Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Três gerações da família Fino na Soares da Costa

Administração da Soares da Costa vai contar, a partir da próxima Assembleia Geral, com representantes de três gerações Fino. A família detém 70% do capital da construtora.

A Assembleia Geral (AG) da Soares da Costa  marcada para o dia 26 de Abril vai alargar de nove para dez o número de elementos do Conselho de Administração.  A saída de dois administradores será compensada com a entrada de três.

De saída estão António Frada, gestor executivo com largos anos na companhia que se transfere para a empresa de concessões do grupo e António Ramalho, um dos administradores não-executivos. Ramalho, amigo do presidente da SC Pedro Gonçalves, transferiu-se da Unicre para a administração do BCP.

Saídas e entradas 

Estas saídas serão compensadas com as entradas de Martim Salema  Fino, António Manuel de Arriaga e Carlos Moreira Garcia. Martim Fino, 35 anos, passou pelo escritório de Londres do BCP, foi analista financeiro e agora é director-geral da Workcare, uma empresa de saúde e segurança no trabalho.

António Arriaga tem um percurso ligado à Papelaria Fernandes e Carlos Garcia é um diplomata brasileiro reformado com 23 condecorações no currículo. A AG formalizará a entrada de Ana Maria Caetano na administração da SC, depois da renúncia da sua irmã Angelina, em Fevereiro.

Três gerações

A entrada do neto de Manuel Fino para a administração faz com que a família que controla a construtora passe a estar representada através de três gerações.

O patriarca permanece como presidente da SC e o seu filho José Manuel volta a fazer parte da lista. Martim Fino é até uma possibilidade para ocupar o lugar de António Frada na Comissão Executiva,  a menos que o CA opte por reduzi-la aos três elementos reconduzidos: Pedro Gonçalves (presidente), Silva Neves e Pedro Andrade Santos. A captalização bolsista da SC é de 171 milhões de euros.