior parte dos outros prestadores de serviços, também não faz esta comunicação por SMS. Desde janeiro, os novos clientes da outrora pública EDP são obrigados a ter conta no banco, segundo informam os funcionários da empresa. Que mais irá acontecer?

Peregrinos com mordomias

 | 

Peregrinos com mordomias
O ex-presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) Fernando Costa Lima, reparte-se como diretor do BPI entre o Porto e Luanda. Mas, na semana da Queima das Fitas, o professor Costa Lima rompeu com a sua rotina de viagens, trocando de destinos, processos e intenções. Abdicou das mordomias aéreas e transformou-se num corajoso peregrino numa caminhada com um amigo a Santiago de Compostela. No entanto, a operação contém algumas regras que colidem com as regras deste mercado. Primeiro, a caminhada começou já em solo galego reduzindo a distância e o esforço, depois os peregrinos não abdicaram do conforto dos hotéis, em vez de optarem pelos albergues.

Leão lança OPA a profissionais de construtoras
Desde que decidiu entrar em grande no mercado colombiano João Gama Leão, dono da Prébuild, tem agitado o mercado de gestores e engenheiros. Primeiro foi a contratação de Pedro David, filho do eurodeputado Mário David, que dirigia a operação da Jerónimo Martins na Colômbia. Gama Leão convenceu-o a aceitar a liderança da Prébuild Colômbia. Agora que já arrancou a fase de construção das 11 fábricas de materiais de construção decidiu "opar" algumas construtoras, em especial a Somague, aliviada de umas dezenas de técnicos. No caso dos engenheiros, a ofensiva inclui também o reforço da Prébuild noutras frentes, como Argélia e Angola. A transferência mais sonante foi a da equipa liderada pelo engenheiro Luís Ferreira, responsável, entre outras, pelas obras da Torre Vasco da Gama e da Casa da Música e que promete concluir o complexo fabril na Colômbia em muito menos que os agressivos 16 meses inicialmente previstos.

Pedro Reis, o pai babado
O presidente da AICEP, Pedro Reis, não conteve o orgulho de saber que o filho Tomás foi apurado para a final das olimpíadas mundiais de Física na Dinamarca, depois de vencer as olimpíadas portuguesas há uns meses. O grande apuramento vai ser em julho em terras do Norte da Europa e até lá provavelmente a assinatura de Pedro Reis vai mudar para "pai babado". É que, no sábado, disparou algumas mensagens assinadas como "pai babado", dando conta deste feito.

Galo de Barcelos na Colômbia profunda

 | 

Galo de Barcelos na Colômbia profunda
Que se encontra um português nos locais mais inóspitos do mundo é uma verdade indesmentível. Mas encontrar não um mas seis galos de Barcelos numa fazenda de café no chamado eixo cafeteiro, no centro da Colômbia, é algo que não será muito comum. Aconteceu na Fazenda Veneza, propriedade não de portugueses nem de italianos, mas sim de colombianos e a história é simples: os proprietários da fazenda viajavam por Portugal e ao passarem por Barcelos ficaram maravilhados com a figura e a lenda associada ao galo lá da terra. Vai daí, encomendaram um galo de Barcelos que funciona como uma rosa dos ventos e colocaram-no de forma bem visível na propriedade. E levaram mais cinco miniaturas de tamanhos diferentes que colocaram na cozinha do hotel.

Fezada vermelha no Marquês
Depois da vitória na Madeira parecia que o campeonato já não escapava ao Benfica e a deslocação ao Porto - agendada para hoje à noite - era apenas um pró-forma rumo ao título. Foi este tipo de raciocínio que levou alguns adeptos mais expeditos a pintarem "reservado" a letras vermelhas na estátua do Marquês de Pombal, numa antecipação para a festa que se adivinhava. Talvez imbuída deste espírito, e provavelmente contagiada pela proximidade ao local da anunciada festa, a Controlinveste não perdeu tempo e pôs em marcha a produção da revista "Benfica Campeão 2012-13", para distribuição com o "DN" e o "JN". O departamento comercial enviou mesmo para agências de meios um folheto a promover a revista, que está a ser elaborada "para comemorar e prestar homenagem ao Campeão Nacional". Mas depois veio o Estoril... A data de publicação da revista - que se anuncia de "coleção", "elitista" e "premium" - fica apenas dependente "da possibilidade matemática ou efetiva de o Benfica se tornar campeão", ou não...

Sonae "elogia" M4O da PT
Numa conference call com analistas sobre os resultados trimestrais da Sonaecom, a administração admitiu que o produto M4O da PT, que oferece telefone fixo, móvel, televisão e internet, representa em termos de preço "uma promoção enorme" apesar de destruir valor para a PT. Conhecendo-se a tradição Sonae de estar muito atenta aos custos, sempre defendida por Belmiro de Azevedo, não era de espantar se Paulo Azevedo optasse por ser subscritor deste serviço. Se calhar conseguia uma boa poupança para o grupo.

Matrecos sem crise

 | 

Matrecos sem crise
"Portugueses campeões do mundo" é o nome da iniciativa que se propõe eleger todos os anos as individualidades lusas que reconhecidamente estejam entre os melhores do mundo. A ideia é dar visibilidade aos campeões portugueses que se tenham distinguido em áreas como ciência, medicina, engenharia, música, literatura, pintura, cinema e tecnologia. Para o efeito, a organização (a cargo da Bnomics) convidou um júri do qual fazem parte, entre outros, António-Pedro Vasconcelos, José Tribolet ou Rui Pego. O Em Off dá uma primeira sugestão: que faça parte da lista a seleção portuguesa de matraquilhos que venceu recentemente o Campeonato do Mundo 2013 na categoria de juniores masculinos. Um feito que foi ignorado pela generalidade dos media portugueses e que, não sendo desporto, pode ser incluído nas categorias de arte, ciência ou engenharia.

A longa espera
Os últimos conselhos de ministros têm sido verdadeiras vias sacras - para quem está lá dentro, seguramente - e também para quem está fora, à espera que dali saia fumo branco. Na terça-feira, dia do conselho de ministros onde foram tomadas decisões para "fomentar" a economia, quem estava pacientemente a aguardar para seguir a conferência de imprensa através do site do governo assistia a uma imagem estática de duas bandeiras - uma de Portugal e outra da União Europeia - e, esporadicamente a umas cabeças que passavam à frente das mesmas. Mas bom foi ouvir frases que permitiam quebrar a monotonia, como "Álvaro Santos Pereira chamado à receção!" ou "Isto o melhor era andar de patins!"

Frango com nata
Muito antes de o ministro Álvaro Santos Pereira ter descoberto as virtualidades exportadoras do pastel de nata, já a cadeia americana Kentucky Fried Chicken se convertera aos méritos da iguaria, usando-a como chamariz para atrair os consumidores chineses. O sucesso da nata em Macau e Hong Kong levou a KFC a incluí-la no menu dos 4300 restaurantes que explora na China. E com grande sucesso, ao que parece. É o triunfo do frango com nata. A KFC está agora a fazer um enorme esforço de expansão na Europa e nalguns mercados, como França, volta a apostar no pastel de nata como um dos preciosos argumentos do menu. Mas, em Portugal, a nata permanece fora da ementa da cadeia. Já figurou, mas a rotação das sobremesas conduziu à sua exclusão. Um dia destes pode voltar, mas a combinação do frango com nata não põe os portugueses de água na boca como na China.

Com ou sem bacalhau... noruegueses almoçam em Lisboa

 | 

Com ou sem bacalhau... noruegueses almoçam em Lisboa
Poucos dias após o Governo ter publicado a Estratégia Nacional para o Mar (2013-2020) um grupo de empresários noruegueses já tinha traduzido o documento. Uma manifestação de interesse que não ficou por ali. Com efeito, alguns dias depois, já na semana passada, 15 empresários noruegueses das áreas petrolíferas, aquacultura, construção naval e biotecnologia marítima estavam sentados à mesa, na embaixada do seu país, em Lisboa, para almoçarem com Pinto de Abreu, secretário de Estado do Mar. Apesar de várias tentativas, o Em Off não conseguiu apurar se do menu constou bacalhau da Noruega, mas fonte segura garante que o apetite por várias áreas de negócio esteve sempre em cima da mesa.

Jerónimo Martins sem azar na Colômbia
O edifício da Jerónimo Martins em Bogotá tem uma particularidade de que Pedro Veloso, o responsável pela operação colombiana, ainda não se tinha dado conta: o piso 13 não existe. Assim sendo, quem vai no elevador vê passar os números dos pisos do 12 para o 14 sem passar pelo 13. É uma questão de superstição que é comum em muitos países mas, para já, azar é coisa de que a Jerónimo Martins não se pode queixar neste momento já que, como têm reconhecido os responsáveis deste grupo, as coisas estão a correr melhor do que se esperava nas lojas Ara, abertas em março.

A sabática de luxo de Carlos Oliveira
O ex-secretário de Estado do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação, Carlos Oliveira, está de sabática e resolveu fazer um périplo com a família pelo mundo, que deverá demorar 150 dias, quase cinco meses. Entrou, aos 33 anos, no Governo de Passos Coelho como uma estrela do empreendedorismo, depois de ter vendido a Mobicomp à Microsoft. Mas acabou por ter uma passagem relativamente discreta pelo executivo - na realidade a área do empreendedorismo e inovação tem sido um parente pobre da governação. Além disso, gerir uma tecnológica em fase de arranque, onde todo o caminho está por desbravar, não é o mesmo que interagir com a burocracia governamental. Carlos Oliveira começou por Moçambique, vai dar um saltinho à Ásia, Austrália e Nova Zelândia, e acabar "a volta ao mundo" no Brasil. Espera-se um regresso aos negócios em breve, é pelo menos isso que tem estado a prometer.

Entretenimento em versão Efromovich

 | 

Entretenimento em versão Efromovich
Portugal passou a estar nos radares colombianos e, seguramente, o interesse do empresário Germán Efromovich em comprar a TAP, que ainda se mantém apesar de o negócio ter falhado no final de 2012, contribuiu para isso. Tanto assim é que quem consulta a revista de bordo nos aviões da Avianca, a empresa de Efromovich, pode encontrar, na parte relacionada às sugestões de entretenimento, algumas referências a eventos em Portugal, entre outros países. O que não deixa de ser surpreendente são as duas sugestões apresentadas para as próximas semanas. Se a primeira não suscita grandes dúvidas - uma maratona em maio, em Lisboa - já a segunda é mais 'radical" - nada mais nada menos do que um concerto da banda alemã de rock industrial Rammstein, que atua em Lisboa na próxima terça-feira...

Alô? Estou a falar para Cracóvia?
Os fornecedores da Central de Cervejas e Bebidas receberam este mês uma singela carta, enviada da sede em Vialonga, informando-os que os contactos referentes a faturação e pagamentos devem agora ser feitos através do serviço centralizado do grupo, a Heineken Global Shared Services. Localizado na Holanda? Errado, instalado em Cracóvia, Polónia. Enfim, nada de especial. A SCC diz que "este novo circuito de comunicação em nada alterará a tramitação seguida até aqui". Além disso, os contactos com os interlocutores de Cracóvia serão realizados em português, sendo assegurados "por uma equipa da qual, de momento, fazem parte colaboradores portugueses". Os fornecedores mais atentos não deixaram de registar o detalhe "de momento", isto é, por enquanto.

Segurança quase total
O ambiente, supunha-se, não podia ser mais seguro. Supunha-se. Na maior feira de defesa e segurança da América Latina, LAAD, que terminou ontem no Rio de Janeiro, o impensável aconteceu e o repórter do Em Off testemunhou: No espaço do 'altamente seguro' evento, um português residente no Brasil acedeu ao seu computador e tentava escrever um documento enquanto o cursor do ecrã se movia e menus se abriam. O computador parecia estar 'possuído' por uma espécie de controlo remoto. E estava. Horas mais tarde, o mesmo português foi confrontado pelo seu banco local (Itaú) com compras que teria feito no valor de 700 reais... mas que não fez. Os seus códigos bancários tinham-lhe sido 'retirados' do computador... precisamente quando se encontrava num dos locais mais seguros do mundo para estar naquele dia.

Volta ao mundo em cinco meses

 | 

Volta ao mundo em cinco meses
Já refeito do abalo que constituiu a sua saída do Ministério da Economia, o ex-secretário de Estado Carlos Oliveira alimenta um novo programa inovador, de caráter ocioso e lúdico. Para descansar das lides governativas nada melhor do que uma grande viagem à volta do mundo, durante cinco meses, contactando todos os continentes. Aos amigos a quem conta esta sua aventura, Carlos Oliveira não esconde o entusiasmo que lhe vai na alma com esta nova faceta de empreendedorismo, competitividade e inovação. O empresário fundara em 2000 a MobiComp, uma tecnológica que venderia em 2008 à Microsoft por números não revelados. Há um tempo para tudo. Em 2013, é para conhecer o mundo.

Quem disse que não se pode mudar de clube?
Nuno Amado não é um fervoroso adepto de futebol mas sempre foi benfiquista. Foi, porque no dia em que assumiu o BCP e percebeu o tamanho da dívida que o Sporting tem para com a instituição bancária que lidera, o seu coração mudou de vermelho para verde. O repórter do "Em Off" conseguiu apurar, junto de fontes muito bem colocadas à porta do gabinete de Nuno Amado, que em dias de jogo do Sporting se ouvem gritos de apoio aos leões. Tudo a pensar no impacto que os resultados desportivos positivos podem ter nos resultados financeiros negativos do clube de Alvalade.

No Tagus Park a rede que se vê é grega
O repórter do "Em Off" lança uma desafio aos leitores esta semana: circule pelos Tagus Park bem perto, ou mesmo por dentro se conseguir, das instalações do BCP e veja se consegue aceder a alguma rede de Wi-fi. Garantimos que será automaticamente transportado para o Olimpo, pois as três redes disponíveis são Zeus, Ares e Hera. O pai de todos os deuses, o deus da guerra e a rainha dos deuses são usados como nomes para acesso à internet. Não sabemos se a escolha destes nomes foi uma homenagem ou se já é saudosismo em relação à operação bancária que o BCP se prepara para vender na Grécia.

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE
Arquivo

Pub