Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Vai ou não haver greve na TAP?

Os elementos da plataforma sindical da TAP vão hoje comunicar se a greve vai ou não avançar entre o Natal e o Ano Novo

Manuel de Almeida/Lusa

O suspense deverá terminar esta segunda-feira. Os trabalhadores da companhia aérea vão dizer se aceitam ou não o pedido do Governo de cancelar a greve de quatro dias, entre o Natal e o Ano Novo.

A plataforma sindical da TAP, que reúne 12 sindicatos, deverá comunicar esta segunda-feira ao Governo se os aviões da TAP ficam ou não em terra entre os dias 27 e 30 de dezembro, em protesto pela privatização da companhia aérea estatal.

O ministro da Economia, António Pires de Lima, disse na última sexta-feira, à saída da reunião com a plataforma sindical da TAP, que até segunda-feira se saberá se os trabalhadores aceitam cancelar a greve em troca da criação de um grupo de trabalho para analisar as preocupações dos trabalhadores.

Na quarta-feira da semana passada, a plataforma sindical da TAP, que reúne 12 sindicatos, anunciou a realização de uma greve depois do Natal e antes do Ano Novo, entre os dias 27 e 30 de dezembro, contra a privatização da empresa.

Pires de Lima, afirmou, citado pela agência Lusa, ter sido "muito claro" na reunião que teve na sexta-feira com os representantes da plataforma sindical da TAP, pedindo o cancelamento da greve marcada para o período entre os dias 27 e 30 de dezembro, tendo em vista as consequências da paralisação

"O Ministério da Economia abriu a possibilidade, mediante cancelamento da greve, de se constituir um grupo de trabalho que procure trabalhar os pontos de preocupação dos trabalhadores da TAP", afirmou o ministro, à saída da reunião com a plataforma sindical da transportadora aérea.