Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Trichet: "Incumprimento grego não é hipótese"

O presidente do Banco Central Europeu (BCE) rejeitou a hipótese de a Grécia não vir a pagar a sua dívida e deu as boas-vindas a uma eventual intervenção do Fundo Monetário Internacional (FMI).

O presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, afirmou hoje que o compromisso do governo grego em reduzir o défice orçamental é "muito sério" e "realizável", respondendo, assim, à desconfiança dos mercados sobre a capacidade do país pagar a dívida.     No conferência de imprensa que se realizou no final da reunião do Conselho de Governadores do Banco Central Europeu (BCE), Trichet descartou a possibilidade de a Grécia não vir a pagar a sua dívida e apluadiu uma eventual intervenção do Fundo Monetário Internacional (FMI).  

BCE apoia ajuda do FMI à Grécia 

Jean Claude-Trichet considerou que a intervenção do FMI seria bem-vinda, depois de insistir na necessidade de os governos da zona euro participarem neste processo.     O presidente do BCE referiu também que a entidade monetária europeia esteve sempre a favor do apoio do FMI à Grécia, embora alguns membros do Conselho de Governadores se tenham expressado contra.     A bolsa grega seguia hoje, pelo terceiro dia consecutivo, a cair 5%, ao mesmo tempo que o custo do financiamento da sua dívida se mantinha em níveis históricos, perante as dúvidas dos mercados sobre a capacidade do país enfrentar a crise.     A pressão sobre a Grécia fez-se também notar nas restantes bolsas europeias e sobre o euro, que voltou hoje a registar um mínimo anual contra o dólar. *** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

 

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.