Siga-nos

Perfil

Economia

WorldGMC

Aprender novas técnicas

  • 333

Os elementos da equipa IAPMEI/Truewind estão a participar pela primeira vez no Global Management Challenge e esperam adquirir nesta prova, novos conhecimentos na área da gestão.

A equipa IAPMEI/Truewind é formada por cinco jovens quadros, com idades entre os 24 e os 32 anos, diferentes áreas de formação que vão do mestrado em engenharia informática ao mestrado integrado em engenharia física tecnológica e que trabalham para a empresa Truewind-Chiron. Para Pedro Monteiro, chefe desta equipa, “a participação no Global Management Challenge é uma oportunidade única para contactar com diferentes realidades e potenciar novas competências na conjugação da área de gestão com engenharia”.

A participar pela primeira vez neste desafio de estratégia e gestão esperam “adquirir experiência e assimilar novas técnicas que possamos transpor para a empresa no sentido de podermos potenciar as vendas na nossa própria realidade operacional”. Pedro Monteiro acrescenta que na sua perspetiva é importante compreender o mercado numa lógica de oferta e procura e apesar de “no Global Management Challenge sermos confrontados com um ambiente diferente daquele com que lidamos diariamente, a orçamentação e gestão de recursos físicos e humanos e a capacidade de analisar e prever a forma como o contexto dos mercados em que operamos influencia as nossas estratégias é algo que podemos e devemos assimilar e incorporar nas nossas mais-valias pessoais e corporativas”.

Estreantes na prova, esperam vir a obter um bom resultado. Contudo, até agora têm enfrentado algumas dificuldades. A principal prende-se com o simulador, com o qual estão a contactar pela primeira vez. “O facto de não sabermos como o simulador reage leva a que algumas das decisões que tomamos não tenham o retorno que achamos que teriam no contexto real do mercado. Temos ultrapassado as dificuldades tentando adaptar a nossa estratégia às reações que prevemos que o simulador venha a ter. A fase de treino na qual não participámos teria sido útil para compreendermos este comportamento e, com isso, melhorar o nosso desempenho”, finaliza o chefe de equipa.