Anterior
ONU acusa Exército sírio por violações de Direitos Humanos
Seguinte
Síria autoriza ajuda humanitária da ONU a Homs
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Atualidade  >  Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente  >   Egito: chefe religioso saudita proíbe voto em Shafik

Egito: chefe religioso saudita proíbe voto em Shafik

Chefe religioso saudita, Abdel Rahman al Borak, emitiu hoje decreto islâmico (fatwa) que proíbe os egípcios de votarem em Ahmed Shafik, candidato conotado com antigo regime, na segunda volta das  presidenciais. Clique para visitar o dossiê Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente
agências |
Mohammed Morsy (E) e Ahmed Shafik (D), candidatos que vão disputar a segunda volta das presidenciais egípcias em junho
Mohammed Morsy (E) e Ahmed Shafik (D), candidatos que vão disputar a segunda volta das presidenciais egípcias em junho / Khaled Elfiq/EPA

Abdel Rahman al Borak, chefe religioso saudita, emitiu hoje um decreto islâmico (fatwa) que proíbe os egípcios de votarem em Ahmed Shafik na segunda volta das eleições presidenciais, noticia a Efe.

>
Clique para aceder ao índice do Dossiê Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente


A razão invocada é evitar o retorno ao regime que foi dirigido pelo Presidente Hosni Mubarak ao longo de três décadas (1981-2011), até ser derrubado no seguimento de um levantamento popular. Shafik foi uma das principais figuras do antigo Governo, do qual foi ministro.

A segunda volta das presidenciais no Egito decorre em 16 e 17 de junho.

Medo do retorno ao antigo regime 



"Tende cuidado para que a vossa grande luta não seja sequestrada por aquele que vos devolverá à época do antigo Presidente Hosni Mubarak, depois do vosso grande sofrimento para se livrarem dele", realçou o clérigo, em comunicado.

Neste sentido, Al Borak perguntou: "Como podem eleger alguém que satisfaz os EUA, país que não deseja o bem ao povo do Egito?".


Shafik, que é considerado pelos seus adversários como um "fulul" (um dos remanescentes do antigo regime), ficou em segundo lugar na primeira volta das eleições presidenciais, com 23,3% dos votos, a seguir ao candidato da Irmandade Muçulmana, Mohamed Morsy.


Na primeira volta, realizada em 23 e 24 de maio, os dois candidatos ficaram separados por pouco mais de 250.000 votos, com Morsyi a obter 5.764.952 (24,4%) e Shafik 5.505.327 (23,3%).


Os grupos de jovens revolucionários e os salafistas (islamitas radicais), para além da Irmandade Muçulmana, apelaram ao voto contra Shafik, um general da força aérea reformado, por o considerarem um dos símbolos da era Mubarak.


Opinião


Multimédia

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.


Comentários 4 Comentar
ordenar por:
mais votados
É interessante que a Arábia Saudita,
uma monarquia com tendência absolutista e intervencionista, com forte influência do fundamentalismo islâmico, colaboradora fortemente ancorada nos interesses das grandes potências petrolíferas, esteja fazendo uma campanha contra um remanescente do antigo governo, de tanto gosto para os EUA, Inglaterra e sócios, deixa muito a pensar. Qual a trama que está sendo tecida nos bastidores? Seria puramente desacreditar um governo outrora colaborador? Sinceramente, o motivo seria a falta de democracia naquela terra dos outrora faraós? Ou as muitas mortes da Primavera Árabe naquele país? Afinal, as potências ocidentais realmente acreditam na tolerância, como uma via acima do lucro? Não sei, mas tenho minhas profundas dúvidas da sinceridade do chamado e das intenções. Começo a acreditar que o terrorismo é uma forma de educar, para o pior. De dominar, em qualquer nova situação. Herói e criminoso no mesmo corpo, no mesmo coração, na mesma mente, com o mesmo propósito. Não sei, mas acho que vivemos tempos irreais, em que o mocinho é apenas um disfarce do mal, que afaga e estrangula, dependendo do apetite. Rio Grande
A democracia...

Tem destas coisas...

serve para acabar com o direito de votar....

Assim foi com Hitler e com outros ditadores....

Nós por cá ainda vamos a 1/2 caminho...mas por este andar lá chegaremos!
O mundo não vai a lado nenhum enquanto...

O mundo não vai a lado nenhum enquanto as religiões não forem metidas na ordem.

Façam lá as vossas rezas e as vossas orações nos vossos templos mas deixem respirar as sociedades.

Este é apenas mais um exemplo do tipo de intervencionismo radical e fascista decorrente do pensamento religioso. Pelos vistos, estas bestas acreditam que deus tem preferências político-partidárias.

Não tivesse a Modernidade metido na ordem o cristianismo e os líderes religiosos europeus fariam exactamente a mesma coisa que este líder islâmico. Por isso mesmo, o mundo não irá a lado algum enquanto os líderes religiosos não forem metidos no seu devido lugar: a pregar nos templos, deixando à sociedade civil o governo da coisa pública.

Ainda hoje, em Portugal, se ouvem certos padres sugerir o voto, na missa dominical do dia de eleições:

"Votem em paz, com saúde e em deus".

"Paz, saúde e deus"... Hummmm!

Há tantas formas de dar a volta ao povinho!

Se agora recorrem a estas subtilezas, o que não diriam e fariam se tivessem as prerrogativas destes líderes religiosos islâmicos.

Revoltas para voltar ao mesmo
Interessante o conceito de Democracia que esta a surgir no Egipto onde um candidato que se acha enviado de Deus proibe o voto no seu oponente.
Acho que não foi para isto que morreram milhares de egipcios nas revoltas do ano passado.
Mais uma noticia que mostra que a religião, seja lá qual for, apenas serve para manter o poder, reprimir as restantes religiões e para manter o povo na ignorancia.
Por mim, deveriam ser todas banidas, a começar pela irgeja católica, a maior assassina de todas...
Comentários 4 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub